Como o FIES precisa da participação através de um processo seletivo, muitos estudantes que também precisam de algum tipo de financiamento para seus estudos acabam não sendo contemplados. Isso pode atrasar os planos para um diploma de ensino superior e uma vida mais estável. Porém, há alternativas que podem te salvar de entrar em muitos débitos ou não ser capaz de pagar sua faculdade.

Se no seu caso você é um egresso do ensino médio da rede pública ou foi bolsista integral em uma rede de escolas particulares, com uma baixa renda per capita na família (até 3 salários mínimos), você pode fazer o Enem – Exame Nacional do Ensino Médio, tirar uma boa nota e se garantir com o Prouni. O objetivo do Programa Universidade para Todos – Prouni é conceder bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. Para as instituições, elas ganham algumas isenções fiscais por participar do programa.

Mas se seu caso não se encaixa no perfil acima, ainda há esperanças. Com o mercado de crédito brasileiro crescendo, assim como a grande expansão das Instituições de Ensino Superior no Brasil, começa a acontecer uma oferta de crédito estudantil que antes não havia. Alguns bancos já estão entrando com financiamentos focados para os estudantes que desejam continuar ou começar seus estudos.

Dinheiro para quem quer estudar

Não é só de programas do governo que são feitos os financiamentos estudantis. Muitas instituições privadas já buscam este mercado, com taxas e condições bem competitivas. (Foto: educar-se.com)

Para saber se seu banco tem disponível uma linha de financiamento para seus estudos, você deve se sentar com seu gerente e explicar sobre sua situação, assim como também expor suas finanças. Ele vai com certeza te oferecer o produto que mais se adeque ao seu perfil. Lógico, as taxas serão um pouco maiores que com o FIES. E você deve calcular muito bem o quanto compensa o diploma em seu plano de carreira. Este tipo de empréstimo também acabará demandando um pagamento mensal, menor do que a mensalidade, mas que pode compensar no longo prazo.

Uma outra opção, mas esta requer um maior planejamento, é fazer uma conta poupança para pagar sua faculdade de uma só vez quando ela começar. Demanda um maior tempo, mas se você está lendo isso pode já começar. Mesmo que seja apenas um ano de poupança, já pode fazer uma diferença nos primeiros meses de pagamento.

É necessário que você faça um planejamento cuidadoso dos custos da mensalidade e o impacto em suas finanças. Além dos bancos, existem instituições financeiras e fundações que também tem programas de financiamento. Sua própria faculdade pode te recomendar várias, através dos convênios que eles tem. Basta entrar em contato com a secretaria de seu curso para saber mais informações.

Lembre-se sempre que quanto mais opções de financiamento você tem, mais fácil ficará para negociar condições, prazos e taxas de juros. Pode demorar um pouco para encontrar a melhor opção, mas este tempo investido pode ser a diferença entre gastar todo seu dinheiro em uma faculdade ou ter um pouco para respirar e poupar para quando você se formar.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)