Empréstimo rápido e fácil envolve altos riscos para o banco ou instituição que os oferece. Isso acontece porque quem precisa de facilidades de empréstimo são, na maioria das vezes, pessoas em situações complicadas, como aquelas já atoladas em dívidas e/ou com o nome sujo no SPC/SERASA.

O risco mais alto para as instituições financeiras e bancos se traduz em juros mais altos para quem precisa do empréstimo. Juros BEM mais altos, diga-se por passagem, que podem até rivalizar com os juros dos cartões de crédito, em alguns casos.

A armadilha da dívida

Se uma pessoa entrou em dívida e precisa de um empréstimo, salvo raras exceções, isso aconteceu por conta de erros financeiros prévios. Dívida é um fato da vida para muitas pessoas e empresas, e uma certa quantidade de dívida é normal e financeiramente saudável. No entanto, algumas pessoas não conseguem pagar suas dívidas, causando um ciclo prejudicial de empréstimos conhecido como uma armadilha da dívida.

A armadilha da dívida é uma situação em que um banco ou instituição financeira pede dinheiro emprestado, mas não tem dinheiro suficiente para fazer os pagamentos de juros sobre o empréstimo, por isso leva um outro empréstimo para cobrir os pagamentos do primeiro empréstimo. Assim, provavelmente, a pessoa ou empresa vai ter de pedir um novo empréstimo para pagar o segundo empréstimo, criando um ciclo financeiro incapacitante.

Consequências dos empréstimos fáceis e rápidos

Indivíduos que se enquadram em uma armadilha da dívida vão ser assediados por agências de cobrança e incapazes de poupar qualquer de seu dinheiro, a menos que obtenham um aumento salarial significativo. Claro, uma pessoa tem a opção de ficar 5 anos com o nome sujo e então, se ver com o nome limpo de novo. Mas isso pode atrapalhar e até impedir completamente que você tenha uma vida financeira por 5 anos completos.

Cuidados com empréstimos

Para que um empréstimo seja justo, ou seja, que tenha juros acessíveis, o banco ou instituição financeira precisa garantir que o beneficiado possa pagar as parcelas do empréstimo. Eles tem a capacidade, os meios e os profissionais que podem analisar sua situação financeira e saber exatamente quanto você pode pagar mensalmente e qual o valor de empréstimo máximo você pode obter.

Enquanto o empréstimo pode ser o bilhete para o crescimento rápido, ele também pode acabar com suas noites de sono. Alguns sinais mostram que você pode estar cada vez mais próximo da armadilha da dívida:

  • Pouca ou nenhuma poupança em suas contas;
  • Pagar apenas o valor mínimo de seus cartões de crédito;
  • Usar maior parte de sua renda mensal para pagar as suas dívidas;
  • Pegando empréstimos de diferentes fontes para pagar suas dívidas;
  • Cheques retornando algumas vezes.

Se você é nas situações acima, são os sinais que indicam, primeiramente, que você está financeiramente vulnerável a empréstimos fáceis e rápidos. Em segundo lugar, indicam que você está entrando na armadilha da dívida. Em terceiro lugar, indicam que você tem sérios problemas em gerir suas finanças efetivamente.

Cuidados com empréstimos

Ao lidar com empréstimos, o planejamento é necessário para fugir das armadilhas da dívida. (Foto: www.asiaeu.com)

Organize sua vida financeira antes de pedir um empréstimo

Se você está com dívidas, principalmente aqueles que já estão pagando dívidas, deve visualizar sua situação financeira apropriadamente, anotando:

Empréstimos e financiamentos de acordo com o risco e com os juros

Os empréstimos pessoais e cartões de crédito se enquadram na categoria de maior risco e maiores juros. Empréstimos para imóveis e veículos são de menor risco e menores juros. Tenha você um empréstimo ou não, você deve entender que se tiver acesso ou já utilizando estes serviços do mercado financeiro, você está na dívida e pode, potencialmente, estar cada vez mais próximo da cilada do débito.

Redução de gastos

Reduza seus gastos desnecessários e poupe algum dinheiro para saldar suas dívidas e empréstimos com juros altos. Você pode ter que viver uma vida moderada por algum tempo para sair da armadilha da dívida.

Aumento de ganhos

Você deve aumentar seus ganhos através de estudos, uma promoção no trabalho ou conseguir uma segunda fonte de renda. Isso pode significar colocar mais membros da família para trabalhar, pegar um emprego de meio período ou outros meios similares para aumentar seus recursos financeiros.

“Queime” seus investimentos de baixo risco

Depósitos fixos, conta poupança, CDBs, que tem menores taxas de retorno devem ser sacadas para quitar as suas dívidas antes de recorrer a um empréstimo. Afinal, os juros dos empréstimos são bem mais altos do que qualquer rendimento de renda fixa possa proporcionar.

Entenda o empréstimo como uma necessidade, não como um desejo

Todo empréstimo deve ser planejado antes de ser confirmado. Ele deve ser uma das últimas opções para saldar dívidas, seja ele planejado ou emergencial. Evite tomar empréstimo para despesas de luxo, compras ou férias e, principalmente, para festas.

Qual o valor de empréstimo você pode pagar?

Para você obter um empréstimo, você tem que saber quanto você é capaz de pagar. Especialistas recomendam uma limitação de 10% a 20% da sua renda líquida para empréstimos.

Renda líquida aqui é todos os seus ganhos, salário, receitas e bônus mensais fixos MENOS suas despesas mensais normais, incluindo luz, telefone, internet, aluguel, transporte, comida, gasolina, mensalidade da escola e todos os custos de seu dia a dia.

Tentar obter um empréstimo de baixo custo para saldar suas dívidas?

Tomar um empréstimo pessoal para pagar dívidas de juros mais altos é uma boa ideia e faz sentido, uma vez que algumas taxas de juros, como as de um cartão de crédito, são bem maiores do que as taxas de empréstimos pessoais. Você deve planejar e pensar MUITO bem antes de pegar um empréstimo, mas nunca com juros maiores que suas dívidas atuais e nunca em um lugar que oferece empréstimos rápidos e fáceis.

Considerações Finais

Em nossa acelerada cultura de consumo, a verdade é que quem mantém um ritmo lento e constante ganha a corrida. Decisões simples, como não gastar mais do que ganhar e aprender a adiar as compras até que você possa pagar por elas em dinheiro, ajuda muito a colocar casa financeira em ordem. Na maioria dos casos, o maior desafio que enfrentamos não é financeiro, mas a necessidade de refrear o seu desejo de consumo e apreciar o que você tem.

Como você planeja lidar com suas dívidas? Já esteve em dívidas das quais não conseguiu fugir?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)