Como renegociar dívidas?

Escrito na categoria "Educação financeira" por André M. Coelho.

Renegociar débitos pode ajudar a tirar o fardo financeiro de suas costas, trazendo um certo alívio. Existem algumas formas para a renegociação: negociar uma taxa de juros menor, datas diferentes para pagaemtos ou ter algum desconto no valor final.

Mas os casos são analisados individualmente. E algumas instruções podem ajudar os menos experientes antes de tentar qualquer solução desesperada.
Em primeiro lugar, você deve conhecer sua situação. Descubra quanto você realmente deve, quais são suas taxas de juro atuais e qual o pagamento total mensal. Cheque com seu gerente como diminuir tais taxas e busque outros bancos para tentar a transferência do débito.

Defina e separe uma quantidade suficiente de recursos que você pode separar para a dívida todos os meses. Se você estiver tentando diminuir as taxas de juro, descubra com seu banco ou financeira qual o valor mensal que deve ser pago para ter uma diminuição nos juros.

Renegociação de dívidas

O desespero quando estamos endividados pode nos deixar sem soluções. É hora de ficar calmo e começar a colocar tudo no papel para encontrar o melhor caminho fora do poço das dívidas. (Foto: diariorondon.com.br)

Tente descobrir as taxas de outros bancos para que você tenha informações valiosas na hora da renegociação. Nenhum banco vai querer renegociar dívidas comm um cliente que não conhece bem de sua situação e muito menos sabe que o concorrente está oferecendo melhores taxas e condições de pagamento.

Quando você sentir que a dívida está começando a sair de seu controle, antes de qualquer renegociação, ligue para o gerente de seu banco ou o responsável pelo seu financiamento. Assim fazendo, ele saberá o quão engajado no pagamento você está. Se algum imprevisto acontecer, sempre informe ao seu banco e busque formas conjuntas de solução.

Finalmente, o conselho mais importante: tente mais de uma vez. Quando a primeira tentativa não der certo, não se dê por vencido e continue tentando. Isso é especialmente verdade quando estamos falando de um débito de longo prazo, quando o cliente já está com seu nome no SPC. Os bancos sabem que a chance de pagamento destes é mínima e que são poucos os que farão esforços para este pagamento. Não seja um dos que não pagam. Isto será extremamente prejudicial para sua imagem no mercado financeiro e te prejudicará na obtenção de muitos produtos e serviços que poderiam e muito melhorar sua qualidade de vida. Seja sábio na economia e em seus gastos financeiros.

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Crédito ou débito? Esta é uma pergunta quase sempre feita ao se pagar com cartão mas é uma questão também comum na vida de muitos brasileiros. Com mais de 300 horas em cursos de finanças, empreendedorismo, entre outros, André formou-se em pedagogia e se especializou em educação financeira. Dá também consultorias financeiras e empresariais quando seus clientes precisam de ajuda e compartilha conhecimentos aqui neste site.

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Crédito ou Débito não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário