Um dos maiores e únicos motivos de alegria para quem declara o imposto de renda é a esperada restituição do imposto. Poucos sabem como ele funciona. Basicamente, ele constitui-se de valores que devem ser ressarcidos ao cidadão após a declaração quando constatado que já foram pagos valores maiores do que os devidos para a Receita Federal.

Tem direito à restituição o contribuinte que comprovar que impostos retidos na fonte foram acima do valor devido à receita. Existem diferentes perfis, como pessoas que moram no exterior, que podem ter direito também à restituição.

Existem prioridades na hora de restituir o imposto, levando em consideração a idade do contribuinte e também a entrega antecipada da declaração.

Normalmente, a restituição é creditada automaticamente na conta do contribuinte, quando esta é informada no memento da declaração. Caso a restituição não ocorra, o contribuinte deve buscá-la pelo site da Receita Federal quando o lote correspondente da restituição sair.

Restituição do Imposto de Renda

A restituição é um dinheiro que volta para seu bolso quando você pagou a mais para a Receita Federal. (Foto: www.blogdajoice.com)

Contribuintes que cometeram erros na hora da declaração, a chamada “malha fina”, só recebem a restituição após regularização da situação perante a Receita Federal. Esta, por sua vez, tem até 5 anos para restituir os impostos para os contribuintes.

Para garantir seus direitos de restituição, a melhor forma é manter um controle sobre sua declaração, além de monitoramento de sites de notícias e da Receita Federal, pelos quais você saberá das datas de saída dos lotes para restituição dos impostos.

Manter este controle também acaba sendo uma motivação para declarar seu imposto de renda com certa antecedência, garantindo a restituição dos impostos mais cedo.

Esperamos que tenhamos oferecido ajuda necessária aos nossos leitores para garantir um melhor entendimento sobre o que é a restituição do imposto de renda. Não é uma fortuna, mas é um dinheiro que faz  a diferença. Quaisquer dúvidas a mais que surgirem mesmo com este artigo, não deixem de perguntar no espaço de comentários.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)