Fundos de investimento são valores agrupados investidos por pessoas com metas de investimento semelhantes, que não necessariamente têm qualquer relação uns com os outros. A quantidade combinada é colocada nas mãos de profissionais que gerenciam o fundo. Ele funciona como um condomínio, onde os inquilinos são o conjunto de investidores que adquirem os títulos ou valores mobiliários em interesse mútuo na busca por lucros. Os profissionais que gerenciam este fundo são como as administradoras de condomínios ou o síndico, gerindo tais recursos a fim de maximizar os ganhos, reduzir os riscos e minimizar prejuízos.

O fundo em si ele tem um CNPJ próprio, independente de qual instituição financeira esteja fazendo a gerência do mesmo ou seja, ele é independente. A instituição financeira é a administradora e gestora desta “instituição financeira”, sendo cobrada uma taxa de administração para a gestão e administração dos fundos.

Um fundo de investimento é vantajoso pois você estará dividindo riscos com mais pessoas, além dos lucros e tendo uma carteira com um bruto financeiro maior, o poder de negociação do gestor é melhor, assim como taxas. É um investimento onde a especialização de gerência de fundos por parte da empresa que administra os fundos, o que irá te poupar um tempo precioso por um valor justo, ao avaliar as variáveis do mercado e saber como gerir os recursos do fundo. Fica mais fácil também para gerir a parte fiscal, os impostos, pois os cotistas só pagam o fundo em periodicidade semestral ou no resgate do fundo, nunca pagando na movimentação do mesmo. Você dilui o seu risco pois o fundo é um tipo de investimento diversificado.

Aplicações para investidores

A união faz a força do fundo, com mais pessoas participando e dividindo riscos e facilitando a gestão de recursos. (Foto: bancatelefonica.blogs.sapo.pt)

Também podemos falar sobre a marcação de mercado, pois todo dia os preços de mercado tem que ser refletidos no fundo, ganhando mais transparência e facilidade de comparação e transferência de riquezas entre os cotistas do fundo. A cota do fundo que você compra é o que efetivamente vale o conjunto dos papéis.

Por fim, temos a flexibilidade, pela gestão facilidade dos fundos e sua manipulação por parte do investidor, uma vez que ele não precisa ficar buscando tantas informações para a otimização de seus investimentos.

Há, literalmente, milhares de opções para fundos de investimento no mercado. E o preço de uma parcela dos fundos de investimento é determinado dividindo-se o total de ativos pelo número de ações em circulação. Uma vez que estes dois fatores (ativos totais e do número de ações em circulação) pode variar, o valor da ação também flutua. Investidores são livres para comprar mais ações como quiserem. Eles podem colocar o dinheiro em um fundo ou removê-lo sempre que desejar, respeitando os prazos para liquidação estabelecidos pelos responsáveis do fundo. Como tal, o gestor do fundo deve ser capaz de comprar de volta ações dos investidores pelo seu valor patrimonial líquido, a qualquer momento.

No Brasil, podemos destacar os seguintes fundos de investimento: de curto prazo, referenciado, renda fixa, ações, cambial, dívida externa, multimercado. Tais fundos variam em taxas de retorno, além dos riscos envolvidos em cada um deles.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)