Não há nada de intrinsecamente errado em buscar empréstimos sem garantias para quem vai te emprestar o dinheiro, mas as instituições financeiras gostam de ver que as pessoas a quem eles emprestam dinheiro tem um registro para o pagamento suas dívidas. E esse histórico de crédito ou bens que você tenha serão usados como garantias para que você pague seus débitos ou pelo menos tenha bens que compensem para a instituição financeira os riscos que ela está correndo.

Antes de mais nada, pense nos juros

Mas há coisas que você pode fazer para começar a construção de crédito saudável, que não prejudicará suas finanças drasticamente. A primeira delas é ter ciência que os juros de empréstimos sem garantia são sempre mais altos que os juros de financiamentos e empréstimos normais. Isso acontece porque a instituição financeira estará correndo mais risco ao te emprestar dinheiro. Você deve estar pensando que até parece empréstimo consignado. Só que o empréstimo consignado tem a garantia do seu salário, tirando-o do nosso artigo.

Resumindo: o empréstimo sem garantias deve ser uma de suas últimas opções para obter dinheiro no mercado financeiro, pois sempre será caro, podendo até superar os juros de cartões de crédito.

Por isso, as opções abaixo, além de explicarem como você deve obter o empréstimo sem garantias, ajudarão a encontrar outras opções para o crédito mais fácil, mas sem o peso dos juros dos empréstimos sem garantias.

Obtendo empréstimo sem garantias

Sua capacidade para pagar um empréstimo deve ser analisada antes de sair procurando um empréstimo sem garantia. Resumindo: não pegue um empréstimo sem saber que você pode pagar! (Foto: aplustitlepaydayloan.com)

Qual será o uso do empréstimo?

Quem chega ao ponto de precisar de um empréstimo sem garantias está em uma ou mais dessas situações: desespero para pagar dívidas, quer limpar o nome no SPC/SERASA, não consegue comprovar renda ou precisa de um capital a mais para algum fim. De todas essas opções, a última é um tipo de empréstimo do qual você deve correr a qualquer custo, pois só resultará em uma dívida que você poderia ter evitado.

Analise o que te fez precisar do empréstimo

Você deve analisar quais foram as causas que te levaram a se endividar e precisar de um empréstimo. Tem gastado demais nos cartões de crédito? Usou um empréstimo e não conseguiu pagar? Teve uma emergência médica na família? Você deve analisar essas causas e buscar evitá-las no futuro, entendendo como evitá-las. Talvez, só nesta análise, você já descubra que é capaz de pagar suas dívidas sem precisar de um empréstimo.

Avalie sua capacidade para o pagamento da dívida ou das parcelas do empréstimo

Analisadas as causas das dívidas, você deve ver quanto dinheiro tem por mês de salário e para onde tem ido este dinheiro para descobrir onde pode cortar custos. Depois, se mesmo com o corte de custos você não for capaz de quitar suas dívidas através de um parcelamento que corresponda ao valor que você consegue poupar/cortar, pense em um empréstimo que tenha parcelas dentro do valor que você conseguiu poupar/cortar.

Caso você não consiga um empréstimo dentro destes critérios, você deve pensar seriamente em encontrar um emprego de meio período ou segunda fonte de renda, pelo menos para arcar com os custos extras de um empréstimo ou do pagamento da dívida parcelada. Não precisa ser um emprego permanente, mas que você consiga se empregar tempo o suficiente para poder pagar suas contas. Talvez este emprego até te dê acesso a um empréstimo com menores taxas, caso tenha como comprovar a renda através dele ou fazer um empréstimo consignado de baixos juros (quando você não tem o nome sujo).

Negocie suas dívidas diretamente com os credores

Talvez eles parcelem as dívidas com juros menores que o empréstimo sem garantia. Basta fazer uma ligação, e você terá o acesso à negociação. Mas não se esqueça de fazer um contrato para o pagamento da dívida, pois isso garantirá que seu credor aceite os pagamentos e não aja com más intenções ao longo da quitação.

Caso não seja possível negociar um parcelamento, tente reduzir o valor da dívida antes de obter o empréstimo. Quanto menos você precisar, melhor.

Obtendo um empréstimo sem garantia

Para obter um empréstimo sem garantia, depois de fazer o planejamento financeiro, avalie quanto de empréstimo você vai precisar, ou seja, a quantia EXATA de dinheiro para quitar sua dívida e você passar a pagar as parcelas do empréstimo. Você ficará tentado a pegar um empréstimo maior por conta de parcelas com valores pequenos. Resista à esta tentação e economize centenas de reais em juros.

Sabendo a quantia certa que você precisa, tente pegar este empréstimo com familiares, que podem emprestar o dinheiro sem juros ou com juros muito baixos. Você pode não conseguir todo o empréstimo, mas pode cortar o suficiente para não arcar com juros caros por muito tempo.

Depois, você deve tentar limpar seu nome o máximo possível, cortando dívidas desnecessárias, como entretenimento e luxo (como comer fora de casa) e tentar fazer uma conta corrente em um banco público, que tem taxas menores para empréstimos.

Caso você consiga fazer a conta no banco público, você nem vai precisar do empréstimo sem garantias. Caso não consiga, você vai precisar encontrar várias instituições financeiras que ofereçam essa modalidade de empréstimo para ter uma margem de negociação com elas, seja para obter uma quantia maior do empréstimo ou taxas de juros mais acessíveis. A negociação deve ser dura, muito bem pesquisada, e a parte mais longa e duradoura de sua obtenção do empréstimo.

Considerações Finais

Evitar o empréstimo sem garantias deve ser uma regra financeira para qualquer pessoa. Pagar juros, salvo raros casos (compra de um imóvel ou investimento em um negócio pessoal), é sempre um prejuízo garantido e desvantajoso. Pense e analise bem se o empréstimo é realmente uma necessidade ou um luxo. Avalie as causas que te levaram a precisar deste empréstimo caro e como evitar, num futuro próximo, a procura por este tipo de produto do mercado financeiro.

Você já obteve um empréstimo sem garantias? Como fez para obter este empréstimo? Foi difícil pagar ou negociar taxas de juros mais acessíveis?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)