Tanto passagens rodoviárias quanto passagens aéreas podem ser remarcadas com certa facilidade hoje em dia, sejam as viagens nacionais ou internacionais. Há algumas regras, contudo, que tanto as empresas quanto os passageiros devem respeitar para que não haja transtornos para qualquer uma das partes envolvidas.

Como remarcar passagem de ônibus?

Para remarcar uma passagem rodoviária, respeitando o limite de até 3 horas antes do embarque, o passageiro poderá ter até reembolso do valor da passagem. Se o passageiro optar por não remarcar, a empresa pode ficar com até 5% do valor da passagem, de acordo com normas da ANTT.

Na remarcação, a empresa não pode reter quaisquer valores, e a remarcação só poderá ser realizada para a mesma linha ou para um “upgrade” na linha atual (por exemplo troca de poltrona normal por poltrona leito) ou por um “downgrade” (trocar uma poltrona leito por uma poltrona normal). No caso do upgrade, o cliente deverá pagar a diferença. No caso do downgrade, a empresa deverá reembolsar a diferença.

Reembolso de passagem de ônibus

Em passagens de ônibus intermunicipais, não pode have qualquer tipo de desconto ou acréscimo para remarcação ou reembolso, desde que o mesmo destino e sentido sejam usados. Já nas nas interestaduais, até 5% do valor da passagem pode ser retida, desde que o passageiro não opte por remarcar a passagem.

Perdi o horário do ônibus e agora?

Não, mas a legislação atual te dá o direito da remarcação do bilhete até por um ano. Porém, o passageiro perderá o direito ao reembolso financeiro das passagens.

A empresa pode cobrar pela remarcação?

Não, ao contrário do que acontece com as companhias aéreas, que podem cobrar pela remarcação.

E se a empresa não respeitar meus direitos?

Faça uma denúncia na ANTT pelo telefone 166.

Direitos do passageiro de transporte rodoviário

Se o passageiro se atrasar e perder o ônibus, ele poderá remarcar a passagem por até um ano. (Foto: www.atlascroatia.com)

Posso transferir minha passagem de avião?

Pode. Cada companhia adota um procedimento próprio para lidar com a transferência de passagens aéreas. Existem procedimentos para os casos de “no show” (não comparecimento), quando os passageiros atrasam ou não vão ao aeroporto; e procedimentos para quando os passageiros querem transferir suas passagens antes de suas viagens, seja por questões pessoais, por emergências, ou por qualquer outro motivo.

Entenda a faixa tarifária e as multas de transferência

Antes de entender o tipo de transferência, entender a faixa tarifária é mais importante. Para voos domésticos e internacionais, geralmente há 4 tipos de faixas tarifárias: premium, com as passagens mais caras e maior conforto e vantagens aos passageiros; flexível/flex, com passagens tão caras quanto as passagens premium, mas com um valor já levando em consideração a possível necessidade de remarcação; programada (mais em conta), que é a passagem para quem já sabe uma data e horário exato de voo; e promocional (passagens mais baratas), que geralmente envolve o uso de milhas para a compra das passagens ou promoções da própria companhia aérea.

Nas faixas premium e flexível, geralmente não há multa para remarcação de voos, seja no caso de no show ou transferência de voo. Já para voos programados ou promocionais, há a cobrança de multa em dólares para voos internacionais e em reais para voos domésticos.

Transferência de passagem de avião por causa de no show

O não comparecimento ao embarque por no show (atraso, não ter tempo hábil para fazer check-in, ou qualquer outro motivo), exige na maioria das vezes o pagamento de uma multa por parte do do passageiro para poder remarcar a passagem, com a exceção das tarifas premium/flex.

Transferência de passagem antes de um check-in

Mesmo caso, com uma vantagem: a maioria das empresas permite que no dia do seu voo você remarque o voo para outro horário no mesmo dia, desde que haja vagas. Isso pode ser feito diretamente no check-in ou no atendimento da companhia aérea no aeroporto.

E se houver diferenças nos valores?

Caso haja diferença nos valores na remarcação por no show, seja por aumento de preços, indisponibilidade da mesma classe tarifária para o mesmo voo desejado, ou qualquer outro motivo, o passageiro vai pagar a diferença de valor. Em resumo, quanto mais cheio o voo, mais cara vai ficando a passagem, e maior será a diferença que o passageiro terá de pagar.

Bilhetes emitidos pelo programa de milhas podem ser remarcados?

Podem, também seguindo às regras acima, e pagando às multas correspondentes à faixa tarifária.

Como remarcar passagem aérea?

Remarque suas passagens aéreas pela internet, porque muitas companhias aéreas cobram um valor a mais para remarcar as passagens pela Central de Atendimento ou outros meios. Basta ter em mãos o número do seu bilhete, seus dados de login e senha da companhia aérea, e fazer a remarcação. Caso não tenha, basta acessar o site da companhia aérea e criar um, o que é um passo a passo bem simples.

Se eu não quiser transferir a passagem, posso ter reembolso?

Compras pela internet tem direito aos 7 dias de arrependimento perante a lei, geralmente. Portanto, na teoria, você tem 7 dias para se “arrepender” da sua compra de passagem e ter todo seu dinheiro de volta, mesmo compras de passagens promocionais e não reembolsáveis.

Em outros casos, o valor do reembolso dependerá da faixa tarifária (geralmente, 90% do valor da passagem), sendo que geralmente as tarifas promocionais não permitem reembolso. O incentivo aqui é que o passageiro remarque a passagem, e não que ele deixe de voar.

Ainda tem dúvidas sobre transferências de passagens aéreas ou de ônibus? Deixe nos comentários suas perguntas que vamos responder assim que for possível!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)