Para ter uma máquina de cartão de crédito e não levar prejuízo, você precisa conhecer as taxas da máquina de cartão de crédito. Estas taxas e tarifas incluem o aluguel ou preço da máquina de cartão, e as tarifas você paga para qualquer venda realizada. Enquanto o aluguel/preço da máquina de cartão são fixos, as tarifas de venda são variáveis, e correspondem a uma porcentagem do valor de venda do produto.

Se fosse só isso a considerar para fazer suas vendas, seria muito fácil. Mas não é. Você tem contas de luz, água, aluguel, internet, funcionários…Vários custos que tem que ser pagos todos os meses. Para contribuir no pagamento desses custos, cada venda de produto ou serviço realizado tem que “pagar” uma parte desses custos. E lógico, no fim das contas, você também precisa tirar seu lucro, não é?

Como calcular o custo da máquina de cartão?

Quando você tem um negócio próprio, precisa estabelecer um preço de venda para seus produtos e serviços. Se você for aceitar cartões de crédito e débito, tem que considerar as taxas cobradas sobre cada venda e o valor do aluguel da máquina de cartão, ou das parcelas da máquina de cartão. O SEBRAE tem vários cursos nessa área, ajudando os empreendedores a calculares o preço de venda de produtos e serviços. É a melhor forma de começar a fazer com que seu negócio pare de dar prejuízo. Mas vamos dar um resumo do que é preciso para vender produtos e serviços pela máquina de cartão com o preço certo. Mas já avisamos: não é só aumentar o preço com a taxa da máquina de cartão de crédito. Envolve bem mais do que isso, se você quer que seu negócio tenha sucesso.

Taxas de máquina de cartão de crédito

Toda vez que você usa ou recebe um pagamento via cartão de crédito ou débito, você pagará taxas e tarifas pelo uso. São custos que muitos desconsideram, mas é importante conhecer bem para evitar transtornos e prejuízos. (Foto: getbackontracknow.com)

,

Preço de venda de produtos e serviços

Um preço de venda que é muito baixo não vai te dar margem o suficiente para cobrir as despesas e te dar lucro. Coloque um preço muito alto sobre algo, e você acaba afastando clientes. O que quero dizer com isso é que para alguns produtos e serviços, aumentar o valor em 3% ou 4%, que são as taxas médias de máquinas de cartão por venda, pode acabar afastando clientes e reduzindo suas vendas. Você tem que começar e fazer o cálculo de uma forma diferente.

Ponto de equilíbrio para produtos e serviços

O cálculo que você deve fazer é o preço de venda de equilíbrio para o seu produto ou serviço oferecido. Esse valor vai te dar o preço mínimo que você pode vender seu produto e ainda cobrir os custos de seu negócio. O preço de venda de equilíbrio deve ser calculado sobre uma quantidade de produção e venda usando a fórmula abaixo.

Ponto de Equilíbrio do Preço de venda = (Total de Custos Fixos / Volume de produção) + Custo Variável Unitário

Total de custos fixos são contas e custos que não variam muito mensalmente. Alguns exemplos: água, luz, telefone, pro labore, custos com contador, etc.

Volume de produção é o total de produtos e serviços que são produzidos mensalmente. Se for serviços, você terá que calcular a quantidade mínima de serviços você consegue executar mensalmente. Para produtos, a quantidade mínima que você produz mensalmente.

Custo variável unitário varia de acordo com a quantidade de produtos/serviços vendidos. Por exemplo, suponha que para produzir 50.000 unidades de um produto, o total de matérias primas gastas foi de R$350.000, o salário dos funcionários total foi de R$250.000, o frete dos produtos para os lojistas foi de R$50.000, e as comissões de vendas R$100.000. O total de despesas variáveis foi de R$750.000. Divida esse valor pela quantidade de unidades produzidas (50.000), e você vai ter um custo variável unitário de R$15. Simples. O mesmo cálculo vale para serviços, mas os custos variáveis serão transporte, material usado para o serviço, etc.

Para calcular o preço de venda de equilíbrio

Com a fórmula acima, é fácil inserir o custo de venda pela máquina de cartão de crédito. O aluguel/mensalidade da máquina de cartão de cartão de crédito entra no total de custos fixos. Vamos explicar com um exemplo.

Um vendedor tem R$5.000 de custos fixos, incluindo luz, pro labore (retirada dos sócios), salários, aluguel, o aluguel/mensalidade da máquina de cartão, etc. O custo variável por unidade produzida/serviço prestado (incluindo impostos) é de R$1,50, para uma produção de 1.000 unidades do produto. Dividindo os custos fixos pela quantidade de produtos que quero produzir (1.000), tenho como resultado o valor de R$5.

Então, meu preço de venda de equilíbrio é de R$5, somado ao custo para produzir cada unidade do produto, que é de R$1,50. Ou seja: eu preciso vender todos os 1.000 produtos por, no mínimo, R$6,50, para que meu negócio pague as próprias contas.

Mas e as taxas da máquina de cartão?

Você terá que imaginar o pior cenário possível, ou seja, que todos os seus produtos serão vendidos por cartão de crédito. A tarifa para o cartão de crédito é de 4%, em média. Então, você tem de reduzir esse valor do preço de venda de equilíbrio do produto.

No nosso exemplo, com o valor unitário de R$6,50, o custo da tarifa do cartão de crédito por unidade será de R$0,26. Se você vender os produtos na máquina de cartão pelo preço de R$6,50, você está saindo no prejuízo, porque não está atingindo o preço de venda de equilíbrio para pagar as contas básicas da empresa. Para achar o preço ideal de venda, com as tarifas da máquina de cartão, um jeito simples é calcular 4% de R$6,50 e somar o valor ao preço de venda de equilíbrio. O valor de venda ficará em R$6,76.

Mas ao vender um produto por R$6,76, a máquina de cartão vai cobrar uma tarifa de 4% sobre R$6,76, e não sobre R$6,50. O valor será de, aproximadamente, R$0,27, o que resulta no vendedor ainda tomando prejuízo, de R$0,01. Aumentando o preço de venda de equilíbrio para R$6,78, a tarifa de 4% continua nos R$0,27, e você não está mais levando prejuízo.

Considerações finais

Parece difícil, e é. Ser empreendedor no Brasil não é uma tarefa fácil. Mas sem esse planejamento, você poderá tomar prejuízos sem sequer saber. Tome muito cuidado.

Nosso cálculo considera apenas os valores mínimos para você não tomar prejuízo. Você ainda precisa ter um lucro, que pode ser calculado sobre o preço final de um produto ou serviço. Lembrando que, se o valor aumentar, a tarifa do cartão também aumenta. Existem vários programas e aplicativos que fazem tais cálculos automaticamente, e profissionais que podem te ajudar nesses cálculos.

Se vocês ainda tiverem dúvidas sobre como aceitar cartões em seus negócios e ainda ter lucro, deixem suas perguntas nos comentários. Estamos aqui para ajudar!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)