Em primeiro lugar, precisamos separar algumas coisas. O passaporte é um documento emitido por um governo nacional, que certifica a identidade e nacionalidade do seu titular para a finalidade de viagens internacionais. Em todos os passaportes padronizados estão inclusas informações sobre o titular, incluindo nome, data de nascimento, sexo e local de nascimento. Um passaporte em si não dá direito a entrada do portador em outro país, nem a proteção consular no estrangeiro nem quaisquer outros privilégios. É, no entanto, normalmente direito do portador de passaporte regressar ao país que emitiu o passaporte. Direitos de proteção consular surgem de tratados internacionais, enquanto o direito do portador, para regressar ao país o passaporte em questão é dependente das leis do país emissor.

Já um visto é um documento que comprova que a pessoa está autorizada a entrar no território para o qual foi emitido, sujeito a permissão de um oficial de imigração. A autorização pode ser um documento, mas mais comumente composto por um selo de aprovação no passaporte do requerente. Alguns países não exigem um visto em algumas situações, como resultado de mecanismos de tratados recíprocos. O país emissor do visto normalmente atribui várias condições de estadia, como o território abrangido pelo visto, data de validade, período de permanência, se o visto é válido por mais de uma visita, etc.

Parceria entre Brasil e EUA

Em uma parceria entre Brasil e EUA, em breve poderá ser desnecessário o visto para viagens aos EUA para brasileiros. (Foto: lemontech.com.br)

Portanto, tirar um passaporte é necessário porque ele é um documento internacional e que irá te proteger nas viagens ao exterior, te dando direitos perante sua embaixada. e perante os órgãos oficiais do país para onde você está viajando. Já o visto, ele relatará de forma documental o propósito de sua visita e o tempo máximo de sua estadia, afim de proteger o país de destino de possíveis imigrantes ilegais.

Como o ano é de eleições nos EUA e a situação ainda é instável, principalmente com uma grande indefinição sobre o próximo presidente do país, ainda é cedo para saber se a necessidade do visto será realmente cancelada. Se você tem uma viagem planejada já para os próximos seis meses, nossa recomendação é que você faça o visto o quanto antes. Novas políticas imigratórias podem começar e dificultar seu visto, ao invés de facilitá-lo. Se seus planos são mais futuros, um visto agora é desnecessário, pois você tem a opção de poder aguardar os resultados das eleições e ver como o novo presidente irá lidar com estar questões.

O cenário mais provável é que a facilidade para os vistos será maior, visto que os EUA, ainda se recuperando da crise, precisam de mais dinheiro entrando em seu país, e o turismo é uma ótima forma de aquecer a economia. Porém, toda cautela é pouca e recomendamos que vocês sempre acompanhem as notícias com as novidades sobre o assunto.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)