Falar sobre dinheiro é um dos grandes tabus da nossa cultura. Eu sei mais sobre a vida sexual dos meus amigos do que eu sobre os seus extratos bancários. Muitos de nós acham difícil discutir finanças sob as melhores circunstâncias. Quando estamos estressados ​​sobre o dinheiro, tendemos a nos calar ainda mais.

Se você é casado (ou vive com um parceiro), você não tem esse luxo. O sucesso financeiro não é um assunto privado. Você precisa falar com o seu cônjuge ou parceiro sobre o seu dinheiro. Isto é vital, tanto para a saúde do seu relacionamento quanto a saúde do seu saldo bancário.

É tão ruim assim não falar sobre dinheiro com minha mulher?

Se você tem conflitos financeiros em seu relacionamento, seu casamento está condenado. As pesquisas mostram que a causa número um de divórcios são os problemas financeiros. Resumindo: ou você aprende a falar sobre dinheiro ou seu casamento vai entrar em crise em algum momento crítico

A reunião financeira familiar mensal

Uma reunião financeira familiar mensal é o remédio para os problemas financeiros. É vital para o casal sentar-se juntos uma vez por mês e pagar todas as suas contas em conjunto. Mesmo que você tenha automatizado muitas das suas contas mensais com um sistema de pagamento de débito automático, você precisa estar olhando para elas cada mês. Fazer isso em conjunto tem uma série de vantagens:

Você quer saber o custo real de viver em sua casa – Quando apenas um dos parceiros lida com as finanças, o outro pode genuinamente desconhecer o tamanho da dívida do cartão de crédito da família, ou o quão alto as contas de energia estão. Estas são informações que todos precisam ter para se esforçar em conjunto nas economias.

Você quer compartilhar e dividir as responsabilidades de objetivos financeiros – É mais difícil justificar uma compra por impulso quando todos sabem que tem que contribuir para pagar as contas.

Trabalhar juntos para economizar pode ser divertido – Em vez de uma tarefa cansativa, lidar com as finanças pode se tornar um programa do casal produtivo e prazeroso. Encontrar maneiras de economizar pode tornar-se algo como um jogo, e vocês podem se premiar quando certos objetivos forem atingidos.

Proteção e segurança para a família – Com o casal envolvido na gestão financeira familiar, a família se protege caso um dos familiares morra ou sofra doenças súbitas, pois estará sabendo de tudo que acontece e deixa de acontecer na vida financeira do casal. Saberá também as responsabilidades financeiras e fiscais. Você não quer ter que aprender a pagar as contas mensais da sua casa ao mesmo tempo em que você está lidando com uma crise familiar.

Importância de compartilhar informações financeiras entre o casal

Ou você compartilhe suas opiniões, medos e planejamentos financeiros, ou o relacionamento tem sérias chances de entrar em sérios conflitos no futuro. www.colossusgists.com

Como conversar com minha esposa sobre dinheiro?

Ou você conversa com sua esposa sobre dinheiro ou as crises, problemas e discussões financeiras acabarão com seu relacionamento. Ponto. Só que vivendo em uma sociedade altamente machista, e que ainda acha que o homem deve ser o “provedor” da casa, pode tornar bem difícil dar o pontapé inicial nas conversas financeiras. Seguindo as instruções abaixo, você pode tornar esses primeiros passos mais fáceis e menos traumáticos.

  • Dedique todo o tempo que você precisar para as conversas financeiras

Gestão das finanças em conjunto parece simples, mas há uma série de obstáculos. As pessoas estão ocupadas. Você tem uma carreira, uma família, talvez as crianças precisam de acompanhamento, além de tempo para seus amigos e seus hobbies. Passar uma noite por mês em uma tarefa chata pode parecer massivo e difícil, principalmente com a quantidade de perguntas que surgirão durante o processo.

Além disso, o dinheiro pressiona sempre as pessoas. Ele traz consigo o medo, ansiedade, culpa, raiva. Um monte de emoções negativas que a maioria de nós gostaria de evitar. Por isso, evitamos falar sobre dinheiro com os nossos cônjuges até que exploda um desastre financeiro ou o relacionamento entre em colapso. Seja paciente e respire antes de sair discutindo de qualquer jeito. Coloque tudo no papel antes de falar, pois escrevendo você vai pensar e medir melhor suas palavras.

  • Organize as finanças para visualização rápida e fácil

Mesmo quando você se senta para conversar, e tem esse tempo mensalmente separado, pode ser difícil fazer bom uso desse tempo. Você deve discutir metas de longo prazo ou apenas passar por cima as contas do mês? Como você pode evitar de uma compra por impulso evoluir para uma discussão do casal?

O casal deve se sentar e elaborar uma lista mestra de metas financeiras, ou seja, os principais objetivos conjuntos do casal com dinheiro. Em conjunto, devem também desenhar uma planilha com as despesas fixas e variáveis. Esta planilha funciona como um guia, orientando o casal para a real situação financeira familiar. E daí então, partir para as estratégias de contenção de gastos, economias, poupança e investimentos. Lembre-se que o casal deve ter objetivos financeiros conjuntos e objetivos financeiros pessoais, mas é importante que cada um possa ter seus próprios objetivos realizados dentro das possibilidades do casal.

  • Não converse sobre dinheiro em qualquer lugar

Você não deve conversar de dinheiro enquanto está na cozinha jantando ou se preparando para o trabalho. O momento deve ser de calma, quando ambos no casal podem ter tranquilidade para conversar sem serem interrompidos.

  • Esteja calmo, descansado e não se estresse com a conversa

Não fale sobre dinheiro quando você já está com raiva ou estressado por algo que tenha acontecido durante o dia. Por exemplo, muitas pessoas resolvem conversar sobre dinheiro em um dia que passaram por algum problema com dinheiro, como recebendo uma fatura de telefone alta demais e culpando a todos pelo aumento dos gastos. Antes de sair soltando fogo e descontando o estresse em outras pessoas, tome um tempo pra relaxar e converse sobre dinheiro só no dia que você estiver mais calmo.

Outro erro comum é o casal resolver conversar de finanças no fim do dia. Este é um dos piores horários para a conversa. Separe um horário pela manhã ou tarde no fim de semana para esta tarefa, quando ambos no casal estão bem descansados, relaxados e mais preparados para lidar com os números.

  • Tenha uma agenda financeira

Isso significa ter um dia e horário específico para sentar e discutir suas finanças. Se você espera que a conversa seja difícil, tente agendar dois dias próximos: um para falar sobre dinheiro, e outro alguns dias mais tarde para que o casal possa relaxar da tensão financeira. Na agenda financeira, é importante que vocês separem categorias de gastos na planilha do orçamento familiar, olhar para o quanto ambos gastam em diferentes categorias, descobrir se podem ou não cortar em algo no próximo mês, e checar como os gastos e ganhos do mês se encaixam nos objetivos financeiros de longo prazo da família.

  • Seja gentil

Algo muito comum de acontecer é que em famílias onde um dos cônjuges paga as contas, esse parceiro pode tornar-se ressentido por ter que carregar todo o peso. Uma forma de evitar isso de forma justa é dividir as contas do casal de acordo com o peso dos ganhos de cada um.

Por exemplo: o homem ganha R$2.000 e a mulher R$3.000, em um total mensal de R$5.000, líquidos, já descontados IRPF, vale transporte, INSS etc. R$2.000 que o homem ganha correspondem a 40% da receita líquida mensal do casal, enquanto os R$3.000 da mulher correspondem a 60% da receita líquida mensal do casal. As contas então devem ser pagas e divididas nessa proporção, ou seja, o homem contribuindo com 40% de cada conta e a mulher com 60%. Você também pode dividir tudo em 50%, mas vai ser injusto com um dos lados do casal, principalmente se os dois não tem uma conta conjunta para gastos pessoais. A frustração de ter menos dinheiro para gastar/investir em você mesmo se acumula no longo prazo.

Considerações Finais

Em minha experiência como consultor financeiro, já ouvi as mais diversas baboseiras dos dois lados de diversos casais. O homem é geralmente mais agressivo, sequer cogitando falar de dinheiro com a mulher, muitas vezes por achar que isso o coloca em uma posição “feminina”. A mulher, por incrível que pareça, é muitas vezes machista, e acha que o homem deve pagar as contas da casa, enquanto gasta o dinheiro com ela mesma. Já vi o inverso também acontecendo, assim como vi casais se separando porque um dos lados não entendia (nem compartilhava) os problemas e soluções financeiras.

Falar sobre dinheiro realmente diminuiu as tensões entre um casal, além de ajudar com o fluxo de caixa. É um trabalho de equipe, rumo a um futuro mais tranquilo, acolhedor e financeiramente seguro. Trabalhando em conjunto, todos os objetivos serão alcançados mais rapidamente e emergências financeiras serão geridas com muito mais calma e tranquilidade.

Você conversa sobre dinheiro com sua esposa ou seu marido? Como vocês fazem essas conversas? Já teve alguma discussão familiar por causa de dinheiro?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)