Você está abrindo seu negócio. São muitos os investimentos que acabam surgindo, o dinheiro parece que some em um buraco negro e ainda faltam muitas compras para deixar o negócio no ponto certo. Ou até mesmo, falta dinheiro para começar um negócio a partir de uma boa idéia. Para ajudá-lo nesta tarefa, muitos bancos e instituições financeiras fornecem já formas de financiamento focada para o microempreendedor, com taxas muito atrativas e condições de pagamento facilitadas.

Através do BNDES e seu cartão de crédito ou o FINAME, você pode ter acesso às melhores taxas do mercado, com juros de menos de 1% ao mês. Para conseguir este acesso, o empreendedor deve estar com sua situação toda legalizada, suas taxas, impostos e tributos todos pagos e seguir as instruções que podem ser obtidas através do portal do BNDES, neste link.

Porém, digamos que sua situação seja um pouco diferente. Que você ainda esteja no processo de legalização do seu negócio ou teve um prejuízo inesperado e não tem acesso aos financiamentos do BNDES. A CAIXA e o Banco do Brasil oferecem opções com as melhores taxas do mercado para os microempreendedores. Você deve primeiro conversar com o gerente de um desses bancos para saber as condições de obtenção do empréstimo. Recomendamos que você dê sempre preferência por ter pelo menos uma das contas de seu negócio em um destes bancos. Eles podem não ter a melhor oferta de serviços, mas são com certeza as taxas mais baixas no mercado quando tratamos de empréstimos e financiamentos.

Crédito para o microempreendedor

Para ter acesso ao crédito, o microempreendedor tem que estar plenamente consciente das condições e oportunidades que o mercado oferece ao seu negócio, antes de buscar recursos que ele nem sabe se terá condições de pagar. (Foto: saofranciscoinforme.blogspot.com)

Não podemos deixar de lado a pesquisa e os bancos privados, responsáveis por administrar muitas das finanças do mercado privado brasileiro. Itaú, Bradesco e Santander, principalmente, estão cada vez mais agressivos na busca por novos clientes. E você pode usufruir bem desta competição. Ao pesquisar as taxas de juros com seu gerente e gerentes de outros bancos, explorando a possibilidade de transferir os recursos de sua empresa para um deles, você pode obter condições melhores para o pagamento e taxas mais em conta. E o medo de te perder como cliente fará com que seu gerente faça milagres financeiros para mantê-lo ali. É como um jogo de negociações em que você tem que mexer as peças corretamente para garantir a vitória.

Mas agora que discutimos sobre o crédito para seu negócio, temos que fazer uma ressalva muito importante. Muitos microempreendedores correm para o crédito ao primeiro sinal de riscos ou sequer pensam em abrir seus negócios com um maior planejamento. Para buscar o crédito, é preciso um plano de negócios. Um planejamento financeiro de 6 meses a 1 anos, com estimativas realistas, que comprovem que você tem condições de arcar com o crédito. Ao fazer a opção pelo crédito, também, você diminui a lucratividade de seu negócio e pode valer mais em conta pegar o seu dinheiro e fazer um investimento simples do que começar um investimento em uma empresa. Você tem que se sentar, pensar, anotar todos os dados antes de começar um negócio. Ser seu próprio patrão demanda muito esforço e investimento pessoal.

Se você achar muito arriscado o empréstimo, você pode buscar também o capital de “anjos”, que são pessoas que confiam no seu trabalho e investem nele com a garantia de uma participação nos lucros. Eles podem ser parentes, amigos e até sócios que tem visão de negócios. Todos os caminhos são possíveis quando bem planejados. Busque ajuda do SEBRAE também, que pode te ajudar não apenas no começo de seu negócio mas em muitos outros aspectos. Informação é o poder e o seu diferencial na competitividade do mercado.

Um comentário para “Crédito para microempreendedores”

  1. Rogerio Silva de Souza

    Quero saber se posso pegar um empréstimo para o mei

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)