O pagamento do Imposto de Renda diretamente pela Pessoa Física ocorre quando não há retenção do imposto na fonte, como nos casos de rendimentos de aluguéis, de taxistas; quando o contribuinte recebe rendimentos sujeitos à retenção na fonte de mais de uma fonte pagadora, quando ele pode optar entre o Mensalão e a Declaração de Ajuste Anual IRPF;  quando o resultado da Declaração de Ajuste Anual for de imposto a pagar, onde o contribuinte pode optar por pagar em quotas; e/ou quando houver Ganho de Capital na alienação de bens e direitos (venda).

Quanto eu devo pagar de imposto de renda?

Dentro dos critérios da Receita Federal, há uma alíquota diferenciada para cada ano sobre o Imposto de Renda a ser deduzido mensalmente de um contribuinte. por exemplo, para o ano de 2014, quem está declarando o ano de 2013 pagará, de acordo com a faixa salarial (note que cada linha é uma fórmula, onde coloca-se a faixa salarial, multiplica-se pela porcentagem a ser paga de IRPF e diminui pelo valor de dedução da tabela do IRPF):

  • Até 1.710,78 x 0% – 0%;
  • De 1.710,79 até 2.563,91 x 7,5% – 128,31;
  • De 2.563,92 até 3.418,59 x 15% – 320,60;
  • De 3.418,60 até 4.271,59 x 22,5% – R$577,00;
  • Acima de 4.271,59 x 27,5% – R$790,58.

Vale observar que a cada ano, estas alíquotas mudam. Além disso, também são deduzidos os valores correspondentes a cada dependente, valores os quais estão presentes na tabela no site da Receita Federal.

Além destes impostos, o contribuinte também será tributado sobre os Rendimentos de Capital das seguintes formas:

Fundos de longo prazo e aplicações de renda fixa

  • 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20,0% para aplicações com prazo de 181 até 360 dias;
  • 17,5% para aplicações com prazo de 361 até 720 dias;
  • 15,0% para aplicações com prazo acima de 720 dias.

Fundos de curto prazo

  • 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20,0% para aplicações com prazo acima de 180 dias.

Fundos de ações

  • 15%.

Aplicações em renda variável

  • 0,005%.

Para Remessas ao Exterior:

  • 25% dos rendimentos do trabalho, com ou sem vínculo empregatício, aposentadoria, pensão por morte ou invalidez e os da prestação de serviços, pagos, creditados, entregues, empregados ou remetidos a não-residentes;
  • 15% demais rendimentos de fontes situadas no Brasil.

Outros rendimentos também recebem a bocada do Leão como se segue:

  • 30% para prêmios e sorteios em dinheiro;
  • 20% para prêmios e sorteios sob a forma de bens e serviços;
  • 1,5% para serviços de propaganda;
  • 1,5% para remuneração de serviços profissionais.
Estipulando os valores do imposto de renda

Uma calculadora de Imposto de Renda ajuda muito na hora de estipular os valores que terão de ser pagos para o Leão. (Foto: www.planetim.com.br)

Como calcular o quanto eu vou pagar de imposto de renda?

Pegando todos estes dados e atualizando seus bens em sua declaração do IRPF do ano anterior, você pode muito bem usar os mesmos dados que usamos neste artigo para ter uma ideia do valor devido a Receita. O site da Receita Federal tem muitas informações de boa qualidade para orientar os interessados em saber uma prévia de quanto terão de pagar ainda. O contribuinte poderá ainda usar da calculadora do site da Receita Federal para  poder ter uma ideia dos valores a serem pagos.

Vale lembrar que o melhor profissional para te auxiliar a ter uma estimativa mais realista do IRPF é o contador. Os valores obtidos pelo meio de nosso cálculo sugerido são uma estimativa que se aproxima do pagamento real, mas não substitui o conselho de um profissional.

Como ficou seu cálculo? Teve dificuldades? Não deixe de perguntar abaixo nos comentários caso tenha ficado alguma dúvida!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)