Refinanciar um empréstimo ou financiamento é uma opção comum para quem quer dinheiro de forma mais emergencial. Porém, há também a opção de se obter um novo empréstimo para quitar suas dívidas anteriores. Qual dessas opções é melhor para sua saúde financeira? Vamos comparar um pouco delas.

Refinanciamento: o que é?

Um refinanciamento é um novo empréstimo que você tira para pagar seu antigo empréstimo. Um refinanciamento tradicional exigirá que você tenha já quitado uma parcela do empréstimo ou financiamento, geralmente entre 20% e 30%.

Por que refinanciar?

Há muitas razões pelas quais você pode querer refinanciar um empréstimo ou financiamento. Por exemplo, você pode querer reduzir seus pagamentos ou taxa de juros. Ou talvez você queira, estender ou diminuir a duração do seu financiamento, ou adicionar ou remover alguém do seu empréstimo ou financiamento existente.

O que acontece quando você refinancia?

É semelhante ao processo de quando você obteve seu empréstimo ou financiamento original. Como este é um novo empréstimo, você receberá um novo número de empréstimo/financiamento e seu novo empréstimo pode ter termos diferentes do seu antigo.

Antes de entrar em contato com o credor para considerar o refinanciamento, é recomendável que você analise sua situação financeira ou obtenha um relatório de crédito profissional. De um modo geral, quanto maior a classificação de crédito que você possui, melhor será a taxa de juros para a qual você se qualifica, e mais dinheiro você será capaz de economizar. Você também precisará mostrar renda suficiente para pagar os novos pagamentos, bem como as despesas da sua casa. É importante estar atualizado em seus pagamentos do financiamento de um imóvel, carro e cartão de crédito por pelo menos os últimos doze meses quando se considera refinanciar para permanecer dentro do seu orçamento.

Quais os custos envolvidos no refinanciamento?

Assim como um empréstimo ou financiamento normal, para saber se o refinanciamento vale mesmo a pena é importante comparar o Custo Efetivo Total (CET) do refinanciamento com o CET do financiamento ou empréstimo atual. Um menor CET significa menores custos de juros totais, e mais dinheiro sobrando na carteira.

Refinanciamento ou pegar empréstimo para consolidar

O refinanciamento ou o uso de um novo empréstimo podem ser boas opções para quitar suas dívidas com juros ou parcelas mais vantajosas para seu bolso. (Foto: Credit.com)

Novo empréstimo para quitar financiamento ou outro empréstimo: como funciona?

Para quitar suas dívidas de financiamento ou empréstimo atuais, uma pessoa pode usar a portabilidade de crédito ou obter um novo empréstimo com condições mais vantajosas para quitar as dívidas existentes. O principal motivo para considerar esse novo empréstimo é ter pagamentos mais acessíveis, com juros e condições melhores de pagamentos do que um refinanciamento do empréstimo. É também a opção usada para quem ainda não tem um mínimo de 20% a 30% de capital já pago pelo empréstimo iu financiamento, o que automaticamente exclui uma pessoa da possibilidade de refinanciamento.

O que posso alterar conseguindo um novo empréstimo para pagar meu financiamento ou dívida atuais?

Buscar um novo empréstimo significa modificar completamente as condições de seu financiamento ou empréstimo atual. Isso pode incluir a redução da taxa de juros ou a mudança do regime de pagamento para SAC ou PRICE, por exemplo..É possível também reduzir ou aumentar o número de parcelas do empréstimo, facilitando as condições de pagamento.

Vale sempre lembrar: antes de confirmar o novo empréstimo, compare o CET do seu financiamento ou empréstimo atual para garantir que os valores do novo empréstimo são mais vantajosos.

Refinanciamento ou novo empréstimo: o que sai mais barato?

Depende muito. Geralmente, um refinanciamento possibilita mais o aumento do número de parcelas de um financiamento ou empréstimo do que a redução do CET. Mas por exemplo, quando a taxa SELIC cai e os juros dos bancos também caem como consequência, se você obteve um financiamento ou empréstimo com uma SELIC mais alta, talvez você consiga refinanciar com taxas de juros mais vantajosas quando ela baixar. É sempre bom ir comparando para ver quando é um bom negócio refinanciar. Se os juros baixaram mas você não tem ainda um valor mínimo pago pelo seu empréstimo ou financiamento, pode haver a opção da portabilidade de crédito ou obtenção de um empréstimo/financiamento em melhores condições, apesar de poder ser um pouco mais difícil isso.

Em ambos os casos, refinanciamento ou novo empréstimo, é possível aumentar ou reduzir as parcelas que ainda são devidas. Isso pode resultar em parcelas menores no financiamento/empréstimo, o que pode aliviar um pouco no bolso todos os meses. Porém, é importante lembrar que mais parcelas podem significar mais juros sendo pagos, e menos parcelas, menos juros. Avalie bem sua situação financeira para conseguir pagar o maior valor possível nas parcelas e quitar sua dívida o quanto antes.

O que você prefere fazer: refinanciar ou obter novo empréstimo? O que é melhor para suas finanças? Já teve que refinanciar ou obter um novo empréstimo?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)