O que é a microgestão de riscos?

Escrito na categoria "Educação financeira" por André M. Coelho.

Nós geralmente falamo sobre microgestão como uma coisa ruim, mas eu quero desafiar essa premissa. Acho que grandes gestores precisam ser grande microadministradores também. Há simplesmente muitas situações em que a microgestão é a melhor abordagem e se você é inepto para ela, você danifica a sua credibilidade e conquistas.

A questão crítica é “quando” fazer a microgestão. Um grande gestor precisa administrar cada situação de forma diferente para trazer o melhor de seu dinheiro. Não existe um tamanho para todos na gestão. Infelizmente, se você está microgerindo uma parte de sua equipe, então você está gastando tempo longe de outras atividades produtivas e, assim, você não está otimizando sua própria eficiência. Como sempre, a gestão envolve o equilíbrio entre efeitos concorrentes e trade-offs. Os trade-offs relacionados com a microgestão financeira incluem:

Assegurando o rendimento

C um gerente de suas próprias finanças, você precisa se tornar responsável pelos seus recursos e gerenciar riscos que não podem ou não contribuir para novas oportunidades. A microgestão geralmente é parte desse processo, assegurando um rendimento fixo mesmo em frente a prejuízos possíveis em algumas áreas de investimento.

Redução de riscos com a microgestão

O importante da microgestão é não deixar que ela te deixe louco, mas usar como forma de reduzir riscos. (Foto: lentreprise.lexpress.fr)

Os ciclos da microgestão de riscos

Cada estágio financeiro de um ou mais investimentos exigem diferentes abordagens com a microgestão. Você não pode achar que a mesma abordagem para um investimento funcionará para outro ou que seus investimentos se geridos da mesma forma sempre terão bons resultados.

Entenda os ciclos como interdependentes: eles nunca tem começo e fim e podem ser concorrentes, ocorrendo ao mesmo tempo em várias frentes.

Ciclo inicial de um investimento

Se um investimento é novo em sua carteira, você precisa de treinamento para compreender o conteúdo e os processos relacionados. As chances são de que você precisa passar mais tempo com eles. Você provavelmente precisará de constantemente verificar o investimento para se assegurar que os lucros estão vindo de forma eficaz e em tempo útil, respeitando os prazos dados para o tipo de investimento feito: curto, médio ou longo prazo.

Ciclo problema de um investimento

Mesmo se você começa com uma abordagem mais solta com seus investimentos, mantê-los sem intervenção é um risco. Haverá alguns que podem atender às suas expectativas e será necessária uma realocação dos recursos. Ao invés de apenas continuar a esperar as metas serem atingidas, você pode precisar de arregaçar as mangas e realmente pesquisar uma forma de atingir esses objetivos. Isto é, buscar novos investimentos, mais especificamente as ações que precisa tomar, seja a retirada imediata dos recursos ou aguardar um prazo para a liquidação do mesmo. A microgestão ajudará a entender pormenores principalmente de investimentos sazonais, como é comum em ações de empresas da área do varejo no fim do ano.

Ciclo crise de um investimento

Se há uma crise, você não quer que qualquer atraso entre você e as ações que precisam ser tomadas ou decisões que precisam ser feitas. Seu estilo provavelmente precisa ser mais diretivo e que tende a administrar meticulosamente os recursos para alcançar o melhor resultado. Isso significa saber quando é a hora de pular fora de um investimento e encontrar boas oportunidades na crise sem desesperar.

Ciclo de alto risco de um investimento

Mesmo que você não esteja em uma crise, alguns investimentos são simplesmente tão sensíveis e podem levar a uma perda se feitos de forma incorreta que você precisa fazer realocações ou saques desnecessários. Uma atividade ou decisão onde as apostas são altas, naturalmente, conduz a uma maior participação para ser alcançado um alto nível de lucro. Isso significa um acompanhamento diário e até de hora em hora de alguns investimentos.

Considerações Finais

Em resumo, como um gerente financeiro eficaz, você precisa mudar o seu estilo, dependendo da situação. Seja enquanto você entra em cada ciclo e como você gerencia cada real alocado. As chances são que você pode melhorar significativamente o desempenho global da sua carteira, sem necessariamente se desesperar com isso.

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Crédito ou débito? Esta é uma pergunta quase sempre feita ao se pagar com cartão mas é uma questão também comum na vida de muitos brasileiros. Com mais de 300 horas em cursos de finanças, empreendedorismo, entre outros, André formou-se em pedagogia e se especializou em educação financeira. Dá também consultorias financeiras e empresariais quando seus clientes precisam de ajuda e compartilha conhecimentos aqui neste site.

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Crédito ou Débito não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário