Emergências podem acontecer, e muitas vezes podem ser bem cara. Particularmente crises como acidentes de carro, necessidades de tratamento odontológico ou médico inesperados, contas altas no veterinário, ou inundação inesperada em seu apartamento depois de uma tempestade. Se você ainda não tem um fundo de emergência totalmente construído ou foi atingido por uma emergência que o fundo de emergência não consegue resolver, você pode se sentir como se não tiver escolha a não ser assumir uma dívida para pagar sua emergência. Há muito melhores maneiras de cuidar de emergências sem entrar em dívida e reunimos algumas delas para nossos leitores.

Peça a família ou amigos para ajudar

Pedir ajuda financeira pode ser um assassino de um relacionamento sério, e é por isso que muitas pessoas preferem fazer qualquer coisa (inclusive entrar em dívida), em vez de pedir a um amigo o dinheiro. O verdadeiro problema com a obtenção de ajuda financeira de um ente querido é quando existem expectativas não satisfeitas. Por exemplo, você pode pensar que o seu benfeitor potencial pode imaginar que ele esteja melhor financeiramente do que realmente está. Você pode acabar se ressentir se seu amigo dizer não. Você precisa ir para a conversa com o reconhecimento de que eles podem dizer não e que isso não refletirá de forma alguma em seu relacionamento.

Na outra ponta, o credor pode sentir que você precisa pagar-los de volta em um período de tempo mais rápido do que você se sinta confortável. A única maneira de pedir dinheiro emprestado de um amigo ou membro da família com pouca chance de dar errado é tratá-lo como uma operação financeira e usar uma nota promissória. Este acordo legal irá definir os detalhes de datas de pagamento, juros e outros detalhes do empréstimo. A outra coisa importante a lembrar sobre empréstimos de amigos e familiares é que isso não pode se tornar um hábito, não importando o quanto você é diligente sobre reembolsar os amigos.

Peça a seu banco um crédito de emergência

Pode valer a pena conversar com seu banco sobre um crédito de emergência. Explique a situação que você está vivendo e diga ao banco quanto de um empréstimo você vai precisar. Certifique-se de perguntar quanto será a taxa para cobrir o seu empréstimo. A partir daí, o seu banco pode aprovar ou recusar o seu pedido. Dependendo do custo do seu cheque especial, esta poderia ser uma maneira relativamente barata de obter o dinheiro que você precisa.

Vender ou penhorar algo

Em caso de emergência, torna-se claro que algumas das coisas que você possui podem ser menos importantes do que você pensa. Isso é um bom momento para vender algumas das coisas que você tem mantido, mas não precisa mais. Se você tem algum tempo, você pode tentar vender suas coisas online em redes sociais e sites de troca/venda. Se você precisar de dinheiro urgentemente, você pode levar o seu bem de valor para uma casa de penhores. Lá você tem a opção de vender suas mercadorias a título definitivo ou penhorar, tomando um empréstimo com uma quantidade definida de tempo para comprar o bem de volta com juros.

Cuidados financeiros com emergências

Você pode poupar bem para os dias chuvosos, mas emergências podem acabar te pegando despreparado. (Foto: www.dailyfinance.com)

Sacar de sua aposentadoria ou FGTS

Embora seja geralmente uma má ideia tomar emprestado de seu futuro para pagar uma necessidade atual, existem alguns casos em que faz sentido tomar um empréstimo de uma de suas contas de aposentadoria. Em particular, se você tem uma necessidade de emergência de curto prazo em troca de dinheiro, suas aplicações perdem ganho de capital por você assumir uma dívida de altos juros de um empréstimo.

Se você tem mais de 3 anos de FGTS inativo ou sua cidade está em estado de emergência por conta de desastres naturais, é possível sacar o FGTS. Só que a dica é que você trate o saque como um empréstimo, repondo os recursos em outra conta assim que puder.

Investigue alternativas para sua emergência

Você pode não descobrir uma fonte de recursos para sua emergência, mas pesquisar, comparar e negociar preços pode tornar a dívida mais administrável. Por exemplo, o atendimento odontológico de emergência não necessariamente tem que quebrar o banco. Escolas de odontologia estão em constante necessidade de pacientes para os alunos praticarem. Além disso, escolas profissionais e técnicas precisam prática no diagnóstico de problemas em motores de carros. Pesquisar cursos técnicos e faculdades na sua região que oferecem estes serviços a preços mais acessíveis pode ajudar muito a impedir a entrada em uma dívida.

Cooperativas de crédito

Existem cooperativas de crédito com linhas de empréstimo voltadas especificamente para emergências. Por exemplo, cooperativas de crédito rurais podem oferecer ajuda financeira a agricultores que não tiveram uma boa receita com sua produção. Cooperativas de saúde podem oferecer tratamentos e atendimentos médicos e odontológicos a preços mais acessíveis e negociáveis em várias vezes.

Faça um corte de custos

Quanto você gasta por mês com alimentação, utilitários, gás e telefone celular? Você pode ser capaz de encontrar dinheiro suficiente em seu orçamento mensal para cobrir a sua emergência, se você está disposto a comer mais barato, pegar o ônibus, desligar seu ar condicionado e pedir a suspensão temporária dos serviços de telefonia e/ou internet. Isto pode parecer drástico, mas é preferível do que ficar em dívida apenas para evitar algumas semanas de desconforto.

Cuidado na declaração do Imposto de Renda

Um dado errado na declaração pode ser a grande diferença entre um reembolso poupudo ou o pagamento extra para nossa Receita Federal. Contratar um contador para revisar sua declaração do imposto de renda e verificar possíveis erros ou informações duplicadas pode ajudar a poupar dinheiro e até resultar no reembolso de recursos para seu bolso.

Tente fazer uma vaquinha

Redes sociais e até sites podem te ajudar a fazer uma vaquinha rumo ao pagamento da sua emergência. Pode não ser fácil obter os recursos por este meio, mas é ainda melhor que assumir uma dívida que não pode pagar.

Alugar algo que você possui

Não importa onde você vive ou o que você faz, é bem provável que você possui algo que alguém pode precisar temporariamente. Por exemplo, se você vive em uma área que atrai turismo ou viagens de negócios, você pode ser capaz de alugar um quarto através de aplicativos para smartphones e tablets. Alternativamente, se o estacionamento é muito caro em sua área, você pode alugar o seu espaço de estacionamento ou garagem. Finalmente, desde que seu carro não seja a base de sua emergência, você pode alugá-la para os visitantes que precisam de veículos.

Considerações Finais

No melhor cenário, todos nós teríamos um fundo de emergência robusto e seguro adequado para cada possível obstáculo. Mas até mesmo os mais conservadores podem passar por dificuldades, e é importante lembrar que pagar uma emergência não tem de significar entrar em dívida.

Você já teve a sorte de navegar uma emergência sem prejudicar suas finanças? Qual foi a sua estratégia?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)