A portabilidade de crédito é mais uma vantagem oferecida aos usuários do sistema financeiro brasileiro, criando uma maior concorrência entre bancos e instituições financeiras, além de menores custos e melhores oportunidades para nós, brasileiros.

Portabilidade de crédito: o que é?

A portabilidade de crédito, no Brasil, é a possibilidade que todo brasileiro envolvido em operações de crédito tem de transferir tais transações (empréstimos, financiamentos e arrendamento mercantil) de uma instituição financeira para outra, seja o cliente pessoa física ou pessoa jurídica. O cliente tem de negociar as condições da transferência com a nova instituição para a onde a transação estará sendo transferida.

As instituições financeiras não são obrigadas a fornecer a portabilidade, sendo a transferência apenas voluntária e quando você encontrar uma instituição financeira interessada na portabilidade. Porém, se o cliente conseguir uma instituição interessada e mesmo assim, tiver a portabilidade negada, o cliente deve procurar a instituição que oferta o novo crédito e se informar sobre os motivos da não transferência do crédito.

Portabilidade de crédito: por quê fazer?

O motivo principal para transferir financiamentos e empréstimos de uma instituição para outra está nos menores custos que podem ser oferecidos pela instituição de destino. Por exemplo, se você tem uma dívida de cartão de crédito parcelada em uma instituição e consegue em outra menores custos (juros), você pode facilmente usar a portabilidade de crédito para pagar menos ou, pelo menos, tentar negociar com sua instituição atual menores juros.

O Cartão de Crédito é apenas um exemplo simples de fácil negociação, pois as taxas de juros são bem altas. Entretanto, é possível também negociar taxas de financiamentos de imóveis, veículos e até de empréstimos pessoais.

Executando a portabilidade de crédito

Uma explicação simplificada de como é feita a portabilidade de crédito. (Foto: www.focodanoticia.com.br)

Portabilidade de crédito: como fazer?

Alguns passos devem ser seguidos em ordem para podem obter todas as informações e dados necessários à portabilidade de crédito:

Passo 1: obtenha o valor total da dívida de empréstimo, financiamento ou arrendamento mercantil atual.

Passo 2: buscar instituições interessadas em receber sua dívida e oferecer o crédito pela portabilidade. Anotar todas as condições e custos desses novos créditos para comparação, principalmente o Custo Efetivo Total (CET).

Passo 3: compare todos os custos de todas as instituições através do CET (custo efetivo total) anual e mensal.

Passo 4: negocie com sua instituição financeira atual melhores condições de crédito, ou seja, menores custos em relação aos concorrentes.

Passo 5: se sua instituição atual não baixar os custos, vá para a instituição que ofereceu as melhores condições e informe valor da dívida, o número do contrato e demais dados para a nova instituição interessada.

Passo 6: aguardar e pagar em dia suas parcelas. Todo o procedimento de transferência é feito pelas instituições envolvidas. Vale lembrar que a regra é que o novo crédito/dívida não pode ser superior ao crédito/dívida anterior.

Obs.: Para casos de arrendamento mercantil, verifique se os prazos mínimos foram cumpridos, para que não haja perda dos benefícios do arrendamento mercantil. Se você ainda não for cliente da instituição que vai lhe conceder o novo crédito, ela pode lhe cobrar tarifa de confecção de cadastro para início de relacionamento, mas os custos da troca de informações e da transferência de recursos entre as instituições não podem ser repassados ao devedor. Para as operações de crédito e de arrendamento mercantil contratadas antes de 10/12/2007, pode ser cobrada tarifa pela liquidação antecipada, desde que a cobrança dessa tarifa esteja prevista no contrato. Para operações contratadas entre 8/9/2006 e 9/12/2007, para cobrar a tarifa pela liquidação antecipada, o contrato deve ter o valor máximo a ser cobrado. Para contratos formalizados com pessoas naturais, com microempresas e empresas de pequeno porte, não pode ser feita a cobrança de tarifa por liquidação antecipada.

Portabilidade de Crédito: compensa?

Sim. Mesmo que você não vá efetivar a troca de instituições, você poderá negociar com sua instituição atual melhores condições e menores custos. É também uma ótima oportunidade para que você possa aprender a negociar condições de empréstimos e financiamentos, além de conhecer melhor outras instituições no atendimento, taxas e tarifas.

Se sua instituição atual está te dando muitas dores de cabeça, tais como atendimento ruim, trocar por uma instituição que ofereça o melhor atendimento e custos iguais ou pouco maiores para o seu financiamento, empréstimo ou arrendamento mercantil, a portabilidade de crédito pode ser a chance de começar um novo relacionamento com outra instituição já com o pé direito.

Você já tentou a portabilidade de crédito? Como foi o processo? Valeu a pena?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)