A escolha da corretora certa é o primeiro passo a se seguir para quem quer investir na bolsa de valores. A partir daí começa a vida de investidor: estudos, pesquisas, constante monitoração do mercado e principalmente, paciência. E não basta escolher apenas uma ação. Um bom investidor sabe diminuir seus riscos e assim, escolher uma carteira de ações de empresas que irão maximizar seus ganhos e diminuir possíveis prejuízos.

Se você utiliza a análise técnica da bolsa, é hora de sentar em cima dos dados. Se você utiliza a análise fundamentalista, é hora de ler histórias e históricos. Se você é um investidor esperto, você irá fazer os dois.

Na macroeconomia de um país, você precisa analisar quais setores estão em franca expansão ou tem um grande potencial de investimento. Ao avaliar isto no Brasil, você deve considerar também entraves geopolíticos para a expansão de uma dada empresa e o lobby daquele setor no mundo político, permitindo a identificação do bom desempenho e do futuro destas empresas.

Também, não adianta você querer investir em 30 empresas diferentes sem conhecer bem de cada uma delas. Sua carteira tem que ser concisa e precisa, e você tem de conseguir ler os dados de todas as empresas para conseguir bons resultados, além da monitoração das ações. Esta segunda parte é mais automatizada, uma vez que os home brokers das corretoras fornecem ferramentas de análise técnica para seus clientes.

Escolha de ações

A escolha de ações no mercado par ao novo investidor deve ser cuidadosa para que ele não faça investimentos arriscados demais no começo e acabe se prejudicando. (Foto: pt-br.facebook.com)

Analisado o potencial de uma empresa no mercado e suas ações, a liquidez e volatilidade da mesma deve ser analisada. Bancos são instituições sólidas, pouco voláteis. Já o setor de serviços e da indústria automobilística tem maior flutuação. Você tem que ter um conhecimento sobre a movimentação das ações das instituições que você se interessou. O home broker fornece também a possibilidade de analisar um histórico de venda e compras de ações a partir de uma data estabelecida pelo investidor. Assim sendo, você pode ter uma ideia geral de como ocorre a demanda e oferta das ações de uma empresa no mercado. Há quem prefira arriscar mais em empresas novas, mas só arriscar nelas é um investimento um tanto quanto burro, uma vez que você não estará levando em conta todas as variáveis e incertezas envolvidas com a expansão dos negócios da empresa.

Por isso, começar na bolsa de valores requer investimentos em empresas sólidas no mercado para a diminuição de riscos. No Brasil, podemos assumir como investimentos sólidos as mineradoras, empresas de energia, instituições financeiras, algumas empresas do ramo do varejo e mais. Estudar o mercado pode te ajudar a definir quais as melhores opções para um dado momento no mercado e avaliar o momento exato para a compra ou venda de ações da empresa.

Pesquisar em sites, canais de televisão e revistas com dicas de investimentos também adicionam informações à sua decisão final.  E assim que finalmente as ações forem escolhidas, seu desempenho deve ser analisado, tomando o cuidado para não investir em duas empresas do mesmo setor. Assim fazendo, você está se blindando contra a sazonalidade e perdas casuais na bolsa de valores.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)