Veja bem: Bolsa Educação é uma terminologia que tem sido usada com frequência para golpes oferecendo benefícios similares ao Bolsa Família. Porém, Bolsas para educação são também comuns em instituições de ensino, dando descontos em mensalidades ou a isenção destas para alguns alunos, deste que eles atendam à alguns critérios. Que esse cuidado seja bem destacado antes de começarmos a falar sobre como conseguir estes benefícios.

Já o Crédito Educativo, tal como o FIES, é uma forma de financiar total ou parcialmente seus estudos, com créditos oferecidos a juros mais acessíveis para você pagar suas mensalidades. Há critérios que devem ser atendidos pelos interessados neste tipo de financiamento, e ele pode não financiar 100% da sua educação. Vamos entender melhor como cada um funciona.

Bolsa Educação: como conseguir?

Não existe nenhum programa do governo que se chame Bolsa Educação. Há, porém, algumas instituições de ensino privadas que oferecem Bolsas parciais ou totais, desde que o aluno atenda à alguns pré-requisitos. Tais pré-requisitos geralmente envolvem um cadastro na instituição de ensino, comprovação de renda, desempenho acadêmico, resultados de provas. Em alguns casos, a Bolsa pode estar envolvida com a transferência do curso que você está para o curso da instituição de ensino de destino. Há outros critérios que você pode (e deve) verificar com cada instituição de ensino nas quais você gostaria de obter os descontos.

Os documentos que você vai precisar, geralmente são:

  • Documento de identificação com foto;
  • CPF;
  • Comprovante de endereço;
  • Comprovante de renda;
  • Histórico escolar;
  • Resultados de provas, testes e vestibulares.

Estas Bolsas são muito comumente oferecidas por instituições de ensino com vagas ociosas, de forma a manter o maior número de estudantes na instituição pagando pelo menos uma parte dos custos com os estudos e ajudando a instituição a se manter funcionando.

Vale lembrar: muitas vezes, mesmo quem já está estudando pode se candidatar para Bolsas Educacionais. Verifique, porém, antes de se candidatar.

Como pagar pelos seus estudos

Se você não pode se candidatar ao Crédito Educativo do Governo, procure instituições financeiras privadas para financiar seus estudos de forma barata. (Foto: www.fnu.edu)

Cuidado com os Golpes do Bolsa Educação

A não ser que a bolsa esteja sendo oferecida por uma instituição de ensino reconhecida pelo MEC, você não deve assinar, pagar ou confiar qualquer informação à quem está oferecendo este benefício. É um golpe e que tem ganho certo destaque nos últimos anos. Não se arrisque e denuncie qualquer oferecimento desse tipo de “Bolsa Educação” à polícia imediatamente.

Crédito Educativo: o que é?

O Crédito Educativo ganhou muita popularidade nos últimos anos, principalmente pela alta procura daqueles que querem financiar total ou parcialmente seus estudos a juros mais acessíveis. Este é sim, um programa do governo que envolve diversos incentivos à instituições de ensino e instituições financeiras para oferecer ferramentas de financiamento da educação, com a contrapartida das instituições investirem para manter e melhorar a qualidade do ensino nas avaliações do MEC.

Quais são as condições para participar do Crédito Educativo?

O interessado no Crédito Educativo precisa atender às seguintes condições para poder se candidatar:

  • Ser brasileiro, nato ou naturalizado;
  • Ser estudante universitário, admitido por concurso vestibular, regularmente;
  • Matriculado, no seu primeiro curso de graduação plena e que não tenha mais de duas
    reprovações em disciplinas, no período imediatamente anterior. Estudantes de cursos de
    curta duração poderão beneficiar-se do Programa, bem como os graduandos nesses
    cursos, para obtenção de graduação plena;
  • Ser economicamente carente e com bom desempenho acadêmico, na forma
    estabelecida na regulamentação do programa;
  • Não receber auxílio de qualquer fonte, para o custeio de sua mensalidade ou anuidade;
  • Preencher e entregar, no prazo estabelecido, a ficha de inscrição, que poderá ser obtida
    na Instituição de Ensino na qual se encontra matriculado;
  • Apresentar, no ato da inscrição, documentos que comprovem os dados preenchidos na
    ficha;
  • Não possuir contrato de Crédito Educativo.

Para o Crédito Educativo em instituições financeiras privadas, você precisará apresentar documentação, tais como:

  • Documento de identificação com foto;
  • CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de renda;
  • Histórico escolar;
  • Resultados de provas, testes e vestibulares;
  • Comprovante de matrícula em instituição de ensino privada.

Neste segundo caso, note que o Crédito Educativo pode ter juros maiores e condições de pagamento diferentes do Crédito Educativo subsidiado pelo governo. Deve ser sua segunda opção, caso o financiamento pelo Crédito Educativo não funcione.

Quais são os critérios de seleção do Crédito Educativo pelo FIES?

Há um cálculo do índice de classificação, que relaciona sua renda familiar, número de componentes do grupo familiar, indicadores de pagamento de aluguel ou prestação de casa própria e o salário mínimo. Quanto maior o resultado, maior a carência do estudante e maior sua prioridade para receber o Crédito Educativo.

É importante que o aluno esteja matriculado em seu primeiro curso de graduação e que não tenha mais de duas reprovações no semestre anterior. Alunos recém ingressos nas instituições de ensino podem concorrer normalmente.

O estudante precisará comprovar seus dados com documentação semelhante à para obter Crédito Educativo por instituições financeiras privadas. Tais documentos devem ser enviados para a Instituição de Ensino ou para o MEC, de acordo com as instruções dadas pelo site do FIES em seu cadastro.

Quanto eu posso financiar pelo Crédito Educativo?

O Crédito Educativo, tanto de instituições privadas quanto pelo programa do governo, poderá cobrir de 50 a 100% do valor da semestralidade ou anuidade do curso. Este financiamento dura por todo o curso e, geralmente, só começa a ser pago após você se formar (geralmente após um ano da formatura). No caso do programa do governo, você deve anualmente/semestralmente se cadastrar e atualizar seu financiamento pelo FIES. Verifique sempre o site por novas informações.

O programa do governo tem juros de 6% ao ano. O Crédito Educativo por instituições financeiras privadas pode variar nessa porcentagem. Por isso, é interessante que você procure negociar e buscar um financiamento mais acessível e barato.

Outras Informações Importantes

Caso seja necessário transferir seu curso para outra instituição de ensino, verifique se a mesma aceita a portabilidade do Crédito Educativo. Isso vale tanto para financiamentos privados quanto pelo programa do governo.

No caso do Crédito Educativo subsidiado pelo governo, o participante pode ser excluído do Programa se:

  • Ultrapassar o prazo médio para integralização do currículo de seu curso;
  • For reprovado por falta ou por média, em mais de duas disciplinas no período ou série
    em que se houver matriculado. Em caso de força maior, devidamente comprovada, poderá ser autorizada a permanência do aluno no Programa, desde que não ultrapasse o prazo máximo de duração do curso;
  • Deixar de aditar o contrato por um período letivo e não solicitar reativação no período seguinte;
  • Perder a condição de carência constatada por ocasião de sua vinculação;
  • Houver apresentado documentos inidôneos ou prestado informações falsas à Comissão de Seleção e Acompanhamento da IES quando da sua inscrição para participar do Programa;
  • Solicitar afastamento por iniciativa própria;
  • Não formalizar o aditamento ao contrato nos prazos estabelecidos pelo Programa;
  • Se, em determinado semestre, o estudante não aditar o seu contrato, poderá pedir sua reativação à CEF, obedecendo ao prazo previsto pelo cronograma semestral do Programa;
  • Aluno excluído do Programa não poderá a ele retornar, mesmo através de nova inscrição.

Considerações Finais

Tanto Bolsas de Estudos quanto o Crédito Educativo podem ser excelentes ferramentas para te ajudar conquistar seu diplome. No caso do crédito educativo por instituições financeiras privadas, você ainda pode combinar o financiamento com uma Bolsa de Estudos, algo que não é possível pelo FIES. É importante também que você se mantenha atento aos prazos e notícias do FIES, para não perder prazos e acabar expulso do Crédito Educativo. Seja disciplinado e garanta de não cair em algum golpe para te privar de educação de qualidade e barata.

Qual tipo de Crédito Educativo você usa? Conhece alguém que já passou por um golpe relacionado ao Crédito Educativo? Seu financiamento é caro ou barato?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)