Pense nos anos que você já teve de trabalho. Em todas as horas que você passou pensando em quando você poderia descansar e finalmente, curtir sua aposentadoria nos mais diversos lugares do mundo. Agora reflita de novo e pense também nas coisas boas que o trabalho te trouxe. Será que você está disposto a continuar trabalhando com uma empresa própria após se aposentar?

Aversão ao risco

Digamos que você sempre foi um investidor conservador ou sequer investiu seu dinheiro em alguma coisa. Não que isso seja de todo ruim, só que você não vai ter muitos recursos para curtir na sua aposentadoria. De repente, você resolve investir naquele bar que tanto sonhava. Baixos custos, diversão com os amigos. Não tem muito como dar errado.

O problema é que tem sim.

Cada vez mais os aposentados, principalmente aqueles que tem um perfil de aversão ao risco, buscam empresas após se aposentarem para fazerem seu dinheiro render mais. Acontece que o perfil de aversão ao risco é uma coisa global, e não pontual. E qualquer empresa tem que admitir um certo grau de risco para ser bem administrada. Ao entrar no mercado extremamente competitivo, com milhares de jovens que estão também tomando a mesma decisão de investimento em uma empresa própria, geralmente o aposentado não terá a mesma energia e conhecimento de gestão de risco ou tempo para arcar com prejuízos iniciais antes de conseguir lucros. O resultado, mais do que frequente, é de uma grande quantidade de aposentados perdendo o dinheiro de suas poupanças de aposentadoria em investimentos ruins.

A urgência e o pulo de etapas

Quando você está aposentando, principalmente quem sempre foi conservador, o conhecimento da gestão de risco é muito pouco para poder abrir uma empresa com mais segurança. Se você sempre diversificou investimentos ou sempre foi um investidor mais agitado, provavelmente você tem um conhecimento bom de gestão de riscos. Mas na maioria dos casos, não é isso que acontece.

Os aposentados conservadores investem em empresas para prazer próprio ou para complementar a renda, mas sem despender o tempo necessário para analisar concorrentes, fazer um bom plano de negócios, separar um capital de giro para a empresa, escolher uma boa equipe. Tudo isso é deixado de lado. Mesmo quando não é deixado de lado, dificilmente um aposentado tem o tempo disponível para se recuperar de um prejuízo, pois, apesar da gestão de riscos, uma empresa ainda é um investimento de alto risco, independente do mercado, da oportunidade ou do planejamento.

Cuidados com a aposentadoria

Aposentadoria é o momento de colher os frutos de investimentos e não de plantar sementes para todo lado. (Foto: blog.equifax.com)

Uma luz no fim do túnel

Para que realmente uma empresa seja um bom investimento após a aposentadoria, você não pode ver ela como sua última esperança de bons recursos financeiros no fim da vida, o que não significa que você não pode investir nela. Só significa que você deve tomar muito mais cuidado e provavelmente evitar ser o sócio majoritário da empresa.

Mesmo após a aposentadoria, você tem que continuar diversificando os investimentos. Só que não poderá alocar tantos recursos para grandes riscos, como uma empresa. Terá de buscar mais investimentos de risco moderado e baixo, por mais experiente que você seja como investidor. Sim, oportunidades de negócios sempre aparecerão, grandes lucros também, assim como as bolhas. Muitos dos riscos são previsíveis, mas alguns deles estão longe de serem possíveis de escapar.

Posso investir então na minha empresa após me aposentar?

Se for parte de sua política de diversificação de recursos e você não for o principal investidor e força motriz da empresa, não há motivos para não investir. Agora, se o contrário é verdade, você talvez não tenha a energia e muito menos os recursos para tocar uma empresa. Assumir um certo grau de risco é prudente. Levar todos os seus recursos para um investimento arriscado, não.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)