Tudo que envolve um trabalho freelancer deve receber o devido planejamento. Isso evita problemas com má gestão do tempo, clientes que não pagam pelos trabalhos, produtos e serviços que não são bem vendidos no mercado. Agora, o pior de todos os problemas é quanto ao dinheiro: poucos freelancers conseguem fazer uma boa gestão dos recursos financeiros. Pior ainda quando estamos falando da precificação de serviços e produtos vendidos. São raros os freelancers que conheço que tem uma vida financeira saudável, e pretendo ajudar esses amigos e a quem mais interessar, principalmente no aspecto da precificação do trabalho freelancer.

Não existe uma fórmula mágica para o preço do trabalho freelancer

Seja você um designer gráfico ou consultor financeiro, o trabalho freelancer e o preço são completamente diferentes. Um designer com pós graduação e anos de mercado vai ganhar mais do que um que acabou de sair da faculdade, por exemplo. O sucesso como freelancer acontece por conta de sua alta flexibilidade, e possibilidade de uma empresa ou pessoa contratar um freelancer de qualquer lugar do mundo para alguns tipos de produtos e serviços.

Assim, os métodos e sugestões para definir quanto cobrar em um freela deve considerar como base sua situação atual mais do que as dicas que darei. Isso inclui responsabilidades familiares, contas correntes, experiência, onde você mora, nível de escolaridade, os tipos de clientes, etc. As dicas abaixo são orientações gerais, para te dar base suficiente para fazer os cálculos de freelancer sozinho.

Quanto cobrar no freelancer: pesquise o salário da sua profissão

Um dos primeiros lugares que você deve pesquisar para encontrar o preço a cobrar dos clientes é pesquisando os concorrentes. Procure anúncios de emprego locais para o tipo de profissional que você é, ou preços dos produtos que você vende. Isso dá uma ideia de quanto um profissional empregado na sua área está ganhando. Assim, você consegue iniciar o cálculo, com base no piso salarial que o mercado oferece para sua profissão.

Exemplo: quero saber quanto cobrar no freelance de design. Pesquisei na minha cidade que o salário pago a um profissional de carteira assinada no ramo é de R$2.000. Com base nesses dados, para poder ganhar R$2.000 por mês, tenho que “vender” aproximadamente R$500 por semana. Se eu consigo executar 2 serviços por semana, eu tenho que cobrar R$250 por semana.

Esse é um cálculo básico, baseado apenas e somente no salário da sua profissão. Mas você não deve se limitar apenas a isso no seu cálculo.

Precificação do serviço freelancer

Pra ter grana no bolso sempre, o freelancer tem que ser capaz de gerir bem seus recursos e claro, precificar seu tempo de trabalho da maneira correta. (Foto: freelancem.ag)

Quanto cobrar por hora de trabalho freelancer?

Se o método acima não funcionou pra você ou ele é muito básico, o próximo passo é calcular o valor da hora de trabalho freelancer. E isso você só consegue definir de uma forma: testando o mercado, assim que você tiver uma base salarial. Vejamos com um exemplo.

Em uma rotina de 40 horas semanais, totalizando 1.920 horas por ano (40 horas por semana, vezes 48 semanas, menos duas semanas para férias e duas semanas para assuntos pessoais ou doenças). Usando R$2.000 como a base salarial, tenho o salário anual de R$26.000, se quiser incluir um décimo terceiro salário no cálculo. Esse valor eu divido pelo total de horas que pretendo trabalhar, e o valor que tenho é de R$13,54. Este é o valor base da minha hora de trabalho freelancer, mas é apenas um ponto de partida para o cálculo da hora de trabalho freelancer. Por que?

Bem, porque temos variáveis. Se o cliente precisa que eu vá até a casa/trabalho dele, eu tenho que adicionar o valor do transporte e do tempo que demoro para chegar na casa dele. Se ele precisa de urgência, digamos, para fazer o trabalho na metade do tempo normal, eu também posso encarecer minha hora. Se eu tenho uma especialização no serviço que estou prestando, como uma especialização em consultoria financeira, eu posso cobrar mais caro pelo serviço especializado. Se eu quero pagar um plano de saúde a partir dos meus ganhos como freelancer, posso adicionar o valor ao meu salário anual, e calcular a base salarial a partir daí.

Você só será limitado pelo que seus clientes estarão dispostos a pagar, mas NUNCA você deve cobrar menos do que o valor base da hora de trabalho, ou você estará prejudicando não apenas seu negócio, mas toda sua categoria de profissionais.

Minha estratégia para freelancer de aulas particulares? Para todos os cálculos, estabeleço porcentagens para as variações no preço. Aluno tem prova na mesma semana que darei a aula? Aumento em 10% o valor. Casa do aluno fica a mais de 5 km da minha residência? Mais 15% para custos de transporte. Também aumento mais 10% no valor base sempre, para ter uma margem de negociação de preço, essencial em qualquer negociação. Essas regras também filtram maus clientes. A única vez que não segui essas regras, acabei levando um calote de um(a) cliente que ainda me responsabilizou pelo fracasso na escolha do filho(a), sendo que o(a) mesma(o) não orientava e nem acompanhava os estudos diários. Nunca mais tive problemas, desde que passei a seguir as regras sem exceções.

Converse com outros freelancers de sua área

E não tenha medo de falar sobre assuntos financeiros. Tanto você pode ajudá-los quanto eles podem te ajudar. Sonde os preços que eles estão cobrando dos clientes, mas tenha ética também, ao não “roubar” clientes desses colegas de profissão. Ainda, para conseguir se manter sempre atualizado e trocando informações sobre o mercado, é legal encaminhar clientes seus para esses amigos quando você estiver com muito trabalho. Eles podem retribuir a gratidão, e vocês criam uma excelente rede profissional, algo que vários médicos e outros profissionais já fazem.

Calculador freelancer: uma ferramenta para te ajudar nos cálculos!

Outra opção para muitos freelancers são as calculadoras freelancer. Elas não existem para todas as profissões freelancer, mas geralmente tem preços, pelo menos, para as seguintes profissões:

Fotógrafo

Designer

Jornalista

Escritor

Programador

Aulas particulares

Lembrando que o valor que a calculadora passa é uma base para os demais cálculos. Use em conjunto com seu próprio cálculo para seu piso salarial.

Cobrar por hora ou por projeto freelancer?

No fim das contas, o melhor juiz para a precificação de seus serviços e produtos é você mesmo. Por exemplo, você pode achar que pensar na quantidade de horas que demora para fazer um projeto pode ser a base melhor para seus preços, e cobrar por projeto executado. Ou ver que cobrar por projeto não dá muito certo, e estabelecer um número de horas para trabalho. Tenha bom senso, não pare de pesquisar e se especializar na sua área e em breve, você verá que pode aumentar seus preços pela qualidade do serviço.

Como vocês precificam seu trabalho freelancer? As dicas que demos ajudaram vocês?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)