Os investidores que não tem nem o tempo nem a paciência para gerir ativamente o seu dinheiro tem opções. Eles podem contratar um consultor financeiro, um corretora de valores, ou investir em um fundo mútuo ou um fundo negociado em bolsa. Mas como é que um investidor sabe qual a melhor aplicação financeira? Há várias coisas a considerar ao decidir os melhores destinos e para seu dinheiro, seja ele gerenciado por você mesmo ou por terceiros.

Quais são os custos iniciais do investimento?

Uma consideração importante para muitos investidores é o quanto vai custar para entrar em um determinado investimento. Títulos do tesouro, por exemplo, podem ser comprados em partes de cada vez, de modo que o investimento mínimo é geralmente insignificante. No entanto, muitos fundos mútuos têm mínimos para abrir uma conta. Para muitas pessoas, especialmente os investidores mais jovens, pode ser difícil obter o investimento inicial de mais de R$1000, muito comum nos melhores fundos e investimentos.

Os fundos de alto risco, geralmente, tem um valor inicial de investimento ainda mais alto. Muitos fundos de alto risco exigem que seus investidores tenham um valor mínimo líquido em investimentos e um patrimônio líquido mínimo e/ou um fluxo de renda considerável, para iniciar os investimentos. Geralmente, os fundos com retorno mais moderado tem custos iniciais de R$20.000.

Quais são os custos de corretagem e administração do investimento?

Muitos investimentos carregam custos de transação que variam de acordo com tipo de aplicação financeira. No entanto, em muitos casos, os custos totais são bastante pequenos, geralmente menos do que 2% do total aplicado. Enquanto isso, os serviços de consultoria de investimento e empresas de gestão de dinheiro geralmente cobram 1-2% do total de ativos por ano dos clientes em taxas de administração e consultoria. Além disso, taxas de corretagem são normalmente cobrados; portanto, nos retornos anuais, um investidor deve obter retorno suficiente maior de 5% por ano para pagar as contas. Isso sem contar que seu retorno sobre o investimento deve ser acima da inflação, mesmo depois de descontado o imposto de renda sobre o retorno líquido do investimento.

Os fundos de investimento também podem cobrar grandes taxas. Enquanto tais taxas podem variar dependendo de como são estruturados os fundos, juntamente com as taxas de performance, a gestão do fundo de investimentos pode acabar tomando até 5% de seus retornos. Os fundos de alto risco, por exemplo, normalmente cobram taxas de administração anuais de 1-2%, cobrando taxa de performance similar de acordo com o desempenho.

Em qualquer caso, o truque é descobrir se essas taxas realmente valem a pena. Em alguns casos, uma empresa que cobra taxas elevadas também pode gerar retornos muito elevados para os seus investidores. No entanto, isso nem sempre é assim e, na maioria dos casos, os custos elevados apenas corroem retornos dos investidores, sendo necessário que você calcule bem o retorno sobre seu investimento antes de aplicar seu dinheiro.

Diversificação de investimentos

Diversificar é a palavra chave para que você sempre encontre os melhores destinos para seu dinheiro, independente do tipo de investimento procurado. (Foto: metalrealestate.com)

Qual é o seu horizonte de investimento?

Ao decidir aplicar em um ou outro investimento, o investidor deve ter uma ideia do tempo e dos objetivos que ele tem com um certo investimento. De nada adianta saber qual o melhor investimento sem que você tenha em mente onde este investimento será usado no futuro.

Fundos de investimento tem uma faixa bem ampla de tipos de investimentos, desde curto a longo prazo. Letras de crédito do tesouro nacional tem um horizonte de mais longo prazo, com algo em torno de 5 anos. Ações, salvo quando o investidor tem conhecimentos avançados e quer trabalhar com o day trade, são sempre de longo prazo.

O investidor inteligente, sabe que tem que ter objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo, diversificando seus investimentos para ter retornos e objetivos atingidos nestes três horizontes.

Qual sua tolerância ao risco?

Os melhores investimentos financeiros envolvem sempre algum grau de risco. Este é certamente um problema, pois é o que define a volatilidade dos seus investimentos. Alguns fundos mútuos são construídos para diversificar o risco, de forma a minimizar sua volatilidade. No entanto, muitos fundos de investimento também estão altamente concentrados em um setor particular. Isso pode aumentar o risco de investimento e te deixar vulnerável a certas variações em um dado mercado.

Assim como horizontes de investimento, existem três tipos de risco: risco de mercado (variações no próprio mercado do investimento. Ex.: indústria petrolífera), risco de crédito (contraparte não cumprir suas obrigações. Ex.: debêntures), e risco de liquidez (dificuldade em vender os ativos. Ex,: imóveis). Cada um destes riscos pode ser baixo, moderado ou alto. A diversificação no risco dos investimentos, em conjunto com objetivos de investimentos bem definidos, vai te deixar menos vulnerável à variações, e você poderá aplicar em investimentos de maior risco com mais segurança, o que possibilitará um maior retorno no longo prazo.

Ponto de partida

Não existe uma resposta padrão para qual o melhor tipo de investimento. Considerar as várias opções do mercado financeiro é o ponto inicial para qualquer investidor, e a lista abaixo pode ajudar investidores iniciantes a decidirem seus melhores investimentos. Perceba que investidores com conhecimentos mais avançados podem investir em quase qualquer área, mas investidores iniciantes devem tomar um cuidado especial.

  • Quais são os melhores investimentos?

Habitação. Sem dúvida, o melhor investimento global para a maioria dos brasileiros tem sido suas casas. Habitação mantem um ritmo de valorização acima da inflação. Um plano de investimento simples a seguir é fazer com que a compra de um imóvel seja sua primeira prioridade de investimento.

Imóveis para alugar. Imóveis para alugar não são para todos, e alguns acabam tendo mais custos do que retornos. Para ser um senhorio, você precisa de uma personalidade forte e estar disposto a expulsar alguns inquilinos inadimplentes ao longo do tempo, além de estar sempre disposto à manter o imóvel em bom estado de conservação. No entanto, um dos aspectos atraentes do aluguel é que o investimento inicial não é tão grande assim em muitas áreas do país, principalmente com incentivos do governo. Além disso, uma vez que a propriedade é alugada a inquilinos, você terá dinheiro extra para pagar a hipoteca ou o financiamento do imóvel.

Fundos de investimento. Todo o conceito de fundos de investimento é projetado para atrair o investidor médio. A união de um grande número de pequenos investidores para comprar uma ampla diversidade de ações e outros valores mobiliários é uma maneira simples de repartição dos riscos. Os fundos mútuos são bons investimentos porque permitem pequenos investimentos incrementais, fornecem gestão de investimentos profissional, e permitem grande flexibilidade através da transferência dos fundos entre uma variedade de ativos de investimento.

Seguros. Com o benefício de proteção ao mutuário e ainda rendimentos atraentes, muitos seguros de vida, seguros habitacionais e seguros de renda tem se tornado mais atraentes. É, contudo, necessário saber que seguros são para gerir riscos, e não tanto para obter lucros.

Planos de aposentadoria empresariais. Uma grande vantagem com planos de aposentadoria patrocinados pela empresa é que, geralmente, você estará livre de impostos ou poderá descontar impostos da Previdência Privada VGBL ou PGBL. Além disso, muitas empresas “completam” seu fundo de previdência privada pagando uma porcentagem do que você aplica no fundo ou pagando sua totalidade, o que torna este investimento praticamente sem custos para o investidor.

Títulos do tesouro. Embora os títulos emitidos pelo governo possam não ter os melhores desempenhos, eles são, sem dúvida, os mais seguros sendo, inclusive, mais rentáveis que a grande maioria dos planos de previdência privada.

  • Quais são os piores investimentos?

Commodities. Comércio de commodities é a compra e venda de bens, tais como minério, petróleo e soja, para entrega futura. A menos que você tenha a absoluta convicção de que o investimento é garantido, que você acompanha o mercado de commodities já há bastante tempo e é um especialista na área, commodities devem ser evitadas a todo custo.

Parcerias. As parcerias financeiras mais comuns são sociedades limitadas, o que significa um acordo contratual de um sócio geral e um ou mais sócios limitados. A intenção é limitar a responsabilidade dos sócios a apenas os seus investimentos financeiros. Mas por causa dos impostos, raramente os investidores recuperam seus investimentos iniciais no período de tempo proposto originalmente, principalmente se o investidor não fez um plano de negócios apropriado, o que pode levar mesmo é à falência.

Paraísos fiscais. Paraísos fiscais são usados ​​principalmente para adiar o imposto de renda. Geralmente, as únicas pessoas que podem ter rentabilidade ​​em investimentos abrigados dos imposto são aqueles que têm uma grande quantidade de renda passiva, em vez de rendimentos do trabalho. Assim, para o investidor médio, paraísos fiscais não são recomendados.

Pedras preciosas. O diamante em seu dedo não é um investimento, é uma lembrança. A maioria dos especuladores de pedras preciosas novatos costumam comprar caro e vender barato. Investir em pedras preciosas e semi preciosas é para quem tem nervos de aço, força no coração, e para os ricos. Raramente investidores fazem qualquer dinheiro em pedras preciosas, a menos que sejam parte de um pequeno grupo de profissionais especializados e com fornecedores extremamente baratos.

Colecionáveis. Moedas, selos, livros, porcelanas, obras de arte, e outros itens exclusivos podem ser bons investimentos para os compradores experientes que tomam o tempo e esforço para se tornar proficientes em seu tipo de comércio. No entanto, para o investidor comum, o mercado de colecionáveis é extremamente limitado e lento, não valendo a pena o tempo nem o esforço quando comparado com as recompensas financeiras de investimentos de renda fixa, por exemplo.

Ações. Embora os conhecedores e investidores profissionais possam fazer e ganhar dinheiro regularmente em ações ordinárias, os investidores comuns não estão equipados para especular com precisão sobre quais ações vão ir bem e quais não vão. Se o investidor médio vai investir em uma ação comum, deixá-la por 10 anos, e não tocá-la, ele provavelmente terá um investimento que vai acompanhar a inflação e talvez até ganhar 3 ou 4 por cento. Mas, raramente os investidores comuns conseguem isso. Eles geralmente tentam mover seus investimentos de ação para ação, afim de colher os benefícios máximos. Uma vez que eles não são profissionais e seu conhecimento é limitado, a maioria acaba fazendo pouco e, em muitos casos, perdem seu investimento inicial.

Considerações Finais

Embora cada caso tenha de ser analisado individualmente, podemos apresentar estas informações que sugerem instruções básicas de investimento, com base no desempenho passado e nas dicas dos especialistas. Nós não estamos sugerindo parar você investir no melhor e evitar o pior. Nós só propomos que você considere estas conclusões e responda a todas as perguntas acima antes de fazer suas decisões de investimento.

Você sabe fazer investimentos? Quais são os melhores investimentos na sua estratégia? Por que escolheu essa estratégia?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)