Independência financeira em 5 anos ou em 40 anos? Qual o prazo e quanto eu preciso economizar para atingir esse objetivo? Não, você não precisa de fórmulas e cálculos complicados para atingir esse objetivo. Aqui, sempre fazemos o melhor para evitar fórmulas matemáticas complicadas. Na nossa experiência, os matemáticos acabam tornando um processo relativamente simples em algo excessivamente complexo aplicando uma série de fórmulas inexplicáveis. Acho que é por isso que nós encontramos e optamos pela regra abaixo, a regra dos 25, para que você atinja a independência financeira.

O que é a independência financeira?

O conceito de independência financeira varia entre diferentes autores especialistas em finanças pessoais. Alguns dizem que é a capacidade de produzir as próprias riquezas, seja com capital investido ou através do trabalho. Outros afirmam que é a capacidade de economizar e gastar menos do que você ganha. No conceito adotado para nosso artigo é a capacidade de gastar menos, economizar mais, e fazer seu dinheiro render juros, ou seja, trabalhar para você sem muitos esforços.

Simulador de independência financeira: a regra dos 25

Você pode estimar o quanto é necessário poupar para gerar renda suficiente para pagar por bens e serviços no futuro. Essa capacidade de pagamento é tudo que você precisa para a independência financeira. Você precisa então apenas saber quanto custa um bem agora e qual a taxa de juros precisará para fazer seu dinheiro render. Claro, inflação e taxas de juros flutuantes é algo com o qual você deve se preocupar, mas você pode obter uma ideia geral de como funciona a matemática da independência financeira com exemplos reais.

Independência financeira

A independência financeira é ter a capacidade de pagar suas contas e compras sem depender, necessariamente, do dinheiro de uma aposentadoria ou de um salário. (Foto: BCW)

Exemplo da regra dos 25

Imagine a assinatura de uma TV a Cabo, ou uma assinatura da Netflix. Ambos são opções de entretenimento caseiro e relativamente barato, se comparado a outras opções. É mais barato do que ir ao cinema. É possível usar o Netflix ou a TV a cabo todos os dias ao mesmo preço que você pagaria para ir apenas um dia ao cinema. Mas mesmo assim, continua custando dinheiro essa assinatura, e a regra dos 25 cabe muito bem aqui. Como? Bem, entenda que a regra dos 25 multiplica qualquer custo anual de um serviço ou bem que você queira comprar por 25 anos. Esse é um prazo razoável de custei de estilo de vida para a independência financeira.

Suponha que sua TV a cabo ou sua Netflix tenha uma assinatura de R$9 por mês. Anualmente, são R$108 que você tem de separar para manter essa assinatura. Para continuar pagando o Netflix ou a TV a cabo com renda passiva, ou seja, na independência financeira, você precisaria de investir um total de R$2700 (R$108 x 25) em um investimento com 4% de rentabilidade anual (ou seja, R$2700 investidos renderão R$108 anualmente). Se sua rentabilidade for menor, você deve multiplicar o valor de R$2700 pelo fator de porcentagem da rentabilidade, que é igual a 100 dividido pela rentabilidade do investimento. Por exemplo, um investimento de 3% de rentabilidade, adicionaria um valor extra para poupar para pagar a Netflix ou a TV a cabo de 33,33%.

Por que esses valores são importantes?

Para sua independência financeira, você vai precisar somar todos os custos de sua vida atual para saber quanto precisará, mensalmente, para pagar esses custos. O exemplo da TV a cabo/Netflix é apenas um exemplo simples de um custo relativamente baixo, mas que mostra claramente o impacto sobre sua poupança para ser independente. Outros custos como luz, água, condomínio, a troca de um carro, também devem entrar nessa fórmula, para que você aumente então sua poupança rumo à independência.

Outro exemplo da aplicação da regra dos 25

Com a regra dos 25, é possível colocar na fórmula o pagamento de hipotecas, carros e todas as outras dívidas para viver bastante confortável com um bom dinheiro mensal. Supondo que seu objetivo seja receber o mais alto valor possível na independência financeira, quanta poupança seria necessário para gerar R$24.000 por ano em renda?

Para gerar R$24.000 anualmente (R$2000 mensais) em um investimento que rende 3% de juros, você precisaria investir R$800.000. Para gerar R$24.000 em um investimento que rende 4% de juros, você precisaria investir R$600.000. Para gerar R$24.000 em um investimento que rende 5% de juros, você precisaria investir R$480.000. A não ser que você seja um milionário, dá pra perceber que esses valores são bem altos para poupar, mas que com investimentos de maior rendimento, é possível reduzir exponencialmente os valores a serem poupados, certo?

Independência financeira: 5 anos, 40 anos, o importante é entender os custos!

Este exercício não leva em conta a inflação e o aumento dos custos de bens e serviços, mas te dá uma ideia de como um custo relativamente baixo pode ter um grande impacto na sua poupança para a independência financeira. São R$2700 que você precisará poupar apenas para conseguir pagar seu entretenimento, fora ter que achar um investimento que renda 4% ao ano, descontado já a inflação. Pode parecer fácil achar esse investimento, porque essa rentabilidade é de investimentos de baixo risco. Mas quanto mais você gastar ou quanto mais “estilo” quiser na sua vida, maior terá de ser sua poupança ou mais riscos você vai ter que assumir nos seus investimentos para ter uma rentabilidade maior. Assumir mais riscos pode significar também perder dinheiro, o que pode te afastar da independência financeira ainda mais. Diversificando os investimentos os riscos são reduzidos, mas os custos não. Há, portanto, custos na forma de riscos e custos financeiros que você precisa pensar para seu estilo de vida na independência financeira. Quer viajar todo ano? Coloque mais dinheiro para poupar. Planeja trocar de carro de 5 em 5 anos? Mais um valor que tem de entrar na poupança.

Faça um exercício para te ajudar a entender melhor quanto você precisa poupar para manter seu estilo de vida atual: pegue seus custos de vida de hoje e multiplique-os por 25. Esse valor é o que você precisará ter de rentabilidade em um investimento para conseguir pagar todos os seus gastos. Use uma calculadora de juros compostos e vá testando diferentes valores para poupar e ter o rendimento que você precisa. Por exemplo, você pode começar com custos de R$2000 e ver, na calculadora de juros compostos, quanto um investimento de R$100.000 precisa render para pagar esses custos (2% de rentabilidade).

Compartilhe conosco seus resultados. Sua participação nos comentários é muito importante para ajudar outras pessoas a também atingirem a independência financeira!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)