Se você e seu parceiro são como a maioria dos casais as chances são de que vocês lutam por causa do dinheiro. Numerosos estudos têm mostrado que o dinheiro é o 1 º motivo pelo qual os casais discutem e muitos dos recém-divorciados dizem que essas batalhas foram a principal razão pela qual eles desataram os laços matrimoniais. Afinal, as pessoas tendem a ser emotivas financeiramente ao invés de pensar como estrategistas. E por isso, vamos conversar com vocês sobre o lado financeiro de um casamento, tanto bom quanto ruim.

A fusão das finanças

Uma das primeiras questões dos recém-casados é como lidar com suas finanças. Vocês mesclam tudo que tem em uma conta conjunta ou mantém as contas individuais e abrem uma conjunta para as despesas da casa?

Para muitos noivos, a escolha certa pode estar em algum lugar no meio do caminho. Você deve ter algum dinheiro para você mesmo e uma parte para vida em casal.

O conselho é diferente quando um dos cônjuges entra no casamento com uma dívida elevada. Mas, supondo que você queira ter uma boa saúde financeira, encontre uma maneira de misturar as finanças confortavelmente sem se sentir como a bengala financeira de seu parceiro ou se sentir no big brother, com todos os seus gastos sendo vigiados. Ao longo do tempo, quando crianças e financiamentos entram em jogo, muitos casais acham que fundir todas as suas finanças é simplesmente mais fácil. Mas a menos que você esteja confortável com a idéia, não há necessidade de apressar as coisas.

Lidar com dívidas

Casais não sabem lidar com dívidas. Para agravar o problema, em muitos casos, um dos cônjuges entra no casamento com uma dívida muito maior do que o outro. É quase inevitável. Mesmo se você conseguir chegar aos seus 20 ou 30 anos sem dívidas, você pode encontrar um parceiro que está em dívida.

Para os casais ainda não casados, saber da dívida pode ser útil para pensar em um acordo pré-nupcial, apenas para ter certeza de que os ativos que um dos cônjuges traz para um casamento será sempre protegido de credores do outro cônjuge. Isso não é dividir as responsabilidades, mas sim, proteger o casal de problemas futuros.

Mas aqueles que já estão casados, deve, encontrar uma maneira de pagar as dívidas o mais rápido possível e sem quaisquer pagamentos atrasados. Para obter ajuda com isso, nós já falamos aqui no nosso blog várias vezes sobre como administrar seus débitos e dívidas.

Casais lidando com dinheiro

Nossa cultura falha na educação financeira para as pessoas, inclusive para casais, que evitam falar sobre isso e acham que nunca terão problemas com dinheiro. Acontece que esse é um dos maiores motivos de divórcios e que deve ser sempre conversado entre os casais, evitando problemas e buscando o equilíbrio financeiro que todos nós precisamos. (Foto: greenbrideguide.com)

Os gastos do casal

O seu marido mantém diz que você gasta muito, mas compra uma TV de 70 polegadas de plasma de tela plana. Ele alegremente explica como ele selou a compra em uma oferta imperdível e começa a discussão. O que normalmente acontece é que um dos cônjuges é rotulado de “gastador” e é culpado por gastar todo o dinheiro do casal. Na maioria dos casos, no entanto, isso está errado, sendo ambos a gastarem as mesmas quantias, mas com coisas diferentes.

A solução aqui é identificar o problema real, ou seja, que ambos estão gastando em um orçamento apertado. Em seguida, sentar e decidir quanto dinheiro você vai atribuir às “coisas” da vida e quanto poupar para as grandes compras. Assim, cada um terá maior disciplina nos gastos do casal.

Investir sabiamente

Quando se trata de investir, os homens estão mais dispostos a assumir riscos financeiros do que suas esposas. Discutir sobre isso não é nada eficiente. É ideal e certo sentar e falar sobre suas metas de investimento e prazos. Você pode ser completamente avesso ao risco com o dinheiro que você precisa para o próximo ano, mas você pode ser um grande tomador de riscos com o dinheiro que você está economizando para a aposentadoria. Se isso não funcionar para você, procure a ajuda de um corretor ou um planejador financeiro.

Qualquer opção que vocês tomem, revejam seus investimentos juntos, pelo menos uma vez por ano e certifique-se que, em geral, suas carteiras de investimentos estão equilibradas para diminuir os riscos assumidos pelo casal.

Manter segredos financeiros

Você vai ficar chocado ao saber que a maioria dos casais mantém segredos de dinheiro um do outro. Homens e mulheres confessam que em um momento ou outro mentiram para os seus cônjuges sobre o preço de algo que eles compraram.

É um grande problema? Depende de como você lida com isso. A maioria das pessoas também mente para si mesmos sobre o que eles estão passando. É hora de ser honesto, deixar claro para seu parceiro sobre todos os problemas e segredos e encarar juntos os desafios que estes segredos estarão impondo à relação.

Planejamento para emergências

Mesmo que você tenha uma grande carreira, ganhar uma vida confortável e não ter de se preocupar com dívidas, você pode encontrar-se completamente despreparado para uma emergência. Um acidente, doença, qualquer coisa pode jogá-lo fora da pista, se você não tiver um fundo de emergência. Encontra-se uma tendência natural das pessoas a entrar em pânico, em caso de emergências inesperadas. Elas podem levar a decisões erradas. Todos os casais devem ter um fundo de emergência com um total de três a seis meses de despesas para subsistência. Apenas saber que o fundo está lá basta para reduzir o estresse, já que você sabe que não está andando em uma linha tênue entre o conforto e a catástrofe.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)