Qual é a relação entre dinheiro e felicidade. Para responder a esta grande questão, precisamos quebrar o dinheiro em alguns princípios fundamentais. Através destes princípios, o dinheiro pode potencialmente funcionar a nosso favor e não contra nós. São formas de fazer com que o dinheiro realmente compre a nossa felicidade, investindo na tranquilidade do nosso dia a dia e contribuindo para colocar aquele sorriso nos nossos rostos.

Dinheiro pode comprar felicidade: investindo em experiências

Férias em Roma é algo mais glamouroso do que uma televisão nova. Mas é a psicologia por trás de escolher as experiências por trás dos seus gastos é que conta. Comprar uma TV é legal, mas não é algo que você vai lembrar pelo resto de sua vida. Já a viagem para Roma você vai aguardar ansioso pelo dia da viagem. O acúmulo e antecipação é muito mais elevado na escala de felicidade do que quando você espera para comprar um objeto.

Outra coisa sobre as experiências são as memórias que elas proporcionam. A televisão pode te dar um relaxamento após um longo dia, mas a memória do tempo em Roma, imortalizada em fotos e lembranças, proporcionará uma felicidade de longa duração que não pode ser duplicada por bens materiais.

Sem dinheiro para férias extravagantes? Basta sair para jantar de vez em quando, ou encontrar com os amigos. Mas cabe um lembrete importante aqui: compre uma experiência que você goste. Seus amigos podem ter amado uma viagem para os EUA, mas seu sonho pode ser passear pelo interior de Minas Gerais, ou comprar um dia em um spa para relaxar.

Felicidade pode ser comprada

Comprar a felicidade é possível, mas não da forma tradicional. Pense diferente e o dinheiro será sim, uma fonte de muita alegria. (Foto: blog.moven.com)

Compre a felicidade pensando nela como uma gratificação pela sua disciplina

Estamos acostumados a comprar as coisas para satisfazer nossos desejos e que, geralmente, são momentâneos. O problema principal é que poucas pessoas conseguem passar semanas, ou meses admirando uma compra para se premiarem com aquele produto ou serviço após um tempo. Isso torna o prazer da compra muito maior, e o investimento te dará mais prazer por muito mais tempo. Esse tipo de paciência também vai te ajudar a evitar as comprar por impulso, e impedir que você se acabe se endividando.

Compre tempo com seu dinheiro

Comprar tempo é um conceito interessante. Às vezes a gente compra tecnologia, porque nós pensamos que irá facilitar nossas vidas, e acabamos colados às nossas telas e perdemos o ponto de por que originalmente compramos esses itens. Comprar tempo pode significar comprar tempo pode significar trabalhar horas extras durante a semana, para não trabalhar no sábado e poder visitar a família que mora em outra cidade. Em alguns casos, comprar tempo pode significar mudar de endereço para ter um trajeto mais curto para o trabalho.

Tome como exemplo a compra de uma casa agradável em um bairro afastado. Quando você compra uma casa em um bairro, você está pensando em todos os churrascos de família, em criar seus filhos com tranquilidade. Mas o que você não está pensando é sobre o fato de que você acabou de condenar a si mesmo a duas horas de tráfego em todos os dias pelo resto de sua vida. Será que existe uma casa grande o suficiente para fazer você feliz no final de um longo dia, quando você passou duas horas no trânsito parado? Seu tempo vale o investimento, então mesmo que um apartamento central custe mais caro, quem sabe investir nele não seja uma decisão mais sábia?

Não se preocupe demais com seus gastos

Nas férias, especialmente, as pessoas não gostam de ver seu dinheiro secar. Quando você deveria estar tendo momentos de despreocupação em um novo ambiente, o dia fica estragado com toda a preocupação sobre o quanto foi gasto em um ou outro hotel, um tratamento de spa, ou passeio de montanha russa. Preocupar demais com isso só vai tornar a experiência um estresse a mais. Por isso, é bom ter um orçamento, e criar hábitos que te façam viver dentro da sua realidade financeira, para não ter que se preocupar em gastar a mais do que você deveria.

Comprar felicidade investindo nos outros

Este princípio pode ser o mais importante. Muitas vezes pensamos em dar presentes aos outros para aumentar a felicidade do destinatários. Mas pesquisas mostram que as pessoas que dão o presente ficam tão felizes ou mais felizes que o destinatário em si. Em experiências realizadas em vários países, foi mostrado que o dinheiro gasto com outras pessoas, sejam amigos, familiares, ou doações para a caridade, dão muito mais satisfação e alegria a quem dá os presentes do que quem recebe. Quem diria que comprar presentes para os outros poderia comprar sua felicidade hein?

Como você compra sua felicidade? Acha que comprar a felicidade é possível ou discorda da gente? Compartilhe sua opinião nos comentários abaixo!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)