As pequenas empresas são extremamente sensíveis às boas e más fortunas. Acompanhar uma tendência empresarial importante pode resultar em crescimento rápido e lucros exagerados. Infelizmente, o contrário também é verdadeiro. Quando a economia azeda, ou por alguma razão seu nicho de negócios cai em desuso, os lucros podem se transformar em perdas rapidamente.

É emocionante e divertido expandir um negócio de sucesso com a contratação de mais funcionários, a compra de mais equipamentos, aluguel de um novo espaço, e fazer todas as outras coisas necessárias para crescer. Mas há muito pouca alegria na rápida redução do tamanho de um negócio que tornou-se sobrecarregado, especialmente um que tenha pego empréstimos pesadamente para financiar a expansão, apenas para descobrir que um mercado em declínio não vai sustentar o negócio.

Infelizmente, os empresários cujos negócios estão subitamente operando no vermelho normalmente começam por negar que eles estão em apuros ou subestimando a gravidade da situação. O resultado é que muitas empresas que poderiam ter sido salvas por ação rápida e rigorosa rapidamente se tornam tão sobrecarregadas de dívida que elas morrem desnecessariamente.

Quando o seu negócio está sofrendo problemas financeiros, dando prejuízo, recomendamos uma abordagem em três etapas para garantir que o seu negócio sobreviva.

Passo 1: Criar um plano de sobrevivência do negócio

Por exemplo, se nos últimos seis meses, as vendas foram abaixo de 30%, o plano deve explicar convincentemente como sua empresa será capaz de cortar despesas, aumentar as vendas, manter ou restabelecer uma margem de lucro adequada e gerenciar (ou atrair mais) dinheiro para que em X meses você volte a ser rentável e tenha bastante dinheiro no cofre para colocar contas em atraso em dia.

O SEBRAE e muitas outras instituições que incentivam o empreendedorismo no Brasil oferecem muitas ferramentas e cursos para te ajudar a construir esse plano.

Passo 2: Preparar uma declaração de lucros e perdas e análise de fluxo de caixa atual

Você não pode fazer o planejamento ou tomar as medidas que serão necessárias para reorganizar um negócio golpeado pela recessão, ao menos que você compreenda plenamente números-chave do seu negócio. É como tentar pousar um avião na névoa densa, sem encontro instrumentos: vai colocar você no chão, eventualmente, mas não vai ser nada agradável. Há ferramentas online, cursos gratuitos e muito mais para te ajudar nesse procedimento.

Como recuperar sua empresa

Planejamento e paciência são as armas básicas para conseguir recuperar financeiramente sua empresa. (Foto: business.financialpost.com)

Passo 3: Estabelecer um conselho consultivo

Este é um pequeno grupo de experientes consultores de pequenas empresas, pessoas com experiência empresarial suficiente para entender a sua declaração de lucros e perdas e para analisar e desafiar o seu plano de sobrevivência. Redes sociais, sindicatos, parentes e amigos. Todos com um bom conhecimento podem integrar um conselho consultivo.

As orientações para os objetivos em cada uma das etapas

Quanto à criação de um plano de sobrevivência do negócio, você deve pensar sobre como proceder no curto, médio e longo prazo.

Curto prazo 1 a 6 meses

No curto prazo, o seu trabalho deve se focar para desenvolver um plano objetivo e realista para trazer o negócio de volta ao ponto de equilíbrio, ou, se isso não for possível, fechar ou vende-lo. Em geral, você não deve permitir perdas acumularem mais de seis meses consecutivos. A única exceção a esta regra é quando você tem um investidor que está disposto a colocar dinheiro novo no negócio em um plano de recuperação a longo prazo.

Médio prazo: de 6 a 18 meses

Se você pode fazer os cortes necessários para voltar ao equilíbrio em seis meses, você precisará retornar sua empresa ao lucro, geralmente através de uma combinação de corte de custos e adoção de iniciativas eficazes de marketing novas. Mas se a sua região ou setor enfrenta uma profunda recessão, o melhor que você pode ser capaz de fazer durante este próximo ano é continuar no ponto de equilíbrio mesmo. Contanto que você possa pagar suas despesas de casa e você e seus assessores concluam que a empresa tem um futuro brilhante, ficar com o plano pode fazer sentido.

A longo prazo: para além de 18 meses

O seu plano de longo prazo deve retornar sua empresa ao lucro. Não importa o quanto o seu ego está ligado ao seu negócio e quanto você acredita que irá ser bem sucedido, não há futuro a longo prazo de um negócio que não ganha dinheiro. A redução de custos e o aumento da comercialização pode manter seu negócio vivo no curto prazo, mas as chances são boas de que para devolvê-lo à rentabilidade sólida, você também precisará adotar uma série de inovações que melhore os negócios.

Considerações Finais

É difícil ter seu próprio negócio durante uma crise econômica. Mas, assim como em todas as crises, muitos empresários descobrem como superá-las com sucesso e por isso, estão se colocando em posição de prosperar quando os bons tempos retornam. Ler histórias destes empresários pode te ajudar bastante a descobrir como eles fizeram para se reinventar. E mesmo você também pode ajudar outros, compartilhando sua história nos comentários abaixo.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)