Você está endividado e não sabe muito bem o que fazer. Já buscou várias soluções diferentes, mas se vê sempre no mesmo beco sem saída. A única coisa que você tem são alguns bens para penhora, como algumas jóias, ou até um carro. Será que vale a pena penhorar tais itens, ou seja, deixá-los como garantia de pagamento de um empréstimo com o banco, para solucionar seu problema?

Com a grande oferta de crédito e as boas condições, principalmente nos bancos públicos, a penhora tem sido deixada de lado. Mesmo assim, é uma modalidade de empréstimo com juros muito baixos, dado o baixo risco relacionado com esta modalidade de empréstimo financeiro.

O que acontece exatamente no penhor? Um item que você tenha é avaliado pelo banco que te dá um empréstimo correspondente, normalmente, a um valor equivalente ou um pouco menor do que o item vale (até 85% do valor do item pode ser convertido em um empréstimo). O item funcionará como uma garantia, caso você não pague o empréstimo. Ele será propriedade do banco, caso você não quite sua dívida.

Mesmo com a possibilidade da “perda” de um item, o penhor pode ser um bom negócio.

Para quem ganha menos de R$3.000,00, os juros giram em torno de 1,7%, com um limite de empréstimo de R$1.000,00. Está menor taxa, bem significativa, não é boa para funcionários públicos, pois eles pagam taxas equivalentes ou até menores nos bancos públicos. Para empréstimos diretos, os juros ainda giram entre 3% e 5%.

Penhor da CAIXA

A CAIXA tem um ótimo e confiável programa de penhor que pode estar na medida certa para suas necessidades. (Foto: jornale.com.br)

É importante que seja um item de boa qualidade para sua avaliação ser também de melhor valor.

Só que só ir penhorar seu item não adianta. Um empréstimo desse tipo precisa de planejamento financeiro para o pagamento. A principal forma é ver se o empréstimo será suficiente para pagar todas as suas dívidas ou amortizar uma boa parte delas. Seu salário deve ser capaz de pagar as parcelas do empréstimo e pagar a dívida pré-existente em parcelas amortizadas. O ideal é que este “empréstimo” consiga transformar as parcelas da dívida anterior somadas com a dívida do empréstimo atual em um valor correspondente entre 10% a 15% de seu salário. Mais do que isso, o penhor não vale tão a pena.

Se após você fazer essa análise financeira, e o penhor realmente valer a pena,leve seus bens a serem penhorados ao banco junto com CPF, documento de identidade e comprovante de residência. O prazo de contratação do penhor varia de 1 a 180 dias, e recomendamos a menor quantidade possível para que pague menos juros.

E da próxima vez, cuide de suas finanças para não ter que penhorar seus bens. Eles podem ter um valor financeiro muito bom, mas o valor sentimental da maioria deles não tem preço que pague.

Um comentário para “Devo penhorar jóias para pagar dividas?”

  1. Manoel Batista

    A CAIXA ECONÔMICA penhora outros bens como celular?

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)