Mito: Minha esposa e eu não deveríamos falar sobre dinheiro, porque ele só leva a brigas.

Verdade: Você não pode ter um ótimo relacionamento até que você possa se comunicar e concordar sobre dinheiro.

O dinheiro é a melhor ou a pior área da comunicação em um casamento. Dinheiro e brigas por causa de dinheiro ão as principais causas de divórcio, para não mencionar que também são a principal fonte de discórdia entre casais.

Então, se você é casado, tem um relacionamento e tem brigas sobre dinheiro, você é normal. Mas se esta é uma área de problema real para você, também é uma oportunidade de melhorar o seu relacionamento e até mesmo chegar a um acordo com o seu cônjuge. Eu não estou falando de acordo provocada pela rendição, mas sim por cada pessoa recebendo um voto, entendendo vista do outro e encontrando um terreno comum.

Seja com muito dinheiro ou pouco dinheiro, vocês tem que concordar com o talão de cheques, não existindo mais nada para brigar exceto quem fica com o controle remoto!

Homens e mulheres são diferentes

Quando se trata de dinheiro, os homens tendem a assumir mais riscos e não guardar para emergências. Os homens usam o dinheiro como um placar de pontuação e pode, lutar com a auto-estima quando há problemas financeiros.

As mulheres tendem a ver o dinheiro mais como uma questão de segurança, então elas vão gravitar em torno da poupança para dias ruins. Por causa de sua necessidade de segurança, as senhoras podem ter um nível de medo quando há problemas de dinheiro.

Homens e mulheres são diferentes na forma como eles vêem o dinheiro, e é em grande parte porque eles processam problemas e oportunidades a partir de diferentes pontos de vista.

Pouco e muito dinheiro na vida

Pouco ou muito dinheiro podem causar problemas, apesar do primeiro exemplo ser aquele um pouco mais complicado na vida pessoal. (Foto: freshbusinessman.com)

Em cima do fato de que homens e mulheres são diferentes, opostos se atraem. As possibilidades são, se você é casado, um de vocês é bom em números de trabalho (o nerd) e do outro não é bom em números de trabalho (o espírito livre). Esse não é o problema real. O problema é quando o nerd negligencia a entrada do espírito livre ou quando o espírito livre evita participar das transações financeiras por completo.

Este desequilíbrio para os excessos ou faltas pode resultar em conflitos de auto-estima, conflitos de quem gasta/poupa mais, quem sustenta a família e até jogos de poder. Mesmo com os dois lados trabalhando, uma simples diferença salarial entre os dois lados pode resultar em grandes discussões e insatisfação para ambos os lados da história.

O casamento é uma parceria

O casamento é uma parceria. Ambas as partes precisam estar envolvidos nas finanças. Separar o dinheiro e dividir as contas é uma má ideia.

Nerds dos casais: não fiquem com o dinheiro só para si mesmos. Não use o seu “poder” para abusar daquele que tem espírito livre. Espíritos livres, não apenas acenam com a cabeça e dizem: “sim, isso parece ótimo, querido.” Eles devem ter um voto nas reuniões de orçamento, também, dar feedback, crítica e incentivo. O trabalho no orçamento juntos, seja na fartura ou na pobreza é que vai elevá-los a uma posição melhor.

Mas e se meu cônjuge não vai entrar nessa comigo? Muitos perguntam. É difícil, mas com paciência e bondade, o seu cônjuge acabará por ver a luz. Não bata-lhes na cabeça com a necessidade de um orçamento, e por favor, não submeta o seu cônjuge para um sermão sobre finanças. Cabe aqui, acima de tudo, o bom senso e a vontade de fazer o relacionamento funcionar e a família crescer rumo a uma vida financeira mais saudável.

Considerações finais

Com o dinheiro trabalhando para o bem do casal e não trabalhando como uma fonte de discórdia, seu relacionamento ficará muito mais saudável. Saiba dividir o que você tem, assim como também assumir as responsabilidades. Ambos tem direitos e deveres na relação e ambos devem colocar o indivíduo acima de tudo. O intuito aqui é dar ao dinheiro seu devido valor e com ele trabalhar para alcançar novos patamares, e não cavar um buraco onde você vai enterrar seu relacionamento.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)