Encontrar o melhor empréstimo de melhoramento da casa requer um pouco de reflexão e de algumas investigações de sua parte. Além de uma baixa taxa de juros, você deve olhar atentamente para os outros termos oferecidos por diferentes credores. Você deve obter algum feedback de amigos e conhecidos ou outras informações sobre como as peças lidam e os resultados destes empréstimos. Além do mais, um empréstimo tem que ser muito bem pensado e planejado antes de você assinar o contrato.

Como planejar a reforma da casa com ou sem um empréstimo?

Decida exatamente o que você quer realizar, acrescentando os detalhes que você é capaz de conceber. Por exemplo, decidir se você gostaria de uma nova cozinha é insuficiente para descrever o projeto. Você precisa saber se gostaria de bancadas de granito sólido ou você está feliz com madeira MDF. O custo varia com a qualidade do material e complexidade da reforma. Adicione o máximo de detalhes possível para todas as reformas que você quer fazer.

Como fazer o orçamento da reforma de sua casa?

Ao menos que você está fazendo todo o trabalho sozinho (geralmente não recomendado), fale com pelo menos, três empresas ou profissionais que trabalham com reformas. Anote todos os valores, pergunte sobre materiais opcionais e mais. Seja o mais específico possível para receber as estimativas de custo válidos e que não serão muito diferentes do custo final. É de extrema importância que o contrato a ser negociado não seja por pagamento de horas trabalhadas, mas sim, pelo serviço completo feito.

Orçamento da reforma da casa

Para reformar sua casa, muito tempo será gasto, desde o início do planejamento até a execução do projeto. (Foto: casa.abril.com.br)

Não negligencie a investigar minuciosamente todos os prestadores de serviço potenciais de melhoria de casa. Obtenha referências e informações de terceiros para verificar sua honestidade e qualidade do trabalho. Como os preços de produtos e materiais podem aumentar rapidamente, é importantíssimo que o grupo ou profissional contratado esteja sempre disponível para o esclarecimento de dúvidas.

Como financiar a reforma da sua casa?

Use a internet para pesquisar bancos e instituições financeiras que tem empréstimos e financiamentos para reformas de residências. É importantíssimo que você tenha em mãos um valor máximo e mínimo do total da reforma de sua casa, para fazer dois orçamentos e poder colocar o risco de custos mais altos em seu planejamento.

Taxa de juros e condições de pagamento do empréstimo são as coisas mais importantes de um financiamento ou empréstimo. Avaliar cuidadosamente os custos adicionais, assim como o valor total do empréstimo. Lembre-se que uma reforma tem um “tempo útil de vida” de até 5 anos, o que pode possibilitar uma maior flexibilidade nas parcelas. A CAIXA é líder no mercado com as melhores condições. Porém, outros bancos podem até não fornecer um juro menor, mas podem adicionar um seguro para sua residência sem custos adicionais altos.

Depois de avaliar diferentes bancos, instituições financeira e programas de empréstimo, selecione dois ou três que gostou mais. Então, faça a verificação online de pessoas que usaram os serviços destas instituições. Saber de dores de cabeça e problemas que eles enfrentarem podem fazer que você evite entrar em um problema.

Devo usar um empréstimo pessoal para reformar minha casa?

O certo a se fazer é criar um fundo de investimento de baixo risco para uma reforma a cada 5 anos, pelo menos. Porém, sabemos que pouca gente faz isso. Esse fundo deve ter a ele destinados cerca de 5% de seu salário, para que você tenha dinheiro suficiente ao final de 5 anos para negociar melhores condições de pagamento à vista pela reforma.

Qualidade dos materiais

Ao fazer um orçamento antes de pegar um empréstimo, não poupe demais nos materiais ou você poderá ter mais custos com a manutenção de sua residência. (Foto: mebermetais.blogspot.com)

Antes de fazer o empréstimo também, você pode tentar financiar diretamente com quem será contratado para o serviço, o que pode resultar em menores juros. É necessário, porém, que você compare as parcelas do empréstimo/financiamento e do parcelamento com o prestador de serviços para ver qual fica mais em conta.

Se possível, tente dividir a reforma em etapas e faça um pagamento gradual, começando pelas partes mais urgentes, como cômodos que apresentam problemas estruturais.

Tente não prolongar demais um empréstimo e limite o pagamento do mesmo para no máximo, em 12 meses. Limite o valor das parcelas a até um máximo de 7% de seu salário para que os custos não fiquem muito altos. Tente juntar algum dinheiro antes de fazer a reforma e evite vender veículos e/ou propriedades para fazer a reforma: ela dificilmente adiciona o valor equivalente do investimento feito ao valor final do imóvel.

Lembre-se que o empréstimo deve ser a última opção, após muita pesquisa. Se ficar alguma dúvida, não deixe de perguntar no espaço de comentários abaixo.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)