Chega o fim do ano, os filhos pedem presentes, aquela sua tia de terceiro grau virá para a ceia de Natal, a família precisa trocar de carro…E tudo isso se agrava com a chegada do Natal, o maior símbolo do consumismo anual. Você começa a se contagiar com os sintomas desta época generosa. Seus dedos coçam. Aquela linha de crédito pessoal no banco se torna cada vez mais atrativa e sedutora. Os olhos brilham. E quando você vê, acaba entrando em mais uma dívida.

Os perigos do ano novo

Tudo estaria muito bem se o mundo acabasse no dia 31 de dezembro após você pegar seu empréstimo. Acontece que isso, apesar de todas as promessas apocalípticas, não vai acontecer tão cedo. E o início do ano vai chegar de novo.

Junto com o início do ano, vem IPVA, IPTU, DPVAT, taxa de licenciamento, declaração de imposto de renda, aumento no aluguel. Já parou para fazer as constas e cogitar, pelo menos, que talvez você não vá ter dinheiro para honrar todos os pagamentos? Inclua aí uma viagem ou compras não planejadas de fim de ano e no Natal seguinte você ainda estará arcando com dívidas deste Natal.

Por que não pegar um empréstimo no Fim de Ano?

Salvo o caso em que você esteja sem roupas, um eletrodoméstico essencial da casa não funciona mais, sua cama mofou, uma emergência de saúde aconteceu na família, um empréstimo deve ser evitado a todo momento.

Empréstimos são linhas de crédito emergenciais. São utilizadas quando você não tem mais nenhuma opção e precisa daquele dinheiro urgentemente. Vou tentar dar um exemplo prático e não tão dramático abaixo.

Este ano eu resolvi tentar mestrado. Para isso, teria de parar de trabalhar um pouco para me dedicar aos estudos. Tinha um fundo de emergência muito pequeno para me sustentar durante este tempo, mas mesmo que não passasse, precisava tentar para me acostumar com a rotina de estudos e provas. Estudei, não passei (mas aprendi muito e tentarei novamente ano que vem) e acabei sem dinheiro no fim do mês. Para isso, peguei um empréstimo, mas só o fiz após planejar o pagamento. Pagarei todos os meses do ano que vem 50% a mais das parcelas para me ver livre da dívida mais cedo, além de investir em um fundo de emergência para a próxima época de provas de mestrado. Já estou estudando para o próximo exame e me mantendo informado para estar melhor preparado e não ter que depender de um empréstimo novamente.

Foi uma situação emergencial, pois demorei para tomar a decisão de fazer o mestrado. Poderia ter esperado o ano que vem e não ter assumido a dívida. Muitas coisas influenciaram minha decisão. E no fim de ano, pode ter certeza absoluta, a proximidade com uma data tão solene como o Natal vai alterar muito sua percepção das coisas.

Fim de ano sem dívidas

Natal com dinheiro ou a falta dele. A escolha é sua e um empréstimo só irá te roubar dinheiro no médio e longo prazo. (Foto: www.oneloansource.com)

Os bancos e as taxas de juros

Nesta época do ano também não é só o comércio que lucra. Já parou para pensar na quantidade de pessoas que usa o 13º para pagar dívidas ou que pega empréstimos neste fim de ano? Você acha que o banco terá dificuldades para bater metas financeiras?

Com mais dinheiro no caixa, o banco é quem tem a vantagem de negociar dívidas e juros. Por isso, vai ficar mais difícil de conseguir melhores juros e condições de pagamentos para um empréstimo. Agora tente pedir um empréstimo em março ou julho e compare as condições que os diferentes bancos irão te dar.

Lógico, o banco também pode querer ainda mais dinheiro e te dar boas condições. Mas novamente, quem tem a vantagem na negociação é o banco.

Fim do ano é hora de refletir e poupar

Pense diferente no final do ano. E pensar diferente significa colocar suas contas no papel, calcular como você vai sair da dívida e pensar em como você vai pagar cada um de seus credores. Reflita bem com seus familiares e até amigos, os envolva para te ajudarem a sair do débito.

Compre menos. Guarde mais dinheiro para começar o ano pagando todos os impostos a vista. Fuja da tentação do débito. Vai ser estranho no começo, talvez alguns familiares e até alguns amigos não entendam. Mas só quem vai saber a paz que isso trará para sua mente é você.

Considerações Finais

O espírito do Natal contagia. Com certeza absoluta. E não estamos dizendo para você fugir completamente deste clima. Festas com familiares e amigos, presentes (baratos) para quem é realmente importante. Você tem só que aprender a se planejar melhor e assim, começar um ano novo feliz e sorridente com o bolso cheio para todas aquelas resoluções que você fez.

Querem mais dicas de fim de ano? Comentem abaixo pedindo o que vocês querem saber!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)