Estamos aqui falando principalmente sobre os custos de dar a luz, incluindo aqui a fase pré-natal. Nós gostaríamos de poder dar-lhe um valor, mas cuidados de saúde pré-natal e os custos de ter um filho variam muito. Quanto você vai pagar vai depender de fatores como onde você mora, se você tem quaisquer complicações e se você tem um parto vaginal ou cesariana, além de se você fará o acompanhamento por um plano de saúde ou pelo SUS.

A porcentagem de custos pré-natal e maternidade que serão abordados depende de sua operadora de seguros e qual o plano que você tem. Tenha em mente que se o tipo de plano não cobrir integralmente as consultas, você terá de desembolsar uma boa quantia na co-participação.

Para evitar o pagamento extra ou por algo que você não deveria, é importante que você entender completamente a política da sua operadora de seguros de cobertura de maternidade. Se você tem seguro através de seu empregador, o seu departamento de recursos humanos deve ser capaz de ajudá-lo a entender a sua cobertura.

Seguros de saúde individuais podem ser uma opção, mas olhe atentamente para as suas escolhas, já que os planos normalmente não cobrem os custos de maternidade e às vezes legalmente tratam a gravidez como uma condição pré-existente (o que significa que pode não ser bem-coberto). Você pode sempre optar pelo SUS, que tem, em muitas cidades, programas pré-natais e de atenção às mães e pais de excelente qualidade, além de redes de atendimento à grávidas com toda a qualidade de um hospital ou médico privado.

Os custos de ter um filho

Ter um filho envolve muitos gastos, principalmente médicos no pré e pós natal. Por isso, nada melhor do que um pouco de planejamento para saber quais serão os custos e como economizar. (Foto: redbookmag.com)

Ao contrário de uma situação de emergência médica, você pode também ser um cliente esperto de hospitais e médicos. Você pode dar uma pesquisada antes do tempo, porque você tem tempo de espera. Procure um hospital que oferece boas taxas para atendimentos de nascimento e atendimento pós-natal. Se você antecipar um parto sem complicações, considere o uso de um centro de parto em vez de um hospital. Você pode também optar por ficar em enfermaria ao invés de apartamento, o que diminui consideravelmente os custos de sua estadia.

Descubra se o departamento de financiamento do hospital onde você vai ter seu filho oferece descontos para pacientes sem seguro ou se possibilita um plano diferenciado de pagamento. Se não, pergunte a opção do SUS mais próxima de sua casa ou mais segura. Lembre-se de que o atendimento de hospitais públicos varia muito dentro de uma mesma cidade. Talvez ter seu filho um pouco longe de casa possa ser uma opção muito melhor do que enfrentar uma fila enorme em um trabalho de parto. Trabalhe com o seu obstetra para explorar se existem alternativas genéricas para medicamentos prescritos durante o pré-natal ou pós-natal.

Ter um filho pode ter custos muito altos, mas além de discorrermos aqui sobre onde e quanto você pode gastar, também discorremos sobre como economizar. Não levamos em conta os custos com fraldas, itens de higiene básica ou na montagem do quarto do novo membro da família porque isso varia muito de família para família. Sobre itens de higiene, prefira sempre os maiores e mais econômicos pacotes. Se você quiser ainda fazer bem ao meio ambiente, pode optar por fraldas de pano ao invés das descartáveis. Lembre-se sempre de planejar e colocar todos os custos no papel antes de qualquer decisão de gastos, ok? E boa sorte com o bebe a caminho!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)