Se existe uma armadilha na qual praticamente todo jovem adulto parece cair e que às vezes pode até exigir um resgate da mãe ou do pai, é a dívida do cartão de crédito. A facilidade com que os cartões de crédito permitem que as pessoas comprem agora e descubram mais tarde, combinadas com um grande impulso de marketing direcionado a consumidores mais jovens, levou a uma epidemia de cartões para jovens. Principalmente com muitos menores aprendizes fazendo cartões de crédito, esse risco só tem aumentado.

Cartão de crédito sendo menor é uma boa ideia?

Embora alguns pais adotem uma atitude de “viver e aprender”, para muitos, os erros no cartão de crédito de seus filhos podem se tornar um peso financeiro em volta do pescoço, assim como do filho. Seja um recém-formado, cujo primeiro emprego não cobre os pagamentos mensais, ou o filho que está prestes a se casar, cuja pontuação de crédito torna quase impossível comprar uma primeira casa, muitos pais sentem o efeito dominó das más decisões de seus filhos.

Menor aprendiz pode fazer cartão de crédito

Felizmente, ainda é possível ensinar aos seus filhos bons hábitos de crédito, principalmente se você começar enquanto eles ainda estiverem sob seu teto. Ao criar uma base segura de alfabetização financeira, os pais podem dormir à noite sabendo que seus filhos têm uma vantagem sobre a concorrência. Aqui estão algumas das razões mais importantes para apresentar seus filhos à compra a crédito desde cedo.

E menores aprendizes, mas que são maiores de 16 anos, podem fazer cartões de crédito em instituições bancárias, desde que possam comprovar sua renda e tenham autorização expressa dos pais ou sejam emancipados.

Mas antes de sair dando o cartão para seu filho, vamos destacar alguns pontos importante nessa decisão. Afinal, você poderia ter dado um cartão adicional com limite menor para seu filho, ao invés de deixá-lo ter seu próprio cartão. No que o cartão próprio será melhor é o que vamos falar sobre.

Um cartão para menor de 18 ajuda na construção de crédito

A maior razão pela qual a maioria dos pais ajudará seus filhos com um primeiro cartão de crédito é o desejo de ajudá-los a “ganhar crédito”. Embora estabelecer um histórico de crédito seja uma razão válida, definitivamente não é a razão mais importante. As pontuações de crédito são muito menos dependentes (apenas 15% da pontuação total) de quanto tempo alguém usa crédito.

Na realidade, a maioria das pessoas que recebem um cartão de crédito com a intenção de obter crédito acaba causando muito mais danos à sua pontuação usando o cartão de forma irresponsável. Se você vai ajudar seus filhos a ganhar crédito, você deve se esforçar ao máximo para ajudá-los a criar bons hábitos.

Construir hábitos financeiros saudáveis

Ensinar seus filhos bons hábitos e uma mentalidade saudável com seus cartões de crédito enquanto eles ainda estão em posição de ouvir é o maior motivo para receber um cartão enquanto eles ainda moram com você. A grande maioria das pessoas que se vêem sobrecarregadas de dívidas chegou a uma compra irracional de cada vez. Como pai, trabalhar com seus filhos para diferenciar necessidades e desejos ajudará muito a mantê-los longe de problemas.

Evitar compras por impulso

Examinando as compras mensais de seus filhos e processando a lógica por trás de cada um, você pode ajudar seus filhos a entender o pensamento impulsivo que pode levar a gastar mais do que podem pagar. Da mesma forma, aplicando pagamentos pontuais das cobranças do mês inteiro, você ensinará dinheiro a seus filhos e isso os ajudará a evitar as duas coisas que mais prejudicam sua pontuação de crédito: saldos altos e pagamentos em atraso.

Fornecer uma rede de segurança

Certamente, bons hábitos de crédito são comportamentos que esperamos que nossos filhos escolham por conta própria, mas parte de ser um jovem adulto está cometendo um erro ocasional e aprendendo com ele. Infelizmente, cada “oportunidade de aprendizado” permanece em um relatório de crédito por sete anos.

Portanto, a última razão para obter o primeiro cartão de crédito de seus filhos enquanto eles ainda estão sob seu teto financeiro é que você possa fornecer uma rede de segurança. Por ser capaz de vigiar por cima dos ombros, você garante que o seu filho não comete erros bobos, ou deixa que o filho pague taxas desnecessárias no cartão ou caia em golpes.

Quando ajudar seu filho a ter um cartão de crédito?

O melhor momento para colocar um cartão na carteira de seus filhos é no ensino médio; no entanto, em vez de um cartão de crédito, inicie-os com um cartão de débito que deduz o dinheiro diretamente de uma conta bancária. Seja um subsídio semanal ou um salário de seus primeiros empregos, eles se acostumarão à responsabilidade de carregar um cartão e não comprar mais do que podem pagar.

Um cartão pré-pago pode ser uma boa opção aqui, ajudando seus filhos a ter um melhor controle dos valores gastos.

Cartão para menor aprendiz

Cartões de crédito podem ser uma boa forma de educar financeiramente o adolescente, principalmente quando ele está trabalhando como menor aprendiz. (Foto: Credit.com)

Cartão de crédito com limite baixo

Após a formatura do ensino médio, considere obter seus primeiros cartões de crédito verdadeiros para seus filhos. Idealmente, os cartões de crédito devem ter um limite baixo (máximo de R$500), uma baixa taxa de juros e uma baixa (ou nenhuma) taxa anual. Para garantir que seus filhos se qualifiquem para o cartão de crédito e também para ajudá-los a obter crédito, considere abrir uma nova conta conjunta de cartão de crédito com seu filho. Adicionar o filho ao seu cartão de crédito existente ajuda o indivíduo a criar um histórico de crédito também.

Cartão de crédito para emergências

Se seu filho for para a faculdade ou se mudar para uma cidade diferente, considere também adquirir um “cartão de emergência” para a família. Este é um cartão que pode ser guardado com segurança em caso de uma verdadeira emergência. Ao ter um cartão de família que seu filho está absolutamente proibido de usar para não emergências, você remove qualquer desculpa que ele ou ela possa ter para obter um cartão próprio.

Pesquisando os melhores cartões

Quando se trata de escolher o cartão, peça ao seu filho para fazer a pesquisa e discutir com você. Existem muitos sites dedicados à comparação de cartões de crédito e às recompensas que eles oferecem. Verifique se o seu filho lê e entende os detalhes de contratos associados a cada um dos cartões em revisão.

Aprender a ser um consumidor informado, especialmente na área de crédito, é uma habilidade que a maioria das pessoas nunca aprende. Ao fazer com que seu filho pesquise os detalhes de cada cartão disponível – das recompensas às letras pequenas -, ele aprenderá a nunca apenas “assinar na linha pontilhada”.

Armadilhas dos cartões de crédito

Um dos maiores erros que muitos pais cometem com os filhos é não compartilhar seus próprios erros no momento apropriado. O medo, é claro, é que admitir seus próprios erros dará a seus filhos permissão para cometer os mesmos erros. A história dos pais prova que essa ideia está errada, pois a maioria das crianças invariavelmente precisa aprender a maioria das lições por si mesma.

Com os cartões de crédito, sua melhor aposta para ajudar seus filhos a usá-los com sabedoria é contar a eles os tempos que você não fez. Explique a eles como você se endividou, compartilhe com eles como se sentiu no meio de tudo isso e diga quanto tempo e quão difícil foi para você eventualmente acabar com isso.

Outro erro fundamental que muitos pais cometem é não ajudar seus filhos a entender as taxas de juros do cartão de crédito. A maioria das crianças – e muitos adultos não tem ideia de quão rápido os juros compostos podem dobrar o saldo de um cartão de crédito ou como uma pontuação de crédito mais baixa afeta o custo futuro dos empréstimos. Para ajudar seus filhos a aprender isso, peça que eles passem algum tempo na internet pesquisando sobre esses tópicos. Faça disso um pré-requisito para obter um cartão de crédito. Provavelmente, você também aprenderá algo!

A linha de chegada financeira

Uma das maiores razões pelas quais os pais escolhem ajudar seus filhos a aprender a usar o crédito corretamente é ajudá-los a começar financeiramente, de uma vez por todas. Com isso em mente, será necessário ter uma “linha de chegada” para permitir que seu filho lide com o crédito de forma independente. Não fazer isso pode resultar em uma dependência excessiva de você como fonte de estabilidade financeira.

Como regra geral, o final da faculdade (aproximadamente 21 a 22 anos) é a idade ideal para cortar os laços de crédito com seus filhos. Certifique-se de que eles saibam o plano com um ano de antecedência, para que não fiquem frustrados ou confusos quando acontecer. Nesse ponto, depois de anos permitindo que seus filhos tenham uma responsabilidade cada vez maior e proporcionando-lhes uma importante responsabilidade e diálogo, eles devem estar prontos para gerenciar o crédito por conta própria.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos ajudar!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)