A carência de planos de saúde existe e pode ser um problema para muitos que precisam de usar os serviços assim que contratam um novo plano. Compreender o funcionamento das carências vai ajudar a evitar problemas e evitar que você seja pego despreparado. Descreveremos abaixo as regras da carência de um plano de saúde.

O que é carência no plano de saúde?

Um período de carência é a quantidade de tempo que a operadora permitirá que as mensalidades sejam recebidas enquanto mantém sua cobertura de seguro ativa. O período de carência é definido em seu contrato de apólice de seguro que especificará condições que determinam como um procedimento se um período de carência for cumprido ou não cumprido. Os períodos de carência variam de acordo com o tipo de plano e operadora de planos de saúde. Nem todas as operadoras de planos de saúde tem períodos de carência. Se você não pagar o prêmio de sua apólice de seguro dentro do período de carência ou na data de vencimento, sua apólice e cobertura poderão ser canceladas ou você poderá ter penalidades a pagar. Em outras palavras, a carência é o período em que você pagará o plano de saúde mas onde terá limitações aos tipos de coberturas que terá acesso.

Quanto tempo dura a carência do plano de saúde?

O período de carência pode variar entre diferentes empresas. Pela legislação atual, planos contratados a partir de 02 de janeiro de 1999 ou que foram adaptados para a legislação atual, podem fazer as seguintes exigências de carência mínima:

  • Casos de urgência (acidentes pessoais ou complicações no processo gestacional) e emergência (risco imediato à vida ou lesões irreparáveis): 24 horas
  • Partos a termo, excluídos os partos prematuros e decorrentes de complicações no processo gestacional: 300 dias
  • Doenças e lesões preexistentes (quando contratou o plano de saúde, a pessoa já sabia possuir): 24 meses
  • Demais situações: 180 dias
Plano de saúde e carência

O período de carência é necessário para quem está fazendo um plano de saúde pela primeira vez, geralmente. (Foto: The Finapolis)

Por que existe um período de carência para um plano de saúde?

O período de carência do plano de saúde dá às pessoas e às empresas uma chance de pagar pelo plano até que haja um mínimo pago para cobrir os procedimentos mais complexos e, consequentemente, mais caros. É uma proteção para que as empresas não tenham que arcar com custos sem antes poder ter os recursos para cobrir os benefícios aos seus clientes.

Com um exemplo fica mais fácil de explicar. Imagine que você precisa de um procedimento não urgente de cirurgia para redução de estômago. Suponha que o procedimento custe R$10.000 para um plano de saúde com mensalidade de R$300. Se não existisse a carência, você poderia fazer a cirurgia com um mês de plano e, logo depois, cancelar o plano, o que deixaria o plano de saúde com um alto prejuízo. Imagine que vários outros clientes podem fazer o mesmo, e você tem um cenário em que vários planos de saúde começarão a falir.

E se você tiver um problema antes do período de carência acabar?

Você não precisa se preocupar com o período de carência para procedimentos urgentes e que podem significar risco de vida para você, sua família ou outros segurados. A única questão é se preparar e se planejar para uma gravidez, de forma que ela aconteça só apenas após o período de carência. De resto, você estará bem protegido no período de carência. Pesquisando bem, você ainda encontrará planos com ofertas para que seja possível realizar atendimentos médicos antes do período de carência e até pequenas cirurgias. Converse com seu corretor de plano de saúde ou a operadora para esclarecer dúvidas sobre quais procedimentos estão ou não cobertos.

Ficou alguma dúvida sobre o período de carência do plano de saúde? Deixe nos comentários suas dúvidas e iremos responder o quanto antes.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)