Casal: declarar imposto de renda junto ou separado?

Escrito na categoria "Imposto de renda" por André M. Coelho.

A Declaração de Imposto de Renda Anual é um momento de muito planejamento e cálculos, para que você faça tudo de acordo com a legislação vigente e não pague nada a mais de imposto ao governo do que já é devida. Dentre as várias opções para a Declaração do Imposto de Renda, casais podem fazer a declaração conjunta ou separada, o que lhes dá uma possibilidade melhor de planejamento e possíveis economias no pagamento do imposto de renda devido.

Publicidade

Publicidade

Declaração em conjunto: quais as opções?

Quando declarando o imposto de renda, o contribuinte que vive com seu parceiro ou parceira, tem união estável, casamento ou divórcio, tem as seguintes opções de declaração do imposto de renda.

Declarando imposto de renda

Antes de fazer a declaração definitiva do imposto de renda, faça algumas simulações de declarações conjuntas e declarações separadas, para ver qual tipo sai mais em conta. (Foto: diariodesantamaria.clicrbs.com.br)

Quando é melhor fazer a declaração em conjunto na Receita Federal?

A questão da declaração conjunta é que todos os bens e ganhos de um casal serão somados. Isso pode fazer com que a alíquota de imposto de renda do casal seja maior do que fazendo a declaração do imposto de renda separadamente. Por outro lado, os dedutíveis do imposto de renda, podem fazer valer a pena a declaração conjunta, pois reduz a base de cálculo do Imposto de Renda do casal. Quando as despesas dedutíveis do casal são muito altas, vale a pena declaração em conjunto, ao invés de dividir as deduções entre duas declarações. E por despesas dedutíveis, estamos falando das seguintes despesas:

Despesas com dependentes

Despesas com educação

Publicidade

Publicidade

Despesas médicas

Pensão alimentícia

Contribuição à Previdência Social

Contribuição à Previdência Privada

Livro Caixa

Publicidade

Aposentadorias e pensões de maiores de 65 anos

Publicidade

Contribuição à Previdência Social do Empregado Doméstico

Quando o casal tem, pelo menos, 4 desses dedutíveis, é melhor fazer uma declaração conjunta. Mas ainda é válido comparar um rascunho das declarações separadas com um rascunho da declaração conjunta, para ver qual ficará “mais em conta”. Quem tem pouca despesa dedutível, menos do que 3 dessas despesas acima, pode fazer a declaração em separado, no modelo simplificado.

Quem pode fazer declaração conjunta?

Podem fazer a declaração conjunta quem é oficialmente casado, quem vive em união estável há mais de 5 anos (registrado em cartório), e casais com filhos em comum (independentemente do tempo de união, mesmo quando é informal). Divorciados, até que a separação seja formalizada, devem apresentar a Declaração de Imposto de Renda como se estivesse casados (conjunta ou separada), em função dos bens em comum.

E se fizer Declaração de Imposto de Renda separado?

Nas declarações de casais, quando feitas separadamente, um dos cônjuges deve informar os bens na declaração e o outro deve lançar estes bens na ficha de “Bens e Direitos” na declaração, informando nome e CPF do parceiro.

Para casais divorciados, a declaração deve ser feira como solteiro, incluso despesas com dependentes e rendimentos de pensão que você recebe.

Publicidade

Publicidade

Para casais com filhos, apenas uma das partes do casal pode declarar o filho como dependente. A parte que não tem a guarda da criança pode deduzir os gastos com pensão alimentícia.

Declare seu imposto de renda com antecedência

Ao preparar sua declaração com antecedência, reunindo todos os documentos, e simulando os valores de impostos, você e seu cônjuge podem ver qual tipo de declaração será mais proveitosa e mais econômica. Isso significa testar a declaração separada simples, testar a declaração separada completa, conjunta completa, e conjunta simples, e ver em qual delas o casal pagará menos impostos.

Tem mais perguntas sobre declaração conjunta do Imposto de Renda? Deixe suas perguntas nos comentários abaixo!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Crédito ou débito? Esta é uma pergunta quase sempre feita ao se pagar com cartão mas é uma questão também comum na vida de muitos brasileiros. Com mais de 300 horas em cursos de finanças, empreendedorismo, entre outros, André formou-se em pedagogia e se especializou em educação financeira. Dá também consultorias financeiras e empresariais quando seus clientes precisam de ajuda e compartilha conhecimentos aqui neste site.

Publicidade

Publicidade

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Crédito ou Débito não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário