Para muitos, o custo de um casamento é irreal, superando facilmente os milhares de reais. Se você duvida, tente pesquisar quanto custa o aluguel de um vestido de casamento. Em face ao desespero e, quase sempre, à pressão de familiares e amigos, muitos casais se sentem obrigados a casar. Alguns desses casais recorrem a financiamentos de casamentos através de empréstimos ou outros meios financeiros, acabando endividados.

Com certeza, você conhece uma história parecida com essa. Pode não ter sido um casamento, pode ter sido uma festa aniversário, um baile de debutante ou até uma formatura: uma festa maravilhosa que resultou em dívidas para quem a organizou. É lógico, a experiência da festa vale sempre a pena. Mas arcar com as consequências financeiras depois não é nem um pouco divertido.

Empréstimos para festas

Um empréstimo de casamento é, essencialmente um empréstimo pessoal, assim com empréstimos para bailes de debutantes e formaturas. Você vai ter que comprovar renda, vai ser feita uma análise de risco pela instituição financeira e eles disponibilizarão uma certa quantia em dinheiro para sua festa. Em alguns casos, existem empresas que parcelam as festas em várias mensalidades. Esta é uma forma de disfarçar os juros de um empréstimo e te fazer pagar cada vez mais por uma festa que vale muito menos.

O problema dos empréstimos para festas

Fato é que quanto mais dinheiro podemos ter, mais dinheiro queremos ter. Na questão de festas, mais especificamente, quanto maior a festa você puder fazer, maior ela vai ser, fazendo você gastar ainda mais. Isso acontece tanto por você não ter o dinheiro “em mãos” fazendo os gastos menos “doloridos” no seu bolso, quanto pela empolgação de trazer todos amigos, familiares e conhecidos para as festa.

Economize ao fazer uma festa

Uma estratégia boa de economia é cobrar 50% dos custos da festa dos convidados. Afinal, eles vão aproveitar mais a festa do que você. (Foto: communicationisthekey.com)

Perigos dos empréstimos para festas

Mesmo que você não tenha opções e uma festa seja uma necessidade, analisar os perigos te ajudará a colocar os pés no chão. Isso significa que você se preocupará mais com seu bolso, seu dinheiro, e planejará a festa da melhor forma possível.

Você deve fazer uma festa sem esgotar suas economias. Festa, a não ser no caso de ser uma festa para você ganhar dinheiro com ela, é um gasto com entretenimento. Se você construiu investimentos de boa qualidade e tem um fundo de emergência pronto, você pode não querer gastar tudo em uma festa, por mais valor sentimental que ela tenha. Limite qualquer gasto com festa a, no máximo, 10% do seu capital disponível. Exemplo: você tem 10 mil em investimentos e fundo de emergência. Para a festa, então, você tem apenas 1 mil e nada mais além disso.

Empréstimos de amigos e familiares. Em muitos casos, familiares e amigos podem se oferecer para ajudar. Se essa ajuda for gratuita, ótimo, é mais dinheiro pra sua festa. Se ela tiver que se paga de volta, seja educado e recuse. Mesmo sem juros, fazer dívidas com amigos ou familiares pode ser um péssimo negócio.

As taxas de juros. Enquanto você está pagando os juros de um empréstimo para festa, um investidor inteligente está fazendo juros compostos em um investimento. As taxas de juros no Brasil são muito altas para empréstimos, tornando o dinheiro do empréstimo muito caro e não compensará nem a melhor festa do universo.

Limites dos empréstimos. Pegar um empréstimo pode prejudicar seu acesso a linhas de crédito para fins realmente importantes, tais como a compra de um veículo para trabalho ou um imóvel para sua família. Estes são bens que duram muito mais tempo do que as horas de uma festa.

Depois da festa, começa a dívida. Principalmente para quem faz uma festa de casamento, você não vai querer começar seu primeiro dia como casal já endividado. A ressaca vai se curar no máximo em alguns dias, já a dívida não.

Considerações Finais

Mesmo que o dinheiro todo saia do seu bolso, sem fazer um empréstimo, você está assumindo uma grande quantidade de dívida para um evento de poucas horas. Você pode muito bem fazer algo menor, dentro das suas possibilidades, ou adiar a festa para um momento de tranquilidade financeira. Tudo planejado sai muito mais barato e é muito mais proveitoso, tanto no curto quanto longo prazo.

Como exemplo, um amigo pegou um empréstimo para sua festa de casamento e hoje se encontra com problemas para investir em seu negócio próprio. Se ele tivesse planejado, saberia que o dinheiro do empréstimo acabaria atrapalhando e a festa ficaria apenas na memória. Lógico, você quer dar as festas que todos vão lembrar pelo resto de suas vidas. Mas será que não dá pra fazer isso com um churrasco de domingo terminando com um lual na casa de praia de algum amigo? Ou uma viagem de fim de semana para a casa nas montanhas da família? Pense, repense e seja racional na hora de decidir onde colocar seu dinheiro.

Já se endividou por causa de uma festa? Como fez para sair dessa enrascada? O que você faz para planejar os gastos em festas?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)