Pensando em pegar um empréstimo para pagar dívidas? Pegar um empréstimo para pagar outras dívidas é uma técnica chamada consolidação da dívida. Você consolida as várias dívidas que você tem de diferentes lugares em um único empréstimo, o que pode ajudá-lo a obter uma menor taxa de juros, te ajudando a economizar dinheiro ao longo do tempo. Isso vai tornar mais fácil obter um alívio sobre suas dívidas e maior tranquilidade.

Técnicas de consolidação da dívida

Para consolidar sua dívida e tornar o empréstimo para saldar suas dívidas algo que valha a pena, é necessário uma certa dose de planejamento e conhecimento de diferentes formas para consolidar tais débitos.

Fazer uma transferência de saldo/Portabilidade de crédito

Se você estiver carregando a dívida com uma alta taxa de juros, você pode economizar muito por transferir o saldo para uma nova instituição financeira com taxas mais baixas. Para fazer isso, você deve pesquisar bastante com diferentes instituições financeiras e comparar os Custos Efetivos Totais (CET) de todas as instituições visitadas. Mesmo que você não vá transferir o saldo para outra instituição, você pode obter ofertas que forçarão sua instituição atual a reduzir o CET e assim, cortar seus custos.

Pegar um empréstimo de amigos ou familiares

Neste tipo de empréstimo, os mutuários obtém um empréstimo de credores individuais, sem passar por uma instituição financeira tradicional. O maior benefício de empréstimos de amigos ou familiares são as taxas de juros, geralmente nulas.O mais próximo que temos disso no mercado financeiro são os empréstimos de cooperativas de crédito, que tem juros muito baixos, mas você tem de atender aos critérios da cooperativa para poder ser um cliente deles. É de suma importância que você tenha disciplina para o pagamento desse tipo de empréstimo, principalmente no caso de familiares/amigos, a não ser que queira perder amigos ou afastar familiares por causa de dinheiro.

Tomando cuidado com empréstimos

Entenda que a consolidação da dívida é uma técnica para te salvar do buraco financeiro e evitar dívidas que se tornem bolas de neve. (Foto: www.mernalaw.com)

Use seu fundo de emergência ou investimento para aposentadoria

Este é um último meio do recurso de consolidação da dívida, mas se você está em apuros, você pode querer buscar seu fundo de emergência ou investimentos com taxas de retorno abaixo dos juros que você está pagando. A vantagem de pegar emprestado de sua aposentadoria ou fundo de emergência, principalmente quando você é mais novo, é que terá bastante tempo para repor o que foi retirado. A desvantagem, claro, é que você pode estar comprometendo sua poupança de aposentadoria e sua carteira de investimentos e, principalmente quando você está mais velho, retirar dinheiro desses investimentos pode ser um passo a mais para o fundo do abismo. Planeje bem antes de tomar essa decisão.

Pegar um empréstimo para pagar outros empréstimos

Nesse caso, você vai somar todas as suas dívidas e obter um empréstimo com taxa de juros menor para saldar todos os seus débitos atuais. Essa taxa de juros deve ser comparada através do CET ou Custo Efetivo Total, que é o real custo (em juros) do empréstimo. E você também tem que pesquisar bastante até encontrar uma instituição financeira que vá fornecer o limite de empréstimo que você precisa para consolidar sua dívida.

Empréstimo para pagar dívida vale a pena?

Com planejamento e considerando que você comparou todos os valores e custos dos empréstimos antes de partir para cogitar a ideia de consolidar a dívida, pegar um empréstimo para pagar dívidas vale a pena. Vejamos alguns exemplos para te ajudar na decisão.

Exemplo 1: você decidiu parcelar seu saldo do cartão de crédito para saldar a dívida. As parcelas são, digamos, de R$200, e você pode pagá-las com tranquilidade. Só que o CET (Custo Efetivo Total) é de 600%, ou seja, anualmente você está pagando 600% a mais do que a dívida que foi assumida por você. É um erro comum, pensar apenas com os números e esquecer as porcentagens. Para consolidar essa dívida, ao invés de financiar a fatura do cartão, você deve pegar um empréstimo pessoal com um CET abaixo de 600%. Geralmente, o CET de empréstimos pessoais giram entre 60% e 100%, variando para cima ou para baixo de acordo com seu perfil de cliente, sendo os funcionários públicos aqueles que pagam as menores taxas.

Exemplo 2: você pegou dois empréstimos pessoais, um com o CET de 60% e outro com o CET de 70%. Para se organizar melhor, gostaria de consolidar o débito. O que você pode fazer, inicialmente, é pegar os dados dos dois empréstimos e pesquisar com diferentes instituições financeiras condições para a Portabilidade de Crédito. Talvez você consiga transferir o empréstimo de 70% para a instituição em que pegou o empréstimo de 60%, ou consiga somar as duas dívidas e transferi-las para uma terceira instituição com um CET de 65% ou até menos.

Considerações Finais

Como regra geral, afirmamos: SEMPRE vale a pena pegar um empréstimo para pagar dívidas do cartão de crédito e cheque especial. Outras consolidações ainda precisarão de um pouco de planejamento e análise, mas o cartão de crédito e o cheque especial tem taxas de juros mais altas do que qualquer outra fonte de recursos financeiros.

Você tem exemplos de situações em que fez a consolidação da dívida? Compartilhe suas experiências e técnicas nos comentários abaixo!

2 comentários para “Empréstimo para pagar dívida vale a pena?”

  1. Aline de Oliveira Santos

    Eu tou precisando muito para meu cartão limpam meu nome

    Responder
    • Equipe Crédito ou Débito

      Aline, leia nosso artigohttp://www.creditooudebito.com.br/como-limpar-o-nome-sujo/ que vai te ajudar a limpar seu nome

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)