O spread bancário é uma diferença entre duas taxas de juros relacionados e que ocorre em muitos tipos de transações comerciais ou financeiras. O spread pode acontecer e empréstimos, investimentos, financiamentos e outras operações financeiras. Entender o spread vai te ajudar, financeiramente, a entender melhor nosso sistema financeiro e a fugir de taxas desfavoráveis para você.

O spread bancário nos empréstimos

Para qualquer empresa que empresta dinheiro, o spread de taxas de juro é o que a empresa cobra de um empréstimo em relação ao seu custo. Uma instituição financeira funciona através dos spreads de taxas de juros, com o pagamento de uma determinada taxa de poupança e oferecendo empréstimos a taxas mais elevadas do que paga aos poupadores. Sociedades financeiras de capital aberto, tais como os bancos, relatam frequentemente o spread de taxa de juros líquidos auferidos sobre relatórios financeiros trimestrais e anuais. O Banco Mundial publicas dados de países ao redor do mundo que mostram a diferença (spread) entre a taxa de empréstimo média e a taxa de depósito.

O spread bancário nos investimentos

No mundo dos investimentos, os spreads de taxa de juros são utilizados para avaliar quanto está pagando um investimento em comparação a uma taxa de referência. No Brasil, o benchmark é muitas vezes estabelecido como uma porcentagem do CDI, e a diferença entre o benchmark e os juros que rendem o investimento é o spread.

Importância do spread bancário

O spread bancário é um valor a considerar quando buscando taxas de juros mais justas entre instituições financeiras no Brasil. (Foto: guarantorloanscompare.co.uk)

O spread em ações

É a diferença entre o preço de compra e o preço de venda de uma ação. O que você quer procurar aqui é comprar uma ação a um preço baixo e conquistar um spread considerável em relação ao preço de venda. Trocando em miúdos, você quer aumentar a diferença (spread) entre o preço de compra e o de venda.

Por que entender o spread bancário?

O spread bancário refere-se à diferença entre a taxa de juro em que um banco cobra um mutuário e a taxa de juros que o banco paga um depositante. Entendendo o spread bancário, ou seja, a diferença entre o custo do dinheiro e as taxas que o banco cobra de seus clientes possibilita estabelecer um critério de seleção de bancos para encontrar a instituição financeira com um spread mais justo.

Para encontrar o banco com a taxa mais justa, use a taxa SELIC, que é a taxa básica de juros do Brasil. Pegue os diferentes empréstimos e compare os juros com a taxa básica de juros SELIC. Quanto maior a diferença (spread), mais caro é o empréstimo para seu bolso. Em alguns tipos de empréstimos, como financiamento de imóveis e veículos, você pode até encontrar um “spread negativo”, ou seja, os juros do empréstimo são menores que a SELIC. Neste caso, quanto maior a diferença, mais barato o empréstimo é para você.

Deixamos algum detalhe sobre spread bancário de lado? Compartilhe nos comentários suas dúvidas que continuaram e faremos o possível para respondê-las!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)