Eu já comprei produtos xing-ling. Alguns não me decepcionaram e duraram por um bom tempo. Entretanto, minha experiência com eles no longo prazo foi muito mais negativa do que positiva. Ou seja, já tive muito mais produtos que estragaram e deixaram de funcionar do nada do que aqueles que continuaram funcionando perfeitamente. Mas vou explicar isso em mais detalhes, principalmente no lado financeiro.

Nem todo produto original é bom

Apesar do que as empresas querem quem você acredite, produtos originais nem sempre são sinônimos de qualidade. Existem produtos originais que tem uma qualidade extremamente questionável. Mesmo marcas reconhecidas no mercado acabam se acomodando e começam a prejudicar a qualidade de seus produtos. Porém, com a pesquisa certa em fóruns na internet, sites de vendas com opiniões das pessoas sobre os produtos comprados e incluindo o boca a boca, podemos separar o joio do trigo e encontrar quais são os produtos originais de real qualidade.

Nem todo xing-ling é um produto pirata

Quando produtos de algumas empresas chinesas começaram a aparecer no Brasil, me lembro bem que as pessoas olhavam para estes produtos com grande desconfiança. Afinal, a China era associada a produtos de má qualidade. Mas os tempos mudaram e muitas empresas chinesas passaram a oferecer produtos de ótima qualidade a preços competitivos. Novamente, o consumidor deve ter o bom senso de pesquisar bastante antes de comprar  e se arrepender da compra.

O que definimos como um produto original?

Um produto original é aquele de uma marca estabelecida no mercado ou pelo menos de uma marca que conhecemos. Além disso, são produtos que em sua fabricação há uma preocupação desde o design da embalagem até a forma como o produto é descartado.

Para que um produto chegue neste ponto, são anos de desenvolvimento. Alguns produtos chegam a demorar décadas desde o primeiro estágio de desenvolvimento no protótipo até chegarem ao modelo definitivo que chega ao público alvo. Todo esse tempo também exige recursos financeiros, recursos humanos de alto custo para a empresa que espera que aposta que o produto seja rentável. Mas às vezes, isso não acontece. E mais comum ainda são aquelas empresas que criam um produto inovador, original e único só para verem ele ser copiado por outras com uma qualidade pior e quase nenhuma preocupação com inovação, os anos de pesquisa e todas as pessoas envolvidas com o projeto. Apenas se preocupam em entregar um produto barato ao mercado.

Os segredos da indústria

Muitos produtos originais tem segredos durante sua produção que sequer imaginamos. Mesmo assim, há aqueles que insistem em dizer que alguns produtos “piratas” tem qualidade igual ou até superior a dos originais. A verdade mesmo é que os produtos originais também passam por um processo de controle de qualidade que não admite produtos “ruins” chegando às mãos do consumidor. Para um produto “pirata”, o mesmo controle é questionável.

Mesmo durante o processo de criação do produto há segredos. Por exemplo, na fabricação dos blocos de LEGO há etapas que são guardadas a sete chaves e nem sequer podem ser filmadas para documentários ou notícias.

Comprar importado

Não concordo com os preços praticados no Brasil para produtos originais. Mas mesmo assim, compro originais, só que importados. (Foto: megman.com.br)

O controle de qualidade

Voltando à questão do controle de qualidade, tive amigos que compravam guitarras chinesas com qualidade melhor do que as marcas mais famosas. Mas era uma guitarra entre várias outras. E acontecia com uma certa frequência este mesmo amigo testar o mesmo modelo de guitarra e ter um resultado completamente negativo.

Seria algo até engraçado esta experiência, não fosse o detalhe de que estas compras envolvem dinheiro. Tudo que você menos quer quando compra um produto é que ele seja aquele que vai sempre estragar. Você quer ter a sorte de ser o um em milhões que terá “o” produto pelo “melhor” preço. Porém, com um controle de qualidade ruim de produtos “piratas”, você estará lidando apenas com a sorte. Nossos leitores já sabem, melhor do que muitos outros, que depender da sorte não é algo muito sábio no mundo financeiro.

Qualidade tem preço

Tenho amigos que compraram um PC pronto, destes que vendem em grandes lojas do varejo. Meu conselho para eles era investir em um produto melhor, já que aquele que eles estava comprando era uma “cópia” mal feita de modelos norte americanos de PCs de mesa.  Mostrei para o meu amigo até que um PC montado com a mesma configuração sairia um pouco mais caro, mas teria a garantia de que cada peça comprada teria passado por um ótimo controle de qualidade, pois também recomendei apenas peças de marcas que conheço por serem boas.

O resultado? Semana passada ele passou uma hora na fila do Procon para pegar o dinheiro de volta, já que o PC vive indo para a manutenção. Teoricamente, um produto “original”, mas pirata na qualidade. Ele quis fazer uma economia e agora paga por isso.

A lição deste artigo não é apenas sobre produtos piratas e produtos originais. Fica também na mania do brasileiro em querer tirar vantagem de tudo. Lógico que muita coisa no Brasil é muito mais caro que lá fora e comprar lá é quase sempre melhor. Mas o que custa esperar um, dois meses ou até mais para ter um produto de real qualidade e que você sabe que vai durar mais tempo? Além disso, a dor de cabeça de ter que ir ao Procon, reclamar do produto, levar de volta pro lojista, entrar em contato com suporte técnico vão acabar custando muito mais dinheiro do que você imagina.

Já fui muito criticado por sempre preferir comprar produtos mais caros. Mas raramente me arrependo das minhas compras e mais raramente ainda, tenho problemas com os produtos que compro. Quando tenho, é porque optei por comprar de menor qualidade por um menor preço. E cada vez que passo por estas situações, repito o mantra na minha cabeça: qualidade tem um preço. Qual qualidade você está disposto a pagar agora?

Eleja prioridades de gastos e assim, você sabe onde sempre irão seus maiores investimentos. Minha prioridade está em ferramentas de oficina mecânica, meu hobby. E a sua prioridade? Compartilhe nos comentários!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)