Todo brasileiro em algum momento da vida já passou por alguma necessidade financeira e foi tentado pelos empréstimos. Alguns cederam à tentação e concluíram o sonho ou pesadelo de ter o dinheiro extra no bolso. Outros, foram mais resistentes, mas tiveram problemas financeiros persistentes. É plenamente possível pegar um empréstimo e calcular os juros que sobre ele incidem, deixando claro qual será o valor final a ser pago.

Online, estão disponíveis várias calculadoras que fazem todo o trabalho pra você. Porém, nem sempre teremos um computador ou o acesso à internet para conseguir fazer um comparativo ou mesmo saber como calcular nossos juros e o CET, que é o Custo Efetivo Total do empréstimo. Porém, vamos começar com algumas noções básicas de matemática para estes cálculos.

O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidir apenas sobre o valor principal. Sobre os juros gerados a cada período não incidirão novos juros. Valor Principal é o valor inicial emprestado ou aplicado, antes de somarmos os juros. Temos uma fórmula que fica mais ou menos assim:

J = P. i. n

Onde J são os juros, P o capital principal, i a taxa de juros e n o número de períodos. Somando os juros ao valor principal teremos o montante, ou seja, o valor final com os juros, que é calculado com a seguinte fórmula:

M = P . [1 + (i . n)] 

Então, para calcular os juros de 12% ao ano, durante um período de doze meses é só interpretar que é a taxa i é 0,01 e n é igual a 12. Com uma regra de três, você pode fazer o cálculo da taxa também para períodos quebrados em dias, meses ou anos.

Já os juros compostos são conhecidos como o juros sobre juros. E seu cálculo é feito da seguinte forma:

M = C . (1+i)ª

 Sendo M o montante, C o capital inicial, i a taxa de juros e a o tempo. Quando você não consegue pagar uma prestação de um empréstimo ou financiamento, incidem os juros compostos sobre as parcelas que você não pagou. O mesmo vale para investimentos que você tenha feito, nos quais é calculado o mesmo tipo de juros.

Para o cálculo do CET, ainda acrescentamos o valor do IOF e demais custos para o financiamento ou empréstimo. A fórmula do CET ou Custo Efetivo Total se dá na seguinte fórmula:

Cálculo do CET

Esta é a fórmula do cálculo do CET, com todos os seus detalhes. (Foto: jornal.jurid.com.br)

Nossa recomendação aqui no Crédito ou Débito é que você não tente fazer esses cálculos às pressas e na hora. Tente pegar os valores e taxas que são importantes para um cálculo comparativo, afim de encontrar a melhor opção de empréstimo ou financiamento para você. Saber estes cálculos facilita na hora de criar um pré filtro do que vale e do que não vale a pena. Por isso, pratique um pouco em casa, deixe sempre salvo alguns sites com calculadoras online e se prepare melhor financeiramente.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)