A contribuição do teto para o INSS garante ao trabalhador uma aposentadoria com o benefício máximo possível. Porém, o alto valor de investimento no INSS deixa muitas pessoas receosas deste tipo de comprometimento, levando-as a cogitar outros tipos de destinos ao dinheiro. Mas o que será melhor: Colocar o dinheiro no INSS ou investir/poupar seu dinheiro?

Previdência Privada X Previdência Social

Ambas são boas formas de garantir um futuro melhor para o aposentado. O porém da história é que no INSS você tem acesso a mais direitos e um rendimento praticamente isolado de riscos. Muitos economistas, inclusive, tem reforçado que os custos da Previdência Privada acabam tornando este tipo de investimento menos atrativo de que outros produtos do mercado financeiro, como o Tesouro Direto.

Então, complementando a Previdência Social, a Previdência Privada acaba não sendo uma opção tão boa assim, valendo apenas para aqueles que são muito indisciplinados com dinheiro. A necessidade do pagamento mensal da Previdência Privada pode ser uma ótima ferramenta para forçar a pessoa a poupar o dinheiro. Mas se pensarmos assim, contribuir para o INSS também pode ser uma ferramenta tão boa quanto para poupar, mas exige um pouco de disciplina, seja você autônomo ou empregado que quer complementar o pagamento do INSS.

O que é o teto do INSS?

O teto é o valor máximo pago pela Previdência aos aposentados pelo INSS. A cada ano, o teto é atualizado, assim como a contribuição mensal que deve ser feita ao INSS para aposentar com este valor. Ninguém receberá mais que o teto ao aposentar e não é necessário contribuir mais do que a porcentagem da contribuição da Previdência Social para se aposentar com o teto. A tabela de contribuição mensal no site do Ministério da Previdência Social disponibiliza as alíquotas para cada faixa salarial, além do teto de contribuição e remuneração de aposentadoria.

Vale lembrar também que muitas pessoas ainda acham que são contabilizados apenas os últimos 36 salários para a aposentadoria, o que é errado. Hoje em dia, são contabilizados 80% dos maiores rendimentos da contribuição e descartados os 20% para o cálculo de aposentadoria.

Investindo na segurança financeira pelo INSS

Garanta para você uma aposentadoria segura com uma contribuição sólida ao INSS. Pode até não ser o teto, mas um bom investimento no INSS garante grande segurança. (Foto: www.vocereporter.xpg.com.br)

Gestão de Risco com o INSS

Uma das características mais importantes e marcantes do INSS é sua importância na garantia de segurança ao trabalhador. Devemos observar o INSS não como um retorno financeiro, mas como uma segurança em caso de problemas de saúde, invalidez, gravidez, pensão, entre outros, já que a contribuição garante os direitos ao trabalhador brasileiro no mercado formal. Portanto, é uma forma válida de Gestão de Riscos e garantia de uma certa segurança financeira no futuro.

Quem deve contribuir com o teto?

Quem contribui com o teto terá levada em consideração a qualquer momento o valor investido na contribuição para os cálculos seguintes, inclusive dos benefícios. Umas das melhores combinações é para aqueles que tem mais de um emprego, principalmente quando um é apenas como autônomo (os “bicos” ou freelance” e outro de carteira assinada, quando é muito válido complementar a contribuição ao INSS da carteira assinada com o suficiente para alcançar o teto.

Caso você tenha um perfil muito conservador de investimentos e não queira assumir quaisquer riscos, independente da sua situação financeira é importante que você também complemente a contribuição ao INSS.

Agora, se você quer assumir algum tipo de risco, até os 45 anos, recomendamos que você ao invés de complementar seus investimentos no INSS faça outros tipos de investimentos com os recursos, como Tesouro Direto, CDB entre outros, valendo até a bolsa de valores. Isso porque estes investimentos podem acabar complementando sua renda na aposentadoria de forma melhor que o INSS, desde que você mantenha sua contribuição ao INSS constante e sempre meça seus custos de vida hoje e como espera que eles sejam amanhã.

No caso de pessoas que estejam acima dos 45 anos, recomendamos passar a complementar o INSS para poder aposentar com o teto, já que há pouco tempo para uma boa rentabilidade de investimentos.

Melhor contribuir com o teto para a previdência ou investir/poupar meu dinheiro?

Como vimos, cada caso demanda uma análise diferente. Porém, contribuir com o teto para o INSS é um investimento de retorno seguro e uma garantia grande de segurança. Se considerarmos os serviços disponíveis no mercado financeiro, contribuir para o INSS equivale a investir na Previdência Privada, um Seguro de Renda, um Seguro contra Invalidez, Seguro Gravidez e até mais serviços, tudo garantido pelo Governo e sem riscos. Mesmo assim, só o INSS não garante uma aposentadoria tranquila, e é recomendado que a pessoa também faça outros tipos de investimento, diversificando suas fontes de renda e gerindo o risco.

Ficou alguma dúvida? Tem alguma sugestão? Deixe no espaço de comentários abaixo e nos ajude a tornar nossos artigos cada vez mais completos!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)