Já aconteceu com todos nós em um ponto ou outro: algo aconteceu com alguém que amamos, e dinheiro é necessário. Nosso dinheiro. Se perfeitos estranhos nos pede dinheiro, é mais do que provável que não o daremos e fim da história. Mas quando um amigo ou membro da família pede emprestado, não costumamos dizer “não” de imediato. Nós pensamos sobre isso primeiro. Alguns de nós são mais aptos a ajudar os amigos do que a família ou a família do que os amigos.

Eu tenho pensado muito sobre isso ultimamente, como um bom amigo meu acabou de herdar um bom dinheiro da morte de um parente. Ele veio me pedir conselhos pois todos os tipos de amigos e familiares parecem ter saído da toca para lhe pedir empréstimos. Para ser justo, ele foi um adolescente bem problemático, e a maioria das pessoas se sentem no direito, suponho eu, em pedir-lhe dinheiro. No entanto, as histórias que ele tem me contado, além de minha própria experiência em emprestar dinheiro só reafirma minhas convicções e suspeitas sobre empréstimos a familiares e/ou amigos.

O caminho difícil: concordar com o empréstimo de dinheiro

Dê o dinheiro ao invés de emprestar. Faça isso e não espere ver a cor da grana de volta. Ou você pode fazer o que algumas pessoas que conheço fizeram, e tratem como um empréstimo bancário: assine um contrato, cobre juros, e crie um cronograma de pagamento com o qual ambas as partes podem ficar confortáveis. Isto é crucial para obter o dinheiro de volta. Se você não definir diretrizes para o reembolso por escrito, você não tem ninguém para culpar além de si mesmo. Também não espere que seu amigo ou familiar pague mais rápido que o contrato estipula, ou você ficará decepcionado.

Suas expectativas e valores pessoais contam MUITO na hora do empréstimo

É uma boa aposta emprestar dinheiro para quem está pedindo? Será que eles têm a capacidade de pagá-lo de volta? Você não tem que fazer uma verificação de crédito para a pessoa, mas o que você sabe sobre eles? Será que eles têm habilidades de mercado? Eles estão dispostos a fazer negócios? Será que eles continuamente tem problemas? Eles tem algum bem para penhorar caso não consigam manter com os compromissos financeiros? Faça seu dever de casa conversando com outros amigos e parentes e descubra.

Se alguém lhe pede dinheiro, você começa a julgar onde o dinheiro está indo? Você pode emprestá-lo sem perguntas? Este é o lugar onde o ressentimento aparece. Se você não pode dá-lo ou emprestá-lo livremente, sem o julgamento, provavelmente é melhor não emprestar. Nenhum de nós gasta dinheiro da mesma forma, e nós não valorizam as mesmas coisas. Por exemplo, eu gasto cerca de R$100 por mês em ração e areia para meus 3 gatos de estimação além de cerca de R$600 a cada seis meses em ferramentas para minha oficina mecânica. Outras pessoas podem não concordar tanto com isso.

A chave para um empréstimo bem sucedido é a comunicação. Enquanto ambas as partes são claras sobre seus valores e expectativas, as coisas podem ir sem problemas.

Cuidados com empréstimos financeiros

Antes de emprestar dinheiro a qualquer pessoa que seja, faça um contrato e estabeleça condições claras para este empréstimo. (Foto: imperfectwomen.com)

Do ponto de vista de quem pega o dinheiro emprestado

Espero que ninguém queira pedir dinheiro emprestado a amigos ou a família, mas pode acontecer. Reparos inesperados no carro, casa, visitar inesperadas ao médico com as crianças podem esticar e quebrar a banca. O desemprego não planejado pode ter um peso quase que permanente sobre os indivíduos também. Houve um mês quando trabalhava com importação que várias encomendas atrasaram e tive que pegar dinheiro emprestado com meu irmão. Não foi fácil pedir, mas paguei cada centavo devido.

Três vezes na minha vida eu peguei emprestado de familiares e paguei de volta. Eles são as três pessoas a quem eu iria emprestar num piscar de olhos. Uma das principais razões que eu pedi a partir deles é que eles sabiam da minha situação e ofereceram a ajuda (eu não tinha pedido). Eu não vejo nada de errado com as coisas indo e voltando entre familiares/amigos, enquanto o equilíbrio seja balanceado entre ambos. Inclusive, empresto sempre o cartão de crédito para amigos parcelarem compras, contando que paguem no dia certo as parcelas. Até agora, os 4 amigos a quem fiz esse tipo de “empréstimo” nunca deixaram de pagar as parcelas.

Minha mãe é uma das pessoas mais generosas que eu conheço. Ela tem dado tanto para o meu irmão quanto eu quando nós pedimos para ela e muitas vezes quando nós não temos. Ela diz que, basicamente, ela deseja o melhor para nós, esperando apenas que sejamos felizes, e ela nos instrui a ajudar as pessoas na nossa comunidade quando podemos. Estamos bem com este arranjo. Almoço na casa dela todos os dias. No mês passado, eu fiz antepasto de berinjela e levei para ela. Nós tratamos o nosso dinheiro entre os três de nós da mesma forma como tratamos nossa comida: compartilhando, tanto problemas quanto soluções.

Mas se alguma das situações acima faz você se sentir desconfortável…

O caminho mais fácil: dizer não

Emprestar dinheiro afeta o seu relacionamento com a outra pessoa e cria desigualdade entre vocês. Você vai do título de amigo ou membro da família com um passado em comum para a titulação de servo e um senhor. Você vai descobrir que você não pode ajudar a si mesmo olhando compras do mutuário, sem suspeita. Se você estabelecer no início de seu relacionamento com outras pessoas que você não empresta dinheiro para a família e amigos, as pessoas vão parar de pedir-lhe rapidamente (e passar para aqueles que dizem que sim). É quando você disse sim que a perguntação realmente começa.

Minha experiência pessoal

Uma ex namorada precisava operar o joelho para poder entrar em um curso da força aérea, além de saldar algumas dívidas no banco, pois não poderia estar negativada. Tínhamos planos de morar juntos e tudo mais, mas o acordo era que ela pagasse o dinheiro assim que estivesse em condições. Isso foi em 2006/2007. Até o momento em que escrevi este artigo, não vi a cor do dinheiro.

Já em 2008/2009, um amigo precisava comprar um laptop e eu trabalhava com importação ainda. Comprei o aparelho, recebendo parte no ato da compra e outra parte quando chegasse o laptop. Ao chegar, ele pagou as taxas, mas ficou em um problema financeiro grande, inclusive com problemas na família. Resolvi então ajudar, emprestando dinheiro para ele com a condição de que ele pagasse mensalmente um valor X. Em 2014 reencontrei com ele, após anos de sumiço, fizemos um acordo para que ele começasse a pagar no mês de julho e até hoje, espero o contato dele.

Se eu tivesse feito um contrato, tudo estaria resolvido. Mas como não tenho, resta agora apenas continuar tentando resolver na conversa e diálogo, mas sem ter mais um amigo com quem posso contar.

E quanto a você? Quais são as suas regras e expectativas ao emprestar dinheiro a amigos ou familiares? Compartilhe nos comentários também suas histórias!

2 comentários para “Devo emprestar dinheiro a parentes ou amigos?”

  1. Vanderlei Mota Vianei

    Eu já perdi tanto dinheiro e se fosse escrever daria um livro.

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)