Se utilizarmos valores históricos como exemplo, um dólar, em 1913, tinha o mesmo poder de compra que US$22,03 em 2010. A razão para a discrepância de preços é a inflação. A inflação é uma palavra muitas vezes apontada por economistas para descrever o estado da economia. Devido à sua importância, o Banco Central do Brasil monitora cuidadosamente a rapidez com que inflação sobe ou cai. Todo mundo reage à inflação: empresas, governos estrangeiros, bancos centrais e os cidadãos, que sentem as consequências da subida dos preços.

Identificação

A inflação é um aumento dos preços dos bens de consumo.O aumento dos preços, utilizando o Índice de Preços ao Consumidor (IPC). Ele rastreia o movimento dos preços de certos bens e serviços em categorias, incluindo a educação e comunicação, vestuário, cuidados médicos, lazer, alimentação, habitação e transporte. Se os preços refletem uma tendência de alta, a inflação está presente na economia. Se os preços apresentam tendência de queda, a economia reflete a deflação ou uma diminuição do nível geral de preços de bens e serviços. Mas a inflação ocorre naturalmente na economia a longo prazo, como é evidente pelo custo de um ingresso de cinema há 10 anos atrás e seu valor hoje em dia..

Causas da inflação: Banco Central

A inflação ocorre quando o Banco Central reduz as taxas de juro nominais. Como os bancos, consumidores e empresas podem pedir dinheiro emprestado com taxas de juros mais baixas, o que aumenta a atividade de empréstimo. Este impulso no crédito expande a oferta de dinheiro, o que, por sua vez, causa a inflação. Com mais reais em circulação, o poder de compra da moeda encolhe. O BC também compra e vende ativos do governo, ações que também afetam a oferta de dinheiro. Quando o BC compra ativos, a oferta de moeda se expande e ocorre a inflação.

Mais dinheiro, alta dos preços

Com mais recursos disponíveis no mercado, a tendência é que o valor geral dos produtos também aumente, caso sua oferta não se modifique. (Foto: guarusnet.com.br)

Causas da inflação: Governo do Brasil

O governo brasileiro também causa inflação por pegar dinheiro emprestado com juros do Banco Central. O governo dispara as máquinas de impressão de valores para equilibrar o orçamento ou levantar dinheiro para outros vários projetos. No entanto, a impressão de mais dinheiro tem repercussões na desvalorização cambial e aumento dos preços. A impressão de mais dinheiro faz com que haja um “imposto” na forma de inflação, a ser cobrado de todos os cidadãos. A falta de investimentos por parte do governo para que haja maior oferta de mercadorias no mercado brasileiro também causa a inflação, uma vez que a demanda não é suprida e os valores dos produtos tendem a aumentar.

Consequências da Inflação

A inflação afeta as políticas de comércio exterior e monetárias de outros países. Quando a inflação desvaloriza a moeda brasileira, as importações se tornam mais caros. Assim, as empresas que dependem de importações baratas vão encontrá-la mais caras para obter esses bens. Além disso, uma moeda barata aumenta o preço de commodities como o petróleo. Quando o preço do petróleo sobe, a comida se torna mais cara. Por exemplo, quando o dólar se valoriza, o Brasil tem seus custos aumentados. Por outro lado, com a desvalorização do Real, ganham os exportadores, que exportam a um valor mais alto.

Controle da economia

O governo tem de controlar a inflação antes que o povo comece a pagar um preço muito alto pelo descontrole da alta dos preços. (Foto: istoepiaui.blogspot.com)

A inflação e os investidores: como não perder seu dinheiro?

A inflação e seu controle é um importante elemento de nossa economia e que não necessariamente é algo negativo. Mas é necessário que o investidor compreenda um pouco seu funcionamento para conseguir direcionar melhor seus investimentos em momentos de inflação alta e momentos de inflação em baixa. Por exemplo, uma inflação alta faz com que investimentos com baixos retornos sejam menos atraentes, pois o poder financeiro deles será menor no futuro. Porém, uma inflação em baixa (abaixo de 6%) possibilita que até investimentos de baixo retorno financeiro, como a poupança, se tornem atraentes. A partir de uma análise da inflação, você pode ajudar a definir uma carteira de investimentos mais lucrativa.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)