O cheque especial pode dar-lhe uma almofada financeira à mão, e é possível usá-los com segurança. Mas entrar no cheque especial sem planejamento pode deixá-lo com taxas que você pode não ser capaz de suportar. Fique ciente de seu cheque especial e mantenha-se no controle do seu dinheiro. Eu tenho uma ótima experiência com o cheque especial. Mas antes de contar como eu o utilizo, vamos explicar um pouco melhor sobre este serviço financeiro que causa tanto temor nas pessoas.

O que é um cheque especial?

O cheque especial é uma forma de pedir o dinheiro de seu banco ou instituição financeira vinculada à sua conta corrente basicamente para que você possa ocasionalmente gastar mais do que você tem.

Tipos de cheque especial

Um cheque especial pode ser autorizado ou não autorizado.

Cheque especial autorizado: são organizados e aprovados previamente. Você concorda um limite de endividamento com o seu banco, e você pode gastar o dinheiro até este limite por meio de todos os meios de pagamento normais.

Cheque especial não autorizado: acontece quando você gasta mais do que você tem em sua conta bancária, sem concordar com antecedência e você fica negativo ou, se o seu banco aceitou um cheque especial para você, mas você ultrapassou o limite definido.
Um cheque especial não autorizado é muito caro. Você vai pagar taxas extras e estas podem crescer muito rapidamente.

Contas bancárias básicas não oferecem cheque especial. Elas são projetadas para pessoas que não tem boa capacidade de pagamento ou não querem gastar mais do que tem.

Cuidados com o cheque especial

A disciplina e o planejamento financeiro te ensinarão corretamente a usar o cheque especial como uma ferramenta e não uma muleta financeira. (Foto: guiadinheiro.com)

Como organizar um cheque especial?

Para organizar seu cheque especial ou aumentar um já existente, pergunte ao seu banco que vai decidir se vai dá-lo para você. Converse com seu gerente ou ligue para o seu banco e eles vão te dizer o que está disponível.

Todos tem acesso ao cheque especial. Se você tem uma conta corrente, você já pode ter um cheque especial. Os bancos dizem qual o limite quando você abre sua conta. Eles vão rever esse limite a cada ano.

Eventualidades. O cheque especial pode ser útil se a sua conta está quase vazia no final do mês. Por exemplo, você pode entrar no cheque especial para ajudá-lo a fazer um grande pagamento pouco antes do dia de receber seu dinheiro.

Não gaste em excesso. Um cheque especial autorizado pode ajudá-lo a evitar taxas maiores se você escorregar para o vermelho, mas nunca use-o como desculpa para gastar mais.

Cheque especial custa dinheiro. O cheque especial não autorizado é uma maneira muito cara de empréstimo. Se você tiver um, é melhor agir agora para evitar taxas elevadas, pré-aprovando um limite de cheque especial com sua instituição financeira. Mesmo quando o cheque especial é pré-aprovado e até com alguns dias sem juros, você pagará IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) durante o período que sua conta estiver no cheque especial.

Quanto custa um cheque especial?

Se você vai para o vermelho, normalmente você vai acabar pagando juros e taxas.

Altos juros. Junto ao cartão de crédito, o cheque especial é uma das maiores taxas de juros entre os produtos do mercado financeiro. Usar um cheque especial quando não for a última opção disponível não é recomendado.

IOF. 0,38% é cobrado sobre a quantia que você pegou emprestada através do cheque especial.

Pacote de serviços. Muitos bancos só disponibilizam o cheque especial e serviços agregados a ele (como alguns dias sem juros) quando o cliente se disponibiliza a pagar uma taxa extra para o acesso a este serviço. Verifique com seu banco quais pacotes de serviços disponibilizam o cheque especial, os limites e vantagens agregadas ao serviço.

Como reduzir os custos do cheque especial?

A melhor coisa que você pode fazer é ficar dentro do seu limite de cheque especial. Se você acha que vai ultrapassar o seu limite, fale com o seu banco e peça um limite ou extensão superior. Você pode ser cobrado uma taxa, mas pode economizar muito mais.

Organize seus pagamentos. Se todos os pagamentos regulares saem da sua conta, pouco antes do dia de pagamento, altere-as para logo depois do dia de pagamento, se possível.

Use alertas de texto. Se o seu banco oferece alertas de texto (SMS), configure um para avisá-lo quando você estiver com pouco dinheiro.
Conheça o seu limite de cheque especial e quanto você vai pagar, se você passar destes limites.

Mantenha o controle de suas contas. Verifique quando você faz um saque ou pagamento online pelo internet banking, mantendo total controle sobre suas finanças.

Escolha as contas certas. Mude para uma conta bancária amigável ao cheque especial. Muitos bancos oferecem cheque especial sem juros por alguns dias em alguns de seus pacotes de serviços.

Considere um cartão de crédito. Se você estiver quase no vermelho, considere o uso do cartão de crédito, mas apenas se você puder pagá-lo integralmente na data de vencimento do pagamento.

Assuma o controle de seus gastos. E prepare um orçamento para ver o que está drenando o seu dinheiro e onde fazer poupança.

Não seja tentado por empréstimos de “adiantamentos”. Eles podem causar mais problemas do que um cheque especial e podem custar muito mais. Esses adiantamentos incluem adiantamentos de 13º salário, adiantamento de restituição do imposto de renda e os empréstimos consignados.

Não compre impulsivamente. Espere alguns dias e decida se você realmente precisa daquele produto ou serviço específico.

Peça ao seu banco por isenção de taxas. Se você escorregar e acabar com no cheque especial, peça ao banco por um desconto ou condições especiais de uso. Não custa tentar.

Se você acha que já foi cobrado injustamente. Se você já teve taxas cobradas que você acha que são injustas, ou se você está realmente lutando para pagar, você pode ser capaz de recuperá-las. Converse com seu gerente ou pelo SAC de seu banco. Caso isso não resolva, vá até o PROCON e se necessário, leve o banco à justiça.

Como eu aprendi a usar melhor meu cheque especial?

Eu tenho três cartões de crédito: um sem anuidade de uma loja que me oferece descontos ao usar o cartão para compras e um normal, ambos da mesma instituição financeira, um banco público; e um cartão de limite alto, que utilizo para compras maiores e emergências. Os dois primeiros tem vencimento no dia 11 de cada mês, enquanto o segundo vence no dia 22.

Como sou Microempreendedor Individual (MEI), alguns de meus clientes precisam de um prazo maior para me pagar. A maioria paga entre os dias 01 e 10 do mês, mas alguns pagam entre os dias 11 e 20. Dentro desse tempo, às vezes preciso do cheque especial para não entrar nos juros e multa do cartão de crédito. Meu banco me oferece 10 dias sem juros no cheque especial, quando eu pago apenas o IOF. Também recebo dia 10 de cada mês, aproximadamente, pelos artigos que escrevo para blogs.

Então, se até o dia 11 meus clientes não efetuaram o pagamento ou eu não cumpri minha meta de artigos para o mês (ganho por artigo escrito, mas acontece de não ter tempo para escrever o suficiente alguns meses), eu tenho uma margem de até 10 dias para não ter de me preocupar com juros. Como meus cartões do dia 11 fecham no fim do mês anterior e meu cartão do dia 22 fecha antes do dia 11, eu posso também jogar algumas contas e gastos para o mês seguinte.

Se caso após o dia 22 eu precisar de usar o cheque especial por conta do não pagamento por algum de meus clientes, eu tenho acesso a alguns dias sem juros no cheque especial. Geralmente tenho uma margem de 5 dias após cada pagamento de cartão de crédito, quando então saio do cheque especial, pagando apenas o IOF.

Eu combinei o uso dos cartões de crédito com o cheque especial da forma correta: pago sempre minhas faturas cheias e ainda tenho 10 dias para “respirar”, caso precise durante o mês e até 40 dias para pagar contas emergenciais. Cortei parcelamentos de minha vida financeira, salvo quando tenho de comprar medicamentos (compro o suficiente para quatro meses em uma só compra). Pago tudo que posso à vista ou no cartão de crédito e ganho milhas para meus programas de milhagem. Assim como eu, você também pode aproveitar melhor nosso sistema financeiro com planejamento e organização.

Como você organiza seu orçamento? Em quais bancos você tem conta e quais vantagens eles oferecem? Quais as condições especiais de seu cheque especial? Compartilhe nos comentários!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)