Parece que todo mundo está correndo para longe do mercado de ações nos dias de hoje. As constantes baixas da BOVESPA, grandes empresas anunciando prejuízos e outras sendo descobertas como mascaradoras de resultados. Então, por que diabos alguém iria recomendar a compra de ações em um momento como este ou em crises piores? Bem, eu e muitos outros experientes investidores pelo menos acreditam que agora é uma das melhores épocas de sempre a investir em ações. Aqui está o porquê.

Entendendo os investimentos em ações

Os retornos das ações no mercado são muito estáveis ​​ao longo do tempo e superam todas as outras classes de ativos no longo prazo. Apesar das enormes transformações sociais, políticas e econômicas ao longo dos dois últimos séculos, o retorno das ações no mercado têm sido extremamente previsível no longo prazo. Passando por duas guerras mundiais e inúmeros outros conflitos, através da grande depressão, ataques terroristas e todas as formas de desastres naturais, o retorno de longo prazo fornecido por possuir ações tem sido consistente e previsível.

Pode parecer o fim do mundo agora, mas não é: a economia vai se recuperar, o mercado vai se recuperar e as ações continuarão em seu caminho previsível.

Não siga a multidão

É difícil investir em ações quando todo mundo está vendendo. Por natureza, somos seres sociais e não queremos nos destacar da multidão. Então, quando a multidão está cheia de medo e está fugindo do mercado, é preciso coragem para andar na direção oposta. Mas, como Warren Buffet disse “famosamente”, o investidor de sucesso deve estar “ganancioso quando os outros estão com medo e com medo quando os outros estão gananciosos.” Isso não quer dizer que devemos estar jogando nosso dinheiro em ações de empresas com uma visão seriamente prejudicada, mas há muitas, muitas empresas com excelentes registros de rentabilidade e crescimento, fortes equipes de gestão, excelentes linhas de produtos e inovadores setores de Pesquise e Desenvolvimento, que foram arrastados para baixo com o mercado em geral a preços muito baixos, de fato. Não é minha intenção dar qualquer escolha de ações específicas, mas há alguma grande compra lá fora que você pode encontrar.

Ao contrário de tantas outras coisas, as ações podem ser valorizadas. Claro que, quando o estoque chega a um preço que excede em muito o seu valor, pode ser a hora de vender, mas o mercado em que estamos agora é um balde de barganha para os compradores mais exigentes.

Diversificar para minimizar risco

Lembre que rezar não irá salvar seu dinheiro. Você precisa é diversificar seus investimentos na crise para evitar a flutuação da bolsa. (Foto: www.thisismoney.co.uk)

Trate de ações como ter parte da propriedade de uma empresa

Há uma tendência para algumas pessoas a considerar o mercado de ações como um caça-níqueis gigante. As pessoas vão jogar o dinheiro no mercado e rezar para que suas ações aumentem em valor. Mas isso não é investir. Para investir, é considerar suas ações como uma fonte de fluxo de caixa futuro. Pergunte a si mesmo: quanto dinheiro ser proprietário da empresa vai me fazer ao longo dos próximos anos? Se o seu horizonte de tempo é uma semana ou duas, você está negociando ações, não investindo.

Compre as ações certas

Além de comprar a um preço justo, você precisa comprar empresas que continuarão a prosperar (ou seja, ganhar dinheiro para você) no futuro. Nenhum de nós tem uma bola de cristal, é claro, mas aqui estão algumas características que você deve olhar quando se considera um investimento em ações. Estas são apenas algumas dicas para você fazer mais pesquisas.

  • As empresas que dominam o mercado de alguma forma. Este domínio, poderia ser (por exemplo) uma marca forte, uma grande rede ou altos custos envolvidos na mudança para outra operadora. Isto torna difícil para os concorrentes obterem uma posição e torna mais provável que a empresa vai ficar bem sucedida financeiramente;
  • Alto retorno sobre o patrimônio líquido. É uma medida sobre o quão bem a empresa utiliza o dinheiro investido para gerar crescimento nos lucros;
  • Pagamentos de dividendos. Consistência e crescimento constante pode ser um sinal de que a empresa está sempre a ganhar dinheiro;
  • As empresas que operam fora do Brasil. Convenhamos que nossa política econômica não é boa há muito tempo e dificilmente irá mudar no curto e/ou médio prazo. Portanto, empresas sólidas que operam fora do país são excelentes fontes para seus investimentos.

Estas medidas são a ponta do iceberg, é claro. Se você é sério sobre como investir em ações, você terá que fazer um pouco mais de pesquisa.

Investir para o longo prazo

Alguém certa vez perguntou a Albert Einstein para citar a força mais poderosa na Terra, ele disse: os juros compostos. O poder dos juros compostos é verdadeiramente surpreendente. Se você investir R$ 100 por mês a partir de 25 anos de idade com 8% de rendimento ao ano, pelo tempo que você tem 65, você terá 337 mil reais. Em 10% ao ano, isso se torna R$585 mil. Se você duplicar a sua poupança para R$ 200 por mês, você vai se aposentar aos 65 anos com R$ 1.171.000,00. Para atingir o mesmo resultado a partir de 45 anos de idade, você tem que investir mais de R$1.500 por mês. Nunca é tarde demais, é claro, mas é sempre melhor começar cedo. Então não perca tempo valioso: invista.

Esperando um retorno anual de 8% do mercado de ações durante um longo período de tempo não é irrealista. O mercado de ações historicamente retornou mais do que isso ao longo de quase todos os períodos de 20 anos desde 1802.

Em tempos de crise

Você vai precisar acompanhar e analisar a situação das empresas que estão no mercado, além de acompanhar constantemente momentos para compra e/ou venda das ações. Em tempos de crise, as ações atingem os preços mais baixos possíveis e a tendência é que caiam e parem em algum momento, até começar a subir novamente. É um jogo de muita paciência e atenção, pois qualquer passo em falso pode significar o fim de sua carteira de ações e seu dinheiro na Bolsa. Vá com calma e pesquise muito bem antes de confirmar suas compras.

Conclusão

Acontece que investir em uma crise financeira não é diferente de investir em qualquer outra época, só que mais oportunidades não faltam para quem tem o temperamento certo. Uma estatística interessante final: um investidor que colocou US$15 por mês em boas ações ordinárias, a partir do verão de 1929, pouco antes do início da “Grande Depressão” de 29-32, teria feito 12,72% ao ano ao longo dos próximos 30 anos. O que há para não gostar sobre o mercado de ações?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)