Você já deve ter se perguntado muitas vezes quando pagar a vista ou parcelado valia mais a pena. Porém, você não deve nem imaginar que existe um cálculo muito simples que pode te ajudar a saber quando é mais lucrativo pagar a vista e quando é mais lucrativo pagar parcelado.

Antes de ir para estes cálculos, vamos entender os descontos de produtos e o parcelamento.

Por que as lojas oferecem desconto nos pagamentos à vista?

Quando a loja parcela um produto, o dinheiro a ser recebido pelo lojista também é parcelado. Ou seja, se ele parcelou em 12 vezes algum produto, ele irá receber a cada mês o valor referente à parcela. Quando ele tem o recebimento a vista, seja por boleto bancário, transferência, dinheiro ou cartão de débito, ele terá todo o dinheiro de uma só vez, ganhando maior liquidez de caixa, ou seja, capacidade de comprar mais produtos, pagar dívidas, investir na empresa, pagar os custos fixos etc.

No pagamento em dinheiro ou no boleto, o lojista geralmente dá um desconto ainda um pouco maior que alguma promoção envolvida já no produto. Isto porque toda transação com cartão de crédito e/ou débito tem uma porcentagem cobrada pela operadora da máquina de cartões, que gira entre 3% e 5% do valor do produto. Esta porcentagem também é inclusa nos parcelamentos.

Resumindo, o motivo principal dos descontos para os pagamentos a vista é ter maior liquidez de caixa com mais dinheiro em mãos.

Quanto eu devo pedir de desconto ao pagar a vista?

Ao pagar com cartão de débito, um desconto de 2% a 3% mínimo pode até ser negociado, com certa dificuldade. Já no pagamento por boleto ou dinheiro, o mínimo que recomendamos que de desconto é de 4%, mas sempre tente um pouco mais do que isso.

Como calcular a diferença entre o parcelamento e o pagamento à vista?

Nossos leitores já sabem há muito tempo sobre conceitos como inflação, juros, correção monetária e muitos outros conceitos financeiros. Vocês já sabem que um produto hoje não terá o mesmo valor daqui a um mês devido a depreciação, valorização, inflação ou juros que incidem sobre o produto/serviço.

Por isso, é errado compararmos o preço de um produto há dez anos atrás com o valor do mesmo produto hoje. Você não leva em consideração o aumento generalizado dos preços, o aumento do poder de compra do brasileiro e muitos outros fatores econômicos.

Para que o cálculo seja feito da forma correta, usamos um cálculo matemático chamado de Valor Presente ou Valor Atual.

O que é o cálculo do Valor Presente?

É um cálculo que permite comparar valores futuros/passados com um valor hoje, levando em consideração a taxa de juros para a correção do dinheiro no tempo e até a inflação, possibilitando que você calcule o valor de um produto parcelado em 12 x e compare com o valor pago a vista.

O que eu faço com este cálculo do Valor Presente?

A partir do momento em que você tem o resultado do cálculo em mãos, você poderá utilizar estes dados como forma de negociar valores com o vendedor. Também, poderá analisar se seu dinheiro do pagamento a vista fica melhor investido em uma poupança ou outro tipo de investimento, rendendo mais do que os juros embutidos nas parcelas e te dando algum dinheiro ao invés de só o “prejuízo” da compra. Pois como sabemos, não existe parcelamento sem juros.

Como eu calculo o Valor Presente?

No excelente site fazAconta, você só precisa colocar os dados e há uma calculadora para o cálculo automático dos valores. Mas caso você queira entender melhor o cálculo, vamos explicar com detalhes e exemplos:

Parcelamento e cálculo do valor presente

Vamos usar primeiramente o exemplo dado pelo site fazAconta, para simplificar a compreensão. Uma televisão custa R$2.000. Você tem a opção de parcelar a TV em 20x de 110,00, totalizando R$2200 ou pagar à vista. A olho nu, pagar a vista soa mais atraente. Mas vamos supor que você consiga pegar estas parcelas e investir, a cada mês, em um tipo de investimento que te dê rendimentos de 1,5% ao mês, algo que não é muito difícil. Usando a fórmula de cálculo do Valor Presente, você terá o seguinte resultado:

  • Taxa de juros:1,5%; Parcelas: 20; Prestação: R$110. Valor Presente = R$1.888,55

Mas o que significa este valor? Significa que só vale a pena o pagamento a vista se você conseguir um desconto que deixe o preço da TV em pelo menor R$1.888,55. Isso porque se você aplicar os R$2.000 da televisão ou suas parcelas, no final do prazo de 20 meses, terá ainda uma “sobra” de R$111,45.

Portanto, neste exemplo só valeria comprar à vista por menos de 1.888,55. Podemos ainda concluir que se você aplicar os 2.000,00 com rendimento de 1,5% e ir retirando cada parcela, no final ainda sobraria 111,45 (que é a diferença 2.000,00-1.888,55).

Na fórmula do site, basta apenas que você mude os valores. Recomendamos que você sempre use como taxa de juros o rendimento da poupança no mês da compra, pode ser verificado no site do Banco Central do Brasil. Mas nossos cálculos não param por aí e as possibilidades são ainda maiores!

Comparando preços de produtos

Compreendendo os cálculos relacionados a compras a vista ou parceladas você poderá fazer ótimas comparações de preços e possíveis investimentos. (Foto: fetracan.org.br)

Fazendo uma análise das possibilidades para sua compra

O cálculo do valor presente ainda te ajuda a definir em quantas parcelas você pode parcelar e ainda sair no lucro em relação ao desconto a vista. Este cálculo é muito útil para compras online, onde o desconto maior à vista é dificilmente negociável.

Para fazer este cálculo, você precisará entender a Análise Gráfica  do Valor Presente/Atual:

Análise Gráfica

Primeiro, você precisa obter diferentes valores para diferentes taxas de juros da nossa fórmula de Valor Presente. Novamente, utilizaremos os exemplos do site fazAconta:

  • VA(0,0%;20;-110) = 2.200,00;
  • VA(0,5%;20;-110) = 2.088,62;
  • VA(1,0%;20;-110) = 1.985,01;
  • VA(1,5%;20;-110) = 1.888,55;
  • VA(2,0%;20;-110) = 1.798,66.

Para o primeiro cálculo, o valor é igual a R$2.200, o que significa que temos um Valor Presente igual aos das parcelas, com R$200 de juros em relação ao preço a vista. Para o rendimento de 0,5% (aproximadamente o rendimento da poupança), ainda é mais em conta comprar a vista. Isto porque o valor do produto parcelado ainda é maior do que o valor do pagamento a vista em um rendimento de 0,5%. Em outras palavras, se você investir seu dinheiro na poupança acabará perdendo dinheiro ao não comprar o produto a vista.

À medida em que o rendimento aumenta, vemos que os Valores Presentes diminuem. Ou seja, se você conseguir um investimento que tenha o investimento listado, ao invés de parcelar seu produto é melhor tentar obter o desconto que está nos cálculos. Em um rendimento de aproximadamente 0,9%, tanto faz se você parcelar ou pagar a vista.

Quando devo parcelar minha compra ou pagar a vista?

Veja bem: para utilizar estes cálculos de forma efetiva, você tem que estar sempre bem informado dos investimentos disponíveis em seu banco, instituição financeira ou corretora de valores. Não é uma tarefa das mais fáceis, já que temos muitos possíveis investimentos para fazer.

Como sabemos também, boa parte dos brasileiros não gostam de arriscar muito. Por isso, indicamos para nossos leitores buscarem a taxa de rendimentos do Tesouro Direto e da Poupança para os cálculos acima. Ambos são investimentos de baixo risco e sem muitas exigências ou limites.

Tendo estes rendimentos em mãos você saberá, na hora da compra de um serviço e/ou produto:

  • Quanto de desconto você tem que buscar para o valor a vista;
  • Em quantas parcelas o valor a vista se equipara ao valor parcelado (basta mudar os valores das parcelas na fórmula e a quantidade de parcelas, usando a taxa de juros do investimento de sua escolha);
  • Quantas parcelas você pode parcelar sem sair no prejuízo;
  • Juros do produto parcelado, ao comparar com o preço à vista.

Com estas informações em mãos, você nunca terá apenas uma possibilidade de pagamento. Você sempre estará ciente de quanto dinheiro pode investir na compra, como investir melhor e terá uma maior vantagem em negociações de preços.

Considerações Finais

Sabemos que para muitas pessoas estes cálculos vão soar um pouco complicados. Quando fazemos estes cálculos, estamos aprendendo que o dinheiro pode render durante o tempo em que parcelamos compras. Quando você não consegue descontos mas precisa do produto, você pode parcelar na grande maioria das vezes e aplicar o dinheiro que seria utilizado para o pagamento à vista. As possibilidades são infinitas e nosso conselho é que você comece o quanto antes a praticar estas novas habilidades aprendidas.

Acesse um site de compras qualquer. Compare o parcelamento com a fórmula de Valor Presente. Use o espaço abaixo para comentar sobre as possibilidades que você encontrou, as dúvidas que teve, as oportunidades que viu, investimentos de bom rendimento. O importante aqui é compartilhar!

2 comentários para “Pagar a vista ou parcelado? Como calcular qual é mais lucrativo?”

  1. Sylvio

    Bom dia. Foi muito bom saber as considerações a respeito do valor presente.
    O problema é que o comerciante na maioria das vezes coloca juros embutidos nas parcelas a serem pagas (mais vantajosas para eles), ao passo que a vista não dão desconto nenhum.
    É uma maneira de vender seu produto e ainda ganhar juros sobre eles maiores que os do mercado.

    Responder
    • Equipe Crédito ou Débito

      Oi Sylvio,

      Você tem razão. Isto infelizmente acontece muito.
      A única maneira de resolver é boicotar que faz isto. Logo terão que mudar as práticas para continuar competitivos.
      Este é mais um exemplo de uma situação em que a educação financeira faria muita diferença na vida das pessoas e do país.
      Obrigado por seu comentário.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)