A cada saída com os amigos, várias histórias novas acontecem, momentos memoráveis e coisas legais que você poderá contar em várias rodas de conversa. Porém, tudo isso tem um custo e que muitas vezes sai muito alto, principalmente quando bebemos um pouco mais e achamos que somos milionários, colocando a conta toda no cartão de crédito.

O problema de sair com os amigos é que as despesas podem tomar uma grande parte de seu salário no fim do mês. Já tive amigos que gastaram quase todo o salário com cerveja ou torraram mais de R$300,00 em apenas uma noite em uma boate. Não que eles sejam proibidos de fazer isso, mas deve existir um controle sobre esses aspectos financeiros para que você não entre em um beco sem saída.

Muitos de seus amigos brincam com quem se controla um pouco mais nas saídas ou até mesmo ficam chateados quando você deixa de sair com eles. Praticamente toda vez que você vai a uma festa ou boate você terá algum tipo de custo. Se você está começando uma vida financeira, ter economias ou até buscando fazer algum tipo de investimento, é hora de sentar e colocar em sua planilha de gastos e custos seu “investimento” em entretenimento.

Trataremos o entretenimento como “investimento” neste artigo porque ele está diretamente relacionado com sua qualidade de vida. E por isso, não cortaremos todas as finanças direcionadas a estas atividades pois não seria sensato para sua vida.

Poupando para poder se divertir mais vezes

Ao invés de beber tudo que tem que beber na boate, onde tudo é mais caro, por que não fazer um “aquecimento” na casa de algum amigo ou em um bar de esquina? Sai muito mais barato e você irá poupar um bom dinheiro na conta da boate. (Foto: baseone.co.uk)

O que iremos fazer é uma conscientização sobre como gastar em festas e boates, pois são investimentos que não perdurarão como bens adquiridos. Eles são patrimônios sentimentais e que podem ter seus custos reduzidos. Você pode convencer seus amigos a irem a uma boate mais barata ou mais próxima de casa, economizando no táxi. Ou podem combinar uma festinha na casa de alguém.

É importante, antes de definir suas saídas, quanto de suas finanças serão direcionadas apenas e somente ao entretenimento. Pense em porcentagens de seu salário. Um valor justo seria de até 15% de suas finanças reservadas para o entretenimento. O que fica faltando é o planejamento de gastos.

Se em um final de semana você optar por esbanjar seu dinheiro, no final de semana seguinte terá que se limitar de alguma forma, para não estourar seu orçamento. Ou você pode, com um bom controle, fazer todos os finais de semana com a mesma quantia de dinheiro, sabendo gastar e investir melhor e não tendo que recusar convites para baladas que possam ser interessantes.

O que irá acontecer nos primeiros meses em que você tentar ficar nesse orçamento é que ele vai sair um pouco do controle. Não se preocupe, pois isso é normal. Algumas pessoas optam até para ter um cartão de crédito exclusivamente para este fim, com um limite que seja o teto de gastos com entretenimento. E toda vez que você gastar a mais em uma balada, pense na prestação do seu carro que você poderia estar pagando ou naquela televisão nova que você poderia estar economizando para comprar.

Festas e boates são muito boas fontes de diversão. Mas elas não durarão para sempre se você não tiver disciplina com suas finanças e poderão arruinar sua vida financeira. Seja sábio e tenha dinheiro para se divertir pelo resto de sua vida!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)