Por que não acreditar em tudo que lê nas revistas sobre finanças?

Escrito na categoria "Educação financeira" por André M. Coelho.

Há alguns anos atrás, uma revista brasileira publicou em suas páginas uma estimativa de crescimento das ações de várias empresas, assim como conselhos sobre sua valorização. Nessa mesma matéria, a revista esqueceu de citar sobre a análise de liquidez das ações ou mesmo projeções do mercado para as áreas de negócios representadas pelas empresas. Era uma projeção para o ano seguinte. E no ano seguinte, todas as projeções estavam erradas, não chegando nem perto do que aconteceu realmente, que foi uma desvalorização de praticamente todas as empresas.

As revistas financeiras são, sem dúvida alguma, uma excelente fonte de conhecimento sobre o que está acontecendo no mundo das finanças e novas tendências e investimentos. Sua base de atualização semana e muitas vezes diária, por serem fontes online, as tornam para muitos as únicas fontes de contato com o mundo financeiro no exterior. E boa parte delas trazem também muitas dicas financeiras e orientações aos investidores que podem ser um tiro pela culatra, como o exemplo do primeiro parágrafo.

Não existe uma dica ou simpatia para fazer você ganhar mais dinheiro. Uma revista ou outra poderá até dizer que tem a fonte certa para que você se torne milionário da noite para o dia, o que é quase impossível, a não ser que ganhe na loteria. Eles estão fazendo um marketing da revista para vender mais e você não pode ser uma vítima deles. É lógico que há dicas valiosas dentro destas orientações e que você pode adaptar para sua vida. Mas para ter essa sabedoria financeira, você precisa estudar, ler livros sobre finanças, começar a poupar e investir, ter mais disciplina.

Nem sempre a melhor fonte de conhecimento

Mesmo as melhores revistas financeiras erram em suas dicas e predições sobre finanças. (Foto: financialsensearchive.com)

Temos de levar em consideração também que muitas revistas ainda se utilizam de matérias pagas, isto é, recebem uma certa quantia para fazer uma matéria falando bem de uma determinada empresa. Isso é um tanto quanto problemático, pois as informações dadas, se não forem comparadas com outras antes, podem ter resultados financeiros catastróficos.

Por isso, se você leu em algum lugar alguma dica muito importante ou interessante sobre finanças, pesquise um pouco mais. Leia mais de uma revista, busque na internet outras fontes, discuta com amigos e colegas sobre o conselho. Qualquer decisão ou conselho que seja seguido às cegas, sem nenhum tipo de questionamento, não o torna mais sábio mas sim, mais impaciente e impulsivo com as necessárias decisões financeiras que devemos tomar todos os dias de nossas vidas.

Todo conhecimento é poder. Saber filtrar esse conhecimento o tornará muito mais poderoso e capaz de tornar cada centavo que você tem conta em riquezas inimagináveis.

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Crédito ou débito? Esta é uma pergunta quase sempre feita ao se pagar com cartão mas é uma questão também comum na vida de muitos brasileiros. Com mais de 300 horas em cursos de finanças, empreendedorismo, entre outros, André formou-se em pedagogia e se especializou em educação financeira. Dá também consultorias financeiras e empresariais quando seus clientes precisam de ajuda e compartilha conhecimentos aqui neste site.

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Crédito ou Débito não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário