Preços dos planos de saúde para cada idade – criança à idoso

Escrito na categoria "Educação financeira" por André M. Coelho.

Poucos são os planos que disponibilizam na internet os valores a ser pago pelos serviços. Na maior partes das vezes, é necessária uma ligação para a empresa para discussão dos planos, já que existem muitas variáveis na prestação do serviço e muitos “brindes” que os atendentes são treinados para oferecer na hora da venda para te iludir à compra. Tome cuidado com estas armadilhas: as coisas não são tão bonitas quanto parecem quando narradas pelos vendedores. Principalmente quando falamos sobre a idade do solicitante do serviço.

Publicidade

Publicidade

A Agência Nacional de Saúde criou uma tabela de faixa etária para os reajustes de valores, estabelecendo que os aumentos só podem ser aplicados até os 59 anos de idade. O que vivemos, em muitos casos, é o oposto disso: algumas empresas se aproveitam de possíveis brechas na lei para continuar os aumentos para clientes mais antigos, dizendo que o Estatuto do Idoso não pode ser retroativo.

Isso gera um mal estar para toda população consumidora brasileira, que deseja obter melhores atendimentos e melhores coberturas de saúde. Segundo algumas pesquisas indicam, um plano básico hoje em dia, com acomodação em enfermaria, pode custar mais de R$700,00 para pessoas na terceira idade.

O que pensar quando for pagar por um plano

Muitos decidem escolher um plano apenas pelo seu valor. Devem ser pensadas muitas variáveis. Este pequeno artigo vai te orientar quanto aos preços, mas nada irá superar o bem estar que um plano, mesmo que um pouco mais caro, possa te proporcionar. (Foto: stilluscorretora.com.br)

É fato que quanto mais jovem, mais barato os planos, principalmente quando tratamos de planos família, quando você pode incluir seus filhos como dependentes. Até a faixa dos 40 anos, os valores ainda são atrativos para o brasileiro comum, -da classe média. O problema começa mais ou menos a partir dos 49 anos, quando os valores aumentam consideravelmente, assim como também os riscos de surgimento de doenças. O remédio sempre para isso é prevenir enquanto é tempo, com a prática de exercícios físicos diários, consultas médicas constantes para prevenir doenças. Remediar vai ser sempre mais caro e problemático.

Para os que querem economizar na terceira idade, ainda existe a opção dos atendimento público de saúde. Mas a variação na qualidade é muito grande, dependendo da cidade e do estado onde você vive. Se em algumas o atendimento é de primeiro mundo, em outras pode não ser tão bom. No caso de tratamento para doenças específicas, como o câncer, existem muitas ONGs e centros de tratamentos que são referência no Brasil, com atendimento gratuito na maior parte das vezes. Uma breve pesquisa na internet pode fazer a diferença para obter o melhor tratamento possível.

Publicidade

Publicidade

Pense bem na frequência com a qual você vai ao médico. Ir menos significa ter um plano mais barato, mas não necessariamente será o que você precisa.

Sobre valores mais exatos, segue abaixo dados  com uma média de preço para os planos básicos com atendimento em enfermaria, sem co-participação, desde a infância até a terceira idade. Note que os valores são informativos e só uma estimativa, podendo variar muito de plano para plano. Lembrem-se também que planos família e empresariais podem ter melhores valores do que nesta tabela, que analisa apenas valores individuais:

0-18 anos: R$ 167,50

19-23 anos: R$ 214,40

Publicidade

24-28 anos: R$ 227,80

Publicidade

29-33 anos: R$ 234,50

34-38 anos: R$ 256,29

39-43 anos: R$ 293,14

44-48 anos: R$ 410,40

49-53 anos: R$ 549,44

Publicidade

Publicidade

54-48 anos: R$ 616,36

+ de 59 anos: R$ 1004,73

Observe que este é apenas um exemplo para que você possa ter um ideia de como os preços evoluem com a idade do beneficiário. O plano de saúde que você escolher pode ter valores bem diferentes destes acima, mas a proporção entre eles provavelmente será bem parecida.

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Crédito ou débito? Esta é uma pergunta quase sempre feita ao se pagar com cartão mas é uma questão também comum na vida de muitos brasileiros. Com mais de 300 horas em cursos de finanças, empreendedorismo, entre outros, André formou-se em pedagogia e se especializou em educação financeira. Dá também consultorias financeiras e empresariais quando seus clientes precisam de ajuda e compartilha conhecimentos aqui neste site.

Publicidade

Publicidade

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Crédito ou Débito não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário