Perder o emprego já é ruim o suficiente, mas quando junta com uma dívida do cartão de crédito, é uma grande brincadeira de mau gosto. Esse estresse financeiro pode dirigir as pessoas para decisões potencialmente destrutivas. Por exemplo, você pode considerar acabar com seu fundo de emergência ou aposentadoria para pagar a sua dívida, pode querer buscar a ajuda de uma financeira, com altos juros consignados, ou até coisa pior.

Não deixe o desespero tomar conta, pois decisões financeiras em momentos de estresse não dão certo. Respire fundo, desabafe com amigos, familiares, ou um psicólogo. Assim que a cabeça esfriar, faça um balanço financeiro e comece a traçar a estratégia para pagar a dívida do cartão desempregado, sem deixar de pagar suas outraas contas.

Faça o parcelamento da fatura do cartão de crédito

Se você não tem outro emprego em mente, é importante manter algumas reservas de caixa. Mantenha seu fundo de emergência ou cheque de indenização durante a pesquisa para o seu próximo trabalho, e faça um parcelamento da fatura do seu cartão de crédito. Você vai precisar de dinheiro para que suas despesas diárias ou uma emergência inesperada não te force a adicionar custos em seus cartões de crédito. Se você tem uma linha de crédito de baixos juros, com crédito suficiente para quitar seu cartão de crédito, use a linha de crédito ao invés do parcelamento do cartão.

Como pagar cartão de crédito desempregado

No momento do desemprego, a decisão mais inteligente é reduzir os gastos ao máximo, inclusive no pagamento do cartão de crédito. É possível continuar pagando, tomando alguns cuidados importantes. (Foto: divulgação)

Atualize seu emissor do seu cartão de crédito e bancos sobre a perda do seu emprego

Ao conversar com seu gerente, ou emissor do cartão de crédito, eles podem ser capazes de reduzir seus juros, ajudar a mudar sua data de vencimento, ou mesmo suspender temporariamente seus pagamentos.

É importante ser honesto e apresentar possíveis soluções ao conversar com seus credores. Para eles, a inadimplência é péssima, e eles vão querer te ajudar. Sua a comunicação irá torná-los mais propensos a ser flexíveis com sua situação.

Você também deve verificar para ver se quaisquer pagamentos não relacionados a cartões de crédito ou empréstimos podem ser adiados. Embora seja altamente improvável que o seu credor vá permitir que você deixe de fazer alguns pagamentos, empréstimos estudantis muitas vezes podem ser adiados durante os períodos de desemprego. Adie o que você pode, e evite, ao máximo, ter que pagar o mínimo da fatura.

Aperte o seu orçamento para pagar a dívida do cartão de crédito

Você provavelmente tem despesas discricionárias em seu orçamento que podem ser cortadas até conseguir um novo emprego. Cortes podem incluir entretenimento caro (cinema, jogos de futebol, restaurantes, shows), alimentos preparados ou de conveniência, despesas com viagens e transporte, etc.

Isso não significa que você precisa para viver como um eremita e abster-se de se divertir. Escolha alternativas mais baratas para as coisas que você ama, como ver shows gratuitos em sua cidade, em vez de pagar por bilhetes para concertos, ou cozinhe as refeições de seu restaurante favorito em casa. Aprenda a investir dinheiro onde você gasta o seu tempo, e economize dinheiro ao fazer isso.

Economize quando estiver desempregado

Este também é um bom momento para cortar coisas que você não quer em seu orçamento. Cancele assinaturas que você não está usando, ligue para seu banco e negocie taxas. Aprenda a fazer algo que você normalmente tem que pagar (pintura, encanador, pedreiro, etc), ou se livre de seu carro se você vive em um lugar ideal para usar o transporte público, bicicleta, ou até ir a pé para o trabalho.

Durante esse período de economia, você também deve ter como objetivo aumentar o seu rendimento. Use suas habilidades, venda seu material não usado, ou procure trabalho temporário para trazer dinheiro extra. Classificados online, e sites de freelancing são duas ótimas oportunidades para começar. Vender doces e salgados na frente de escolas e universidades também é uma boa forma de conseguir dinheiro. Além do mais, essa prática vai te ajudar a desenvolver habilidades de venda essenciais para qualquer novo emprego que você conseguir.

Investindo durante o desemprego

Evite abrir uma empresa durante o desemprego. Espere a situação financeira estabilizar e você ter 100% de certeza que consegue se manter por, pelo menos, 1 ano. É necessário planejar a abertura da empresa, para que você não acabe gastando nela mais do que tem. Espere um pouco, seja paciente. Busque investimentos de baixo risco e alta liquidez, tais como poupança e CDB. Espere acabar com as dívidas para investir em uma empresa, mas não pare de procurar um emprego.

Quando sobrar algum dinheiro, use para ir quitando os empréstimos e o cartão de crédito. Quanto mais cedo você quitar suas dívidas, mais cedo você terá dinheiro para voltar a investir em sua vida pessoal, financeira, e profissional.

Não pegue empréstimos com financeiras para pagar dívidas

Se você precisar de dinheiro extra emergencial, considere um empréstimo pessoal ou empréstimo de um ente querido. Tente ir para a opção com os menores juros possíveis, e as menores parcelas, para te estabilizar até arrumar um novo emprego. Juros altos de financeiras, ou empréstimos consignados, devem ser evitados ao máximo.

Considerações Finais

Lidar com a dívida do cartão de crédito e a taxa de desemprego é difícil, mas você pode tornar esse processo mais fácil. Mantenha suas reservas de dinheiro existentes, converse com seus credores, ajuste seu orçamento e tente não sucumbir à tentação do dinheiro fácil, mas caro. Uma vez que você esteja empregado novamente, faça um plano para se livrar de sua dívida para que você nunca tenha que lidar com esta situação novamente.

Você já teve que pagar fatura do cartão de crédito desempregado? Como fez para efetuar os pagamentos?

Um comentário para “Estou desempregado! Como pagar a fatura do cartão?”

  1. Elias Leonardo Da.silva

    Otima opção para quem perdeu o imprego valeu mesmo parabéns

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)