O tipo mais comum de conta bancária e, provavelmente, a primeira conta que você já teve, é uma conta poupança. As cadernetas de poupança permitem que você mantenha seu dinheiro em um lugar seguro, enquanto ele ganha uma pequena quantidade de juros a cada mês. Essas contas geralmente requerem um equilíbrio mínimo baixo, ou podem exigir nenhum saldo mínimo. Isso depende bastante do banco onde você aplica o dinheiro da sua poupança.

Além do fato de que você vai ser menos propenso a gastá-lo, colocar seu dinheiro em uma conta poupança é mais seguro porque ele é segurado. Se sua casa é roubada ou queimada, o dinheiro pode ser perdido para sempre. Bancos e cooperativas de crédito, por outro lado, mantém o seu dinheiro em um cofre à prova de fogo bloqueado e o Banco Central garante que R$50 mil do seu dinheiro seja devolvido em caso de falência dos bancos (R$60 mil, no caso da CAIXA). Isto significa que mesmo se o banco sai do negócio (o que é muito raro!), o seu dinheiro ainda vai estar lá.

Rendimentos, juros e nosso sistema financeiro

Quando você colocar o seu dinheiro em uma conta poupança, ela rende juros. É dinheiro que o banco lhe paga para que eles possam usar o seu dinheiro para financiar empréstimos para outras pessoas. Isso não significa que você não pode ter o seu dinheiro sempre que quiser, no entanto. É assim que os bancos ganham dinheiro: com a venda de dinheiro! Basicamente, funciona assim:

  • Você abre uma conta poupança no banco;
  • O banco paga juros sobre o dinheiro que você depositar e deixar nessa conta;
  • O banco fazem então os empréstimos de dinheiro para outras pessoas, só que eles cobram uma taxa de juros um pouco maior sobre o empréstimo do que o que eles te pagam para a sua conta;
  • A diferença de juros que pagam a você versos os juros que eles cobram os outros é parte de como eles permanecer no negócio.

Vale lembrar que de acordo com as leis brasileiras, 65% do dinheiro das poupanças deve ser direcionado para empréstimos que financiam imóveis.

Investindo na poupança para finanças saudáveis

Simbolizada pelo cofrinho de porquinho, a poupança é realmente o começo de uma vida de investimentos. (Foto: www.nebraskalandbank.com)

Liquidez imediata, mas rendimentos abaixo da inflação

A grande vantagem da poupança além da segurança financeira garantida está na liquidez imediata da conta poupança. Ou seja, em situações de emergência, você pode sacar o dinheiro da sua conta sem ter que esperar prazo algum por isso. Mas por causa desta mesma liquidez, a poupança geralmente rende menos do que a inflação. E apesar de estar isenta de impostos (até o valor de R$50 mil R$60 mil na CAIXA), ela vai render bem menos do que a inflação e se você precisar do dinheiro antes de 30 dias corridos, não ganhará nada de juros.

Ausência de taxas nas contas poupança

Além do que já foi citado, uma das grandes vantagens da conta poupança é a ausência de taxas. Ou seja, você não pagará nada para ter sua conta poupança em qualquer banco que seja. Isso é uma grande coisa, já que pode ser um bom período de testes para começar um relacionamento com uma instituição bancária.

Quem deve investir na conta poupança?

Todos devem ter pelo menos 6 meses equivalentes de salário em uma conta poupança. Isso serve como forma de segurança para grandes emergências e problemas. Você não deve visualizar a poupança como um investimento em si, mas sim, uma base de segurança para o começo de um caminho financeiro mais sólido. A partir dos 6 meses acumulados, você pode começar a usar o dinheiro da poupança em investimentos mais rentáveis, como Tesouro Direto, CDB e outros.

Porém, não toque no seu fundo de emergência na poupança: é um investimento que não vai render muito, mas vai garantir que você não entre em uma roubada de empréstimos com altos juros. Sim, os mesmos empréstimos que usam sua mesma poupança para te pagar. Cuidado!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)