Os cuidados com a saúde estão entre os maiores gastos de uma família. Tanto quem utiliza apenas nossos serviços públicos quanto quem utiliza planos de saúde acabam gastando um bom dinheiro com consultas, exames, medicamentos e muito mais. Quem quer economizar uma grande quantidade de dinheiro e ainda manter a saúde em dia precisa conhecer melhor os planos de saúde e saber como é possível pagar menos pelo plano de saúde.

Pesquise preços de medicamentos e exames

Você pode não pensar duas vezes antes comprar seus medicamentos na farmácia da rua, mas talvez você deva. Pesquise para ver o que outras farmácias estão cobrando para o mesmo medicamento. Você pode acabar com algumas economias significativas e definitivamente vale seu tempo. Isso inclui pesquisar preços também para procedimentos médicos. Em alguns casos, principalmente para quem tem plano de saúde com co-participação, exames fora da rede de atendimento do plano de saúde pode ser mais baratos do que a parcela do exame que você terá de pagar. Ou, melhor ainda, você pode conseguir o exame gratuitamente pelo SUS. Pesquise, pois o plano de saúde ão terá medo de cobrar na sua próxima fatura.

Peça um desconto ao seu médico

Se você foi um paciente leal e suas finanças estão apertadas, não tenha medo de perguntar se o seu médico ou prestador de cuidados de saúde pode deixar de cobrar uma visita ou no custo de um procedimento. Você terá o poder de barganha mais se você negociar um desconto anteriormente, diretamente com a secretária ou com o médico.

Se é tarde demais para isso, você ainda tem opções. Você pode pedir um pagamento parcelado. E como com qualquer negociação, você deve começar com valores mais altos e trabalhar o seu caminho lentamente até algo mais barato. Por exemplo, tente iniciar as negociações por solicitar um desconto de 50% nos procedimentos (já que atendimentos são tabelados pelos planos de saúde) e, em seguida, vá negociando até um ponto em que você e seu prestador de cuidados de saúde estejam mais confortáveis. Você deve estar bem preparado para explicar por que precisa tanto de um desconto.

Peça sempre genéricos

Se o seu médico prescreve um medicamento, pergunte se há uma alternativa genérica adequada ou outro medicamento com efeitos similares que tenha uma versão genérica. Você também pode perguntar por alternativas naturais ou pedir amostras grátis para cortar os custos ou substituir a alternativa alopática mais cara.

Economias com planos de saúde

Acompanhar, entender e monitorar seu plano de saúde vai ajudar a economizar centenas de reais anualmente. (Foto: iss.ku.edu)

Ouça seu médico

Cerca de 20 por cento das pessoas não seguem a receita e indicações que recebem de seus médicos. Metade deles não segue corretamente, e a outra metade sequer segue qualquer indicação. A falha em seguir ordens do seu médico pode levá-lo de volta no hospital, submetendo você a mais custos com um novo atendimento, novos procedimentos e novos medicamentos.

Compare os custos para exames médicos e planos de saúde.

O seu médico recomendou uma ressonância magnética ou um teste de laboratório? Antes de caminhar até a instalação sugerida, ligue para diferentes locais e pergunte pelo preço. Existe uma grande variação para o mesmo procedimento. Dependendo de onde o serviço é feito, pode ser significativamente menos dispendioso. E só porque seu médico tem um convênio com um laboratório ou prefere os resultados de um lugar específico, não significa que você precisa ir nestes locais. Peça sempre ao seu médico para fazer um encaminhamento tanto para laboratórios dentro do seu plano de saúde quanto para fora, de forma a aumentar a gama de lugares para você pesquisar preços.

Nessa comparação, aproveite para reunir os custos dos planos de outras empresas de plano de saúde. Com estas informações, você pode começar a negociar custos menores para seu plano ou até encontrar um plano mais benéfico para você. É importante que você avalie também custos de planos família e individuais. Muitas vezes, é mais barato ter um plano para cada membro da família do que ter um plano familiar para todo mundo.

Leia suas faturas do plano de saúde

Contas e faturas dos mais diversos serviços podem vir errado. E a porcentagem de erros nessas faturas é absurda. Compare sua fatura discriminada, item por item, com a explicação de sua provedora de plano de saúde para garantir que ele está cobrando a taxa acordada no âmbito do seu contrato, respeitando seus direitos como consumidor. Se você perceber erros, conteste via email, telefone, online ou presencialmente, em uma unidade de atendimento de seu plano de saúde. Checa e conteste para qualquer coisa que parecer incorreta, tais como:

  • Datas incorretas e horários de serviço;
  • Dosagens dos medicamentos que parecem demasiadamente altas;
  • Encargos duplicados;
  • Exames e consultas que você não fez;
  • Encargos pelo aluguel de equipamentos e suprimentos básicos.

Se o paciente tiver dúvidas, eles devem pedir uma discriminação do consultório médico, laboratório ou hospital no qual receberam o atendimento para esclarecer os problemas.

Pratique exercícios físicos e coma bem

Uma das melhores maneiras de ficar longe do consultório médico e hospitais, e manter mais dinheiro na sua carteira, é manter um estilo de vida saudável. Você pode começar caminhando pelo seu bairro, andando de bicicleta. Pode substituir alguns alimentos gradualmente de sua dieta. Consultar um médico e um nutricionista para acompanhar essa sua mudança saudável de forma responsável.

Entenda a cobertura de seu plano de saúde

Você já paga caro por um plano de saúde. Para minimizar os seus custos adicionais, você deve compreender seu plano. Ele é obrigado a dar-lhe uma explicação claro dos benefícios que você tem direito. As informações básicas às quais você deve ter acesso são:

  • Preços para consultas e exames na rede credenciada;
  • A porcentagem de aumento na mensalidade que podem incorrer no seu plano;
  • O que o plano pode cobrar de você (materiais, consultas, exames, medicamentos, etc);
  • Franquias adicionais para serviços específicos, como injeções, aplicações de medicamentos e outros;
  • Custos para atendimentos emergenciais;
  • Serviços excluídos, como tratamentos cosméticos, fertilização in vitro, etc.

Leia bem todos os serviços e produtos oferecidos pelo seu plano de saúde e, se for necessário, negocie itens extras dentro do seu plano para atender às suas necessidades.

Saiba como escolher um lugar para atendimento de emergência

O atendimento de emergência é caro e você nem sempre precisa deste atendimento. Muitas emergências não fatais, tais como mordidas de animais domésticos vacinados, lacerações, queimaduras menores e reações alérgicas, podem ser tratadas no consultório médico, onde os seus custos podem ser significativamente menores do que no atendimento emergencial. Você pode também evitar uma visita à emergência simplesmente ligando para seu médico, perguntando o que você deve fazer e se é possível aguardar o horário comercial para o atendimento em um consultório. O importante é tentar evitar a visita à emergência e os custos adicionais dessa visita.

Questione os procedimentos médicos solicitados

Quando os médicos realizam procedimentos ou autorizam testes que podem ser desnecessários, você poderá enfrentar custos desnecessários e ser exposto a riscos indevidos de saúde. Existem sites que abrangem dezenas de cenários, explicando quando certos procedimentos, testes e medicamentos são necessários e quando eles não são. Algumas vezes, seu médico pode pedir exames “incomuns” para um certo problema de saúde, mas que são necessários. Questione e converse com seu médico. Entenda que você pode recusar o procedimento e pedir ao médico uma opção mais barata ou que te exponha a menores riscos.

Como você economiza com seu plano de saúde? Quais são as dicas que você daria para outra pessoa economizar? Não se esqueçam: planos de saúde são gastos com saúde e podem ser deduzidos do imposto de renda.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)